Sábado, 22 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > REVISTAS

EUA tiveram mais de 1.000 títulos novos em 2004

11/01/2005 na edição 311

O professor libanês de Jornalismo Samir Husni é conhecido como Mister Magazine (‘senhor revista’) porque acompanha o lançamento de todas as revistas lançadas nos EUA, país onde está radicado desde 1978. Em entrevista a Myrna Blyth, do New York Sun [5/1/05], ele comentou o bom desempenho do mercado editorial americano em 2004. Ao todo, observou, podem ter sido lançados mais de 1.000 títulos no ano passado, o maior número desde 1998. ‘Há anos não vemos tamanha vitalidade, especialmente entre as grandes companhias’. Ele chama atenção especial para a maior delas, a Time, que colocou quatro novos títulos no mercado, entre eles a All You, publicação para o público feminino com venda exclusiva na rede de supermercados Wal Mart.

Husni destaca também o relançamento da lendária Life, que atualmente circula como suplemento de diversos jornais. O professor diz esperar que haja anunciantes para cobrir os gastos da circulação nacional de 12 milhões de exemplares. O normal para novas publicações é um patamar de 500 mil exemplares por edição. Outro destaque positivo do acadêmico, que publica todo ano um guia de revistas novas, é Cargo, da Conde Nast, revista que parece ter provado que os homens não gostam de sair para fazer compras, mas se interessam por consumo. Bauer, uma editora alemã com filial em Nova Jersey, é mais uma companhia que merece menção de destaque em 2004, segundo Husni. Com diferentes títulos femininos e de celebridades, ela tem crescido sem se preocupar tanto com a obtenção de anunciantes, mas sim de leitores – ao contrário do que fazem as editoras de Nova York, criticadas pelo professor por estarem distantes da realidade de seus leitores.

Apesar de as grandes companhias terem lançado muitos títulos novos, a maioria das revistas ainda é criada por empreendedores que acham que têm uma grande idéia e que podem vender o título após algum tempo. ‘Demora quatro anos para que uma revista tenha valor. E é necessário gastar US$ 1 milhão no primeiro ano sem entrar um centavo sequer’, adverte Husni. As iniciativas de empreendedores acabam dando origem a publicações bastante segmentadas. ‘Você acredita que há uma revista chamada Horses in Art?’, pergunta o professor, explicando que ela é especializada em arte eqüestre.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem