Sexta-feira, 25 de Maio de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº988
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > DIREITO À INFORMAÇÃO

Fundação servirá como canal de doações para Wikileaks

24/12/2012 na edição 726
Tradução: Rodrigo Neves (edição de Larriza Thurler)

Um grupo que reivindica maior transparência governamental fundou uma organização sem fins lucrativos para servir como canal de financiamento de projetos como o Wikileaks. A Freedom of the Press Foundation tem como objetivo isolar as pressões políticas e comerciais contra iniciativas pró-transparência.

Entre os membros estão Daniel Ellsberg, famoso por vazar documentos secretos sobre as relações do Pentágono com a Guerra do Vietnã; Glenn Greenwald, jornalista do The Guardian; John Perry Barlow, fundador de uma organização pelo direito de acesso à internet; Xeni Jardin, do site Boing Boing; e o ator John Cusack, ativista contra a falta de transparência governamental. “Nós acreditamos em abertura governamental, em transparência. Não achamos que o WikiLeaks deva sofrer sozinho”, disse Barlow. “Nós esperamos ajudar outras iniciativas semelhantes, organizações que podem exercer uma importante função jornalística”.

Segundo Ellsberg, o futuro do WikiLeaks era incerto com 95% de suas doações bloqueadas. Ele espera que a fundação possa assegurar a sobrevivência do site. “O WikiLeaks não é perfeito, mas mesmo com todos os seus erros ele exerce uma função necessária ao expor uma administração em que falta transparência”.

O WikiLeaks foi duramente criticado por membros do governo dos EUA ao vazar milhares de seus documentos secretos em novembro de 2010. Logo depois, as empresas Visa, MasterCard e PayPal bloquearam as transações financeiras do site. Em uma declaração, a MasterCard disse que suas regras “proíbem seus usuários de facilitar ações ilegais, direta ou indiretamente”.

Julian Assange, fundador do WikiLeaks, denunciou as empresas como “instrumentos da política externa dos EUA”. Em 2011, ele foi obrigado a suspender a publicação de documentos por causa das dificuldades financeiras. “O bloqueio aos fundos do WikiLeaks ocorreu sem nenhum procedimento legal”, diz Trevor Timm, um dos fundadores do Freedom of the Press Foundation. “Através do financiamento coletivo de diversas iniciativas, nós podermos prevenir esse tipo de censura comercial”.

A fundação criou um site que permitirá visitantes doarem anonimamente para vários projetos jornalísticos e investigativos. Ao aceitar doações para mais de uma organização, o site espera prevenir ataques individuais. Além do WikiLeaks, o site aceitará doações para o MuckRock News, que serve como guia para pessoas requisitarem informações governamentais; o UpTake, site de jornalismo cidadão que produz vídeos; e o National Security Archive, que arquiva documentos governamentais revelados. Existirá uma lista rotativa de organizações a serem financiadas. Informações de David Carr [New York Times, 16/12/12].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem