Terça-feira, 21 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

MONITOR DA IMPRENSA > QUEBRA DE DECORO

Repórter de site conservador interrompe discurso de Obama

19/06/2012 na edição 699
Tradução e edição: Leticia Nunes

O incidente deixou brevemente sem ar correspondentes da Casa Branca e telespectadores que assistiam a um discurso do presidente Barack Obama, no fim da semana passada. E claramente pegou o presidente de surpresa. Obama falava sobre uma nova política de imigração quando foi interrompido por um repórter do site de direita The Daily Caller. O jornalista, Neil Munro, levantou a voz e queria perguntar se a medida, que tinha como objetivo ajudar jovens imigrantes ilegais a arrumar emprego, era positiva para os trabalhadores legais americanos.

“Com licença, senhor. Não é hora de perguntas. Não enquanto eu estou falando”, afirmou o presidente. Poucos minutos depois, Obama se referiu ao incidente: “E a resposta para a sua questão, senhor, e da próxima vez eu gostaria que você me deixasse terminar minha declaração antes de fazer perguntas, é que esta é a coisa certa a se fazer para o povo americano”. Munro tentou interromper novamente o presidente, que rapidamente rebateu: “Não pedi um debate, estou respondendo a sua questão”.

É comum que repórteres gritem perguntas para o presidente, mas apenas quando ele já acabou de falar. Ao levantar a voz e interromper o presidente durante um discurso, o jornalista quebrou o decoro na Casa Branca e provocou uma onda de críticas online de outros repórteres, analistas e historiadores, conta Brian Stelter em artigo no New York Times [16/6/12]. Um outro caso parecido ocorreu em 2009, quando o deputado republicano Joe Wilson berrou “mentira” durante um discurso do presidente no Congresso.

A Casa Branca não se manifestou sobre o incidente da semana passada. No Daily Caller, aproximadamente uma hora após o ocorrido, Munro escreveu: “Eu sempre vou para a Casa Branca preparado com questões para o nosso presidente. Eu fiz a pergunta acreditando que o presidente estava encerrando sua declaração, porque naturalmente eu não tenho a intenção de interromper o presidente dos Estados Unidos”.

Obama, no entanto, só havia falado por cinco minutos quando houve a interrupção. Outros correspondentes presentes ao anúncio disseram que a pergunta inicial de Munro foi: “Senhor presidente, por que o senhor favorece trabalhadores estrangeiros sobre os americanos?”

O editor-chefe do Daily Caller, Tucker Carlson, afirmou que não havia visto a cena, mas defendeu o comportamento de Munro, dizendo se tratar de um “ato de jornalismo”. “Pelo que sei, de maneira geral, os repórteres estão lá para fazer perguntas. E nenhum político quer responder perguntas, mas isto não nos diz respeito”.

Carlson é ex-apresentador do programa Crossfire, da CNN – onde interrupções fazem parte da fórmula. Ele fundou o Daily Caller em 2010 com o objetivo de publicar notícias e comentários políticos, normalmente sob o ponto de vista conservador. O site acusa a “mídia liberal” de parcialidade, e Carlson afirmou que já esperava que os “adoradores de Obama na imprensa” atacassem Munro.

Por outro lado

Além das críticas recebidas pelo jornalista – algumas, inclusive, de conservadores –, o episódio também serviu para levantar queixas sobre o fato de Obama abrir cada vez menos espaço para perguntas de repórteres em anúncios como o da semana passada. O acesso ao presidente em sessões de perguntas e respostas tem sido limitado, de acordo com um estudo feito por um professor que acompanha o trabalho dos correspondentes na Casa Branca. Obama tem preferido entrevistas exclusivas com jornalistas específicos a coletivas e sessões de perguntas e respostas com todos os repórteres presentes.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem