Segunda-feira, 17 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Debate presidencial será moderado mais uma vez por Jim Lehrer

Por lgarcia em 02/10/2012 na edição 714

Nesta quarta-feira (3/10), pela primeira vez na campanha de 2012, o candidato democrata Barack Obama e o republicano Mitt Romney irão enfrentar-se em um debate que  muitos consideram o evento mais importante daqui até a eleição do dia 6/11. Depois de meses de propaganda e de troca de farpas, os candidatos ficarão finalmente sozinhos na luta pela confiança do eleitorado americano. Sozinhos – sem diretores de comunicação ou assessores de campanha –, mas na companhia do mediador e editor-executivo da PBS Newshour Jim Lehrer, de 78 anos, que exercerá essa função pela 12ª vez na história dos debates presidenciais na TV americana.

Lehrer é o moderador mais experiente na história moderna – tarefa que desempenha muito bem, segundo seus contemporâneos. “A reputação de Jim é incontestável. Ele emana integridade”, diz Tom Brokaw, âncora veterano do Nightly News, da NBC. “Jim é a melhor pessoa para o papel, o mais honesto na sua profissão e absolutamente digno de confiança. Ele tem quase um respeito religioso. Ele fica tão longe dos pântanos políticos que nem sequer vota ”, afirma Robert MacNeil, coapresentador do MacNeil/Lehrer Report.

Em um momento no qual o eleitorado está mais dividido e a análise da mídia mais intensa do que nunca, seu trabalho é de uma responsabilidade sem precedentes. Segundo estrategistas de campanha e jornalistas, Lehrer deve fazer perguntas duras e substanciais, mantendo, ainda assim, total imparcialidade. Ele deve também instigar Obama e Romney a darem respostas genuínas sem se colocar no debate.

Suas mais de cinco décadas de experiência em jornal lhe renderam respeito de estrategistas políticos por todo o espectro ideológico. “Não consigo pensar em ninguém melhor do que Jim Lehrer para moderar um debate”, diz  Charlie Black, que trabalhou nas campanhas de Ronald Reagan, George Bush e John McCain. “Ele é visto pelo público como genuinamente objetivo”, afirma Chris Lehane, que trabalhou na administração de Bill Clinton e foi secretário de imprensa na campanha de Al Gore.

Quebra da promessa

A sua reputação motivou o convite da Comissão dos Debates Presidenciais para moderar o debate da Universidade de Denver, no Colorado – mesmo ele tendo jurado não moderar um debate presidencial de novo. No ano passado, Lehrer publicou um livro sobre os debates chamado Tension City (Cidade da Tensão, tradução livre), que teve o objetivo de encerrar suas duas décadas como moderador de debates. “Não há como eu moderar outro debate”, contou a C-SPAN semanas depois da publicação do livro. “Eu não teria escrito o livro se fosse moderar outro debate”. Quando ficou sabendo, no ano passado, da possibilidade de ser escolhido este ano, cogitou quebrar o juramento, comparando a situação à lealdade de um soldado ao seu país.

Novo formato

A comissão convidou Lehrer porque precisava de alguém experiente para o novo formato do debate, que pela primeira vez dividirá os 90 minutos em seis segmentos de 15 minutos focados em temas diferentes. “O novo formato irá requerer muita experiência e habilidade”, diz Janet Brown, diretora-executiva da comissão. “O moderador irá abrir o primeiro segmento, Romney e Obama terão cada um dois minutos para responder e os outros 11 serão para um debate aberto”.

Por conta do novo formato, Lehrer desempenhará um papel mais ativo. “Os 11 minutos restantes não são cronometrados e isso significa que o moderador terá que manter um tema por um período maior de tempo. Isso requer muita habilidade sob pressão, compreensão de como a TV funciona e habilidade para focar nos candidatos sem se inserir na conversa”, explica Janet.

Exibição online

O primeiro debate, que foca exclusivamente nos temas nacionais, é considerado o mais importante, em parte porque marca a primeira vez que ambos os candidatos ficarão frente a frente diante de uma audiência tão ampla. O debate entre Obama e John McCain,  em 2008, atraiu de 52,4 a 63,2 milhões de telespectadores, uma média entre a audiência mais alta  (entre Jimmy Carter e Ronald Reagan) e a mais baixa (Bill Clinton e Bob Dole), segundo a Nielsen.

Candy Crowley, da CNN, irá moderar o segundo debate, em  16/10  ela será a segunda mulher em 20 anos a ser moderadora de um debate presidencial. No entanto, o formato do segundo debate prevê que os eleitores façam as perguntas, e não o moderador. O terceiro e último debate, em  22/10, será moderado pelo veterano Bob Schieffer, da CBS. 

O debate será exibido online por AOL, Yahoo e Google. Os três maiores portais de internet dos EUA juntaram forças para hospedar uma plataforma chamada “Voice of”, que permitirá que usuários fiquem sabendo – e deem notas – dos temas a serem debatidos. O Yahoo News irá divulgar a análise antes e depois do debate em parceria com a ABC News. Já o YouTube irá transmitir ao vivo via o canal da ABC News no site de compartilhamento de vídeos. Informações de Dylan Byers [Politico, 29/9/12], Tracie Powell [Poytner, 2/10/12] e de Matthew Flamm [Crain's New York Business.com, 1/10/12].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem