Domingo, 16 de Dezembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1017
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Etiópia prende 11 jornalistas

12/07/2005 na edição 337

O governo da Etiópia segue reprimindo a imprensa após as denúncias de irregularidades na eleição nacional do mês passado e os violentos protestos populares que o pleito desencadeou. Onze jornalistas foram presos na semana passada e outros cinco tiveram credenciais cassadas. As autoridades começaram prendendo seis editores porque noticiaram que um grupo de oito pilotos da Força Aérea haviam pedido asilo quando estavam em treinamento na Bielorrússia, após saberem dos confrontos que ocorriam por causa da eleição. Depois foram detidos mais cinco editores por terem denunciado a violência policial contra os manifestantes. Somente no dia 8/6, foram mortas 39 pessoas. Os cinco repórteres locais que perderam suas credenciais trabalhavam para a Voz da América e para a Deutsche Welle. Com informações da AFP [5/7/05].



Dissidente iraniano segue em greve de fome

Segue em greve de fome o jornalista dissidente iraniano Akbar Ganji, autor do livro A Eminência Vermelha, em que acusa o ex-presidente aiatolá Akbar Hashemi Rafsanjani de haver autorizado uma série de assassinatos de intelectuais no fim da década de 90. Ele publicou num sítio político um manifesto em que chama o governo do Irã de ‘estalinista’ e ‘mentiroso’. Antes da recente eleição presidencial, vencida pelo conservador Mahmoud Ahmadinejad, o jornalista pregava um boicote por parte dos eleitores, por não aceitar o direito do Conselho Guardião da Revolução Islâmica, um grupo de clérigos não-eleitos, de vetar o vencedor. Como informa The New York Sun [5/7/05], organizações internacionais de defesa da liberdade de expressão e o departamento de Estado dos EUA pedem a libertação de Ganji.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem