Sábado, 25 de Maio de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1038
Menu

ENTRE ASPAS >

Documentário acusa EUA de espionagem

07/04/2009 na edição 532

Um documentário exibido na TV estatal russa no domingo (5/4) acusou os EUA de usar uma base aérea no Quirguistão para espionar a Rússia e a China. O programa, transmitido pelo canal Rossiya, mostrou um prédio que supostamente seria usado para vigilância eletrônica e identificou uma mulher que teria trabalhado na embaixada americana como agente da CIA.

Os EUA pretendiam usar a base aérea como local estratégico para a entrada de soldados no Afeganistão, mas o governo do Quirguistão ordenou que o país deixasse as instalações em agosto. O anúncio do fechamento da base ocorreu logo depois que a Rússia prometeu dar ao Quirguistão mais de US$ 2 bilhões em empréstimos e auxílio. O Exército russo também tem uma base aérea na ex-república soviética. Um porta-voz da base ocupada pelos americanos alega que as acusações feitas pelo documentário são completamente ‘mentirosas’.

O programa afirmou que era necessário ter ‘passes especiais’ para entrar em alguns prédios e que foi construída uma estação pata controlar dados sobre a Ásia Central e partes da China e Sibéria. Já o porta-voz da base, Damien Pickart, disse que os prédios mostrados pela TV eram usados como dormitórios pelos soldados. Repórteres que visitaram o complexo em fevereiro afirmaram que ele parecia ser usado com esta finalidade.

O documentário foi produzido pelo jornalista russo Arkady Mamontov, que ficou famoso em 2006 ao filmar diplomatas britânicos recebendo informações confidenciais de agentes russos em Moscou. Pickart afirmou que Mamontov não visitou a base. A embaixada americana e o governo do Quirguistão não comentaram o programa. Informações de Leila Saralayeva [Associated Press, 6/4/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem