Terça-feira, 26 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº959

MONITOR DA IMPRENSA > OLIMPÍADAS 2012

Cobertura maior em busca do recorde de público

31/07/2012 na edição 705
Tradução e edição: Leticia Nunes

Em artigo no site da BBC News [27/7] no dia da abertura oficial dos Jogos Olímpicos de 2012, o correspondente de mídia Torin Douglas questionou: seria o evento esportivo em Londres o “maior evento midiático da história”, como tem sido dito? Ele mesmo responde: “É perfeitamente possível, dependendo de como se mede”.

De início, Londres 2012 já tem o maior número de jornalistas, cinegrafistas e profissionais de mídia em geral, além do maior número de horas de programação e o maior uso da tecnologia digital do que qualquer evento internacional anterior.

Daí a saber se será o evento com o maior número de espectadores, é outra história – e uma história que só sera contada no fim dos Jogos, no meio de agosto. Segundo dados da Nielsen, dois terços da população mundial assistiram aos Jogos de Pequim, em 2008. Na ocasião, a empresa anunciou: “É oficial: os Jogos Olímpicos de Pequim atraíram a maior audiência de TV da história”. Foram contabilizados 4,7 bilhões (ou 70% da população mundial) de telespectadores. Em Atenas 2004, este número chegou a 3,9 bilhões; e a 3,6 bilhões em Sydney 2000.

NBC investe pesado

Nos EUA, a NBC – que transmitiu quase todos os Jogos desde 1964 – investiu pesado na cobertura deste ano. Foram enviados para Londres 2.800 funcionários. Para se ter uma ideia, a equipe da rede britânica BBC tem 765 pessoas.

De acordo com os organizadores do evento, no total são cerca de 21 mil jornalistas credenciados, na “maior operação de mídia já vista nos Jogos”, ressalta Douglas. O Ofcom, órgão que regula as telecomunicações no Reino Unido, já chamou as Olimpíadas de “o maior evento de mídia na história”, e calcula uma audiência global de mais de 4 bilhões de telespectadores.

Este ano, no entanto, nem todo mundo pretende assistir às competições na TV. Muitas pessoas acompanharão os Jogos no computador ou por aparelhos móveis. “Nós vimos que cerca de um quinto dos adultos (no Reino Unido) diz que irá acompanhar a cobertura em diferentes aparelhos online, como tablet e telefone celular – e entre os grupos mais jovens, este número sobe para um terço”, declarou a chefe de pesquisa de mídia do Ofcom, Jane Rumble.

Horário nobre o dia inteiro

Esta também será a primeira vez em que espectadores no Reino Unido e nos EUA poderão assistir a todos os eventos olímpicos ao vivo, seja por canais extras de TV ou por transmissão online. Segundo o Wall Street Journal [14/7], de olho na mudança de comportamento dos telespectadores, os executivos da NBC abandonaram a “velha fórmula” de guardar os grandes eventos para o horário nobre. “Em vez disso, todos os eventos olímpicos estarão disponíveis online para assinantes de cabo e satélite, que poderão selecioná-los em um menu no site NBC Olympics”.

A rede americana pagou pelos direitos de transmissão dos Jogos de Londres e dos Jogos de Inverno de 2010 cerca de 2 bilhões de dólares. Agora, espera que as Olimpíadas de 2012 se tornem “o maior evento midiático da história” não apenas no tamanho da cobertura, mas, principalmente, no tamanho do público.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem