Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

MONITOR DA IMPRENSA > CHINA

Editor rebaixado por entrevista com Obama

15/12/2009 na edição 568

Xiang Xi, principal editor do semanário chinês Southern Weekly, foi rebaixado do cargo depois de entrevistar o presidente dos EUA, Barack Obama. Censores do Partido Comunista teriam ficado irritados com a matéria. Xi, que entrevistou o líder americano durante sua visita ao país, em novembro, foi renomeado editor-chefe ‘executivo’, e passou a responder a um novo editor-chefe. Segundo três funcionários do jornal, que falaram à agência Reuters em condição de anonimidade, a mudança ocorreu por pressão do departamento de propaganda do Partido.

O Southern Weekly é um dos mais populares e combativos jornais chineses, e costuma publicar reportagens investigativas e denúncias de corrupção. Como ocorre com o resto da mídia do país, seu conteúdo deve passar pelos critérios de controle do governo, mas, como fica situado na província de Guandong, distante de Pequim, costuma ser mais ousado do que as publicações da capital.

Durante sua viagem à China, Obama preferiu ser entrevistado pelo semanário do que, como costuma ocorrer com outros líderes estrangeiros, pela TV estatal. A Casa Branca solicitou que a entrevista do presidente fosse feita pelo jornal, e a decisão foi aprovada pelo Ministério das Relações Exteriores da China – ou seja, não passou pelo departamento de propaganda oficial.

Quando souberam que a entrevista ocorreria, censores do governo criticaram a atitude do jornal, restringiram as questões que poderiam ser feitas e fizeram cortes na transcrição aprovada para publicação horas antes de sua impressão. Desta forma, apenas uma versão curta da entrevista foi publicada na edição de 19 de novembro, e editores de outros jornais chineses foram alertados de que não deveriam republicá-la.

As duas páginas do Southern Weekly que continham a entrevista apareceram ao lado de espaços em branco – tradição dos jornais do país para indicar que houve censura. Os censores ainda teriam proibido o jornal de publicar um bilhete escrito por Obama sobre a importância da liberdade de imprensa.

Durante a visita, o presidente falou publicamente sobre censura e direitos humanos e teve um encontro com estudantes em Xangai, que foi exibido apenas na TV local. Em um encontro entre Obama e o presidente chinês, Hu Jintao, o governo não permitiu que repórteres fizessem perguntas. Informações de Chris Buckley [Reuters, 13/12/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem