Domingo, 19 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > VENEZUELA

Diretor crítico a Chávez deixa canal da oposição

16/02/2010 na edição 577

A emissora venezuelana Globovisión, único canal do país que permanece crítico ao presidente Hugo Chávez, anunciou a saída de seu diretor. Executivos da emissora prometeram manter a linha editorial, mas se negaram a explicar as razões para a saída de Alberto Federico Ravell. O diretor, por sua vez, negou que tenha pedido demissão, afirmando por uma mensagem do Twitter que foi pressionado a deixar o cargo pelo conselho de diretores.

Ravell é um conhecido crítico de Chávez, e o presidente já ameaçou fechar o canal, acusando seus donos de conspirar contra o governo. O Globovisión também já foi multado diversas vezes por supostas violações das rígidas leis de transmissão venezuelanas.

Fora do ar

No mês passado, a Radio Caracas Television International (RCTV) foi tirada da TV a cabo e por satélite depois de não concordar com uma nova regra que a obrigaria a transmitir os discursos de Chávez. O canal privado havia sido removido da TV aberta em maio de 2007 depois que o presidente negou-se a renovar sua concessão de funcionamento, acusando-o de participar de um golpe para tentar tirá-lo do poder.

A saída da RCTV da grade de programação deixou a Globovisión como último reduto crítico às políticas de Chávez. Ravell, que ajudou a fundar a emissora, afirmou que recebeu pedidos para que vendesse suas ações da companhia. ‘Não tenho preço. Provei isso hoje’, disse também no microblog. Ele ressaltou ainda que pretende entrar na arena política para continuar a combater o presidente. Informações de Fabiola Sanchez [Associated Press, 11/2/10].

RODAPÉ

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem