Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1063
Menu

ENTRE ASPAS >

Extrema direita dos EUA critica popularização da Copa

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 17/06/2010 na edição 594


Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


O Estado de S. Paulo


Quarta-feira, 16 de junho de 2010


 


COPA


Patricia Campos Mello


Copa é alvo da extrema direita dos Estados Unidos


‘A Copa do Mundo é a mais nova vítima da raivosa extrema direita dos Estados Unidos. Vários comentaristas norte-americanos estão atacando a popularização do esporte no país, dizendo que se trata de uma modalidade esportiva ‘de pobre’, coisa de sul-americano, resultado da crescente influência dos hispânicos no país e ligado às ‘políticas socialistas’ do presidente Barack Obama.


Glenn Beck, o mais famoso comentarista conservador da Fox News, compara o futebol às políticas de Obama. ‘Não importa quantas celebridades o apoiam, quantos bares abrem mais cedo, quantos comerciais de cerveja eles veiculam, nós não queremos a Copa do Mundo, nós não gostamos da Copa do Mundo, não gostamos do futebol e não queremos ter nada a ver com isso’, esbravejou Beck na TV. Segundo ele, o futebol é como o governo atual: ‘O restante do mundo gosta das políticas de Obama, mas nós não.’


Com o bom desempenho do time norte-americano no jogo contra a Inglaterra no sábado, os tradicionais fãs de beisebol e futebol americano estão mais entusiasmados com a Copa do Mundo. Mas isso é resultado de uma ‘conspiração da esquerda’, dizem os conservadores. ‘Futebol é um jogo de pobre’, afirma o analista conservador Dan Gainor, do Media Research Center.


‘A esquerda está impondo o ensino de futebol nas escolas americanas, porque a América está se ?amarronzando?’, afirmou, em referência ao aumento do número de hispânicos no país. Para Matthew Philbin, do centro de pesquisas de direita Culture and Media Institute, ‘a mídia liberal sempre se sentiu desconfortável com o fato de sermos únicos entre as nações, sermos líderes; e os esquerdistas são contra nossa rejeição ao futebol, da mesma maneira que são contra nossa rejeição ao socialismo’.


O radialista Mark Belling foi além, ‘eles nos estão enfiando futebol goela abaixo’, disse Belling no programa de rádio de Rush Limbaugh, ouvido por 20 milhões de norte-americanos. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.’


 


 


Site da Fifa já recebeu mais visitas do que em toda a Copa de 2006


‘O site oficial da Fifa recebeu quase 53 milhões de visitas nas duas primeiras semanas de junho, cinco milhões a mais do que todas as efetuadas durante a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.


Apenas nesta terça-feira, 15, quando o Brasil estreou neste Mundial com uma vitória por 2 a 1 sobre a Coreia do Norte, dez milhões de usuários visitaram 265 milhões de páginas no site da Fifa, segundo dados da própria organização.


O recorde anterior para um só dia foi estabeleceu em 22 de junho de 2006, quando a Itália venceu a República Tcheca por 2 a 0 na partida que garantiu a classificação da Azzurra para as oitavas de final da Copa da Alemanha, com 250 milhões de páginas da Fifa visitadas.


Até agora, a fotografia mais acessada no site da Fifa é a do capitão italiano Fabio Cannavaro levantando a taça do Mundial de 2006.’


 


 


TELEVISÃO


Diego Zanchetta


Câmara recua e mantém jogos de futebol em São Paulo às 21h50


‘Dois meses depois de criar um projeto que vetava os jogos de futebol em São Paulo após as 21h15, a Câmara Municipal recuou e manteve hoje o veto à proposta feita pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM).


Inicialmente favorável à redução do horário, o vereador Antonio Goulart (PMDB) mudou de posição nas últimas semanas e foi favorável ao veto do Executivo. A votação foi realizada às 16h14 desta quarta-feira, 16.


Ao todo, 37 vereadores votaram pela manutenção dos jogos às 21h50, e cinco foram favoráveis à proposta que proibia as partidas depois das 21h15. O diretor de futebol do São Paulo, Marco Aurélio Cunha, foi um dos que votaram pelos jogos serem realizados mais cedo.


A Globo Esportes e a Federação Paulista de Futebol (FPF) eram contra a proposta que adiantava o horário dos jogos. A mudança entrava em conflito com a grade de programação da emissora. Para cumprir os contratos com a tevê, o presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, havia ameaçado transferir as partidas da capital para o interior paulista.


CRONOLOGIA


22/2: Projeto de lei 564/06 é aprovado em primeira votação;


9/3: Câmara promove uma audiência pública para discutir o projeto com os interessados;


10/3: Projeto é aprovado em segunda e última votação;


23/3: Legislativo realiza uma segunda audiência pública, para tentar entrar em acordo com as partes;


1/4: Prefeito veta o projeto;


16/6: Câmara recua e segue veto.’


 


 


Patrícia Villalba


‘Uma Rosa’ bate ‘Ribeirão do Tempo’


‘Não deve demorar muito para que o esnobe empresário francês Claude comece a mostrar que a mocinha Serafina Rosa o conquistou na novela Uma Rosa com Amor, do SBT. Antes, porém, o casal continua no jogo de gato e rato – que a gente consegue imaginar bem aonde vai dar.


Logo que descobre que Serafina inventou que tem namorado, Claude joga todo o seu charme para cima dela, disposto a se vingar. Mas perde o controle da situação e acaba, de fato, apaixonado, quando percebe, enfim, o quanto ela é encantadora.


As cenas vão ao ar nos próximos capítulos. Apesar de não ter atingido a meta de audiência estabelecida pelo próprio SBT em seu lançamento – de dois dígitos -, a novela de Tiago Santiago chegou à vice-liderança em seu horário (20h15), ultrapassando Ribeirão do Tempo, da Record, na última segunda-feira – marcou 7 pontos, contra 6,5 pontos da terceira colocada.’


 


 


Bianca Balsi


Especial Michael Jackson no GNT


‘A partir deste domingo (20), o canal a cabo GNT começa a exibir uma programação especial para relembrar um ano da morte do astro do pop Michael Jackson.


A programação começa domingo, às 19h, com o filme’O mágico inesquecível’, versão de ‘O mágico de OZ’ com Diana Ross e Michael no papel do Espantalho.


Os programas ‘Manhattan connection’ e ‘Happy hour’, dos dias 20 e 21, também serão dedicados ao Rei do Pop.’


 


 


INTERNET


Brasil é lider em uso de redes sociais


‘Os brasileiros junto com os italianos e espanhóis são os internautas que passam mais tempo conectados às redes sociais e aos blogs, ao menos é o que mostram os dados de abril divulgados pela empresa especializada em internet Nielsen.


O estudo reflete um aumento de 24% nas visitas às redes sociais durante o último ano e afirma que a expansão e a presença das redes sociais e blogs é uma tendência irreversível. Pela primeira vez, os internautas dedicam às redes sociais uma de cada quatro horas que passam conectados a internet, 66% mais que um ano atrás.


No Brasil, 86% dos internautas estão conectados a redes sociais sendo que em abril cada brasileiro dedicou, em média, mais de cinco horas a esses tipos de sites.


Parte dessa popularidade se deve ao Orkut. Criado em 2004, em setembro de 2005 metade dos usuários do site já era brasileira.


Mas os espanhóis também não ficam atrás, com 77% de usuários conectados a este tipo de páginas e perdem apenas para os italianos, com 78%.


Na Itália, o Facebook é um dos sites mais visitados. A rede social é, inclusive, mais popular que nos mercados de língua inglesa — Austrália, Reino Unido e Estados Unidos -, ao contar com 66% de usuários ativos, contra 63% do primeiro e 62% dos dois outros países.


Só a Austrália supera a Itália no tempo em que seus internautas passam no site, com sete horas e 45 minutos em média frente às sete horas do país europeu.


Na Espanha, o Facebook ganhou 57% dos usuários, atrás do Reino Unido e com a mesma percentagem da França.


Apesar de sua expansão em muitos países europeus e de língua inglesa, o Facebook tem dificuldade para penetrar no Japão, onde só conta com 3% de usuários.


Quanto aos sites da internet mais populares, o Google se mantém no topo, com 82% de visitantes, onde o usuário passou de uma hora e meia a 21 minutos em abril.


Em segundo lugar, ficou o conjunto de buscadores e portais da Microsoft, (MSN, WindowsLive e Bing), com 62%, que superou o Facebook (54%) e o Yahoo! (53%).


Apesar de seu terceiro lugar em popularidade, a rede social Facebook foi o site em que os internautas de todos os países passaram mais tempo, em média seis horas por pessoa.’


 


 


Ana Freitas


Marketing de guerrilha


‘Não faz muito tempo, as marcas perceberam o potencial da capacidade de propagação de informação da internet. Desde então, muitas delas têm tentado criar conteúdos que viralizem — contratando até agências de publicidade para tentar o desafio.


Algumas coisas funcionam: as honestas, quase sempre. Quem tenta fazer viral publicitário com cara de conteúdo amador, ou então planta gente para tentar viralizar conteúdo, acaba sendo alvo de piada e é malvisto entre os internautas.


A agência Espalhe, especializada em marketing de guerrilha, tem tido sucesso nesse tipo de iniciativa. Ações do tipo têm como objetivo criar situações inusitadas, que gerem boca-a-boca espontâneo do consumidor.


A última da Espalhe divulgava um novo programa em um canal de ciência, e para isso pendurou um viciado em body modification pelos piercings — a chamada suspensão — em plena avenida Paulista, no meio da tarde. Além de tweets e falação, a agência conseguiu destaques na capa de pelo menos quatro grandes portais de notícias.


‘A característica comum (dos conteúdos que são viralizados) é a surpresa’, explica Wagner Martins, sócio da agência e conhecido como Mr. Manson — seu nickname no site de humor em que começou, o Cocadaboa.com. De acordo com ele, o mecanismo que nos faz passar para frente um conteúdo interessante é semelhante a aquele responsável pelo humor, e que torna algo engraçado para nós. ‘Não precisa necessariamente ser engraçadinho para ser viral, mas precisa causar o mesmo espanto. Quando nós somos apresentados para uma situação dessa, nosso comportamento social é passar isso para frente’, diz.


Ele explica que uma das técnicas que ele emprega na criação de um possível viral é publicar informações que sejam incoerentes, contraditórias. ‘Passei anos criando boatos no Cocadaboa. Quando você reúne algo contraditório, a coisa se espalha. É como o trote do traficante que apoiava o desarmamento: era contraditória, inesperado. Viralizou’.


A Espalhe e outras agências do gênero assumem um princípio interessante na produção de conteúdo institucional. ‘Para o marketing de guerrilha, se você precisa comprar mídia (para aparecer), está assumindo que não é interessante. Você está pagando alguém que já conquistou a atenção das pessoas com algo interessante que eles produzem e comprando o espaço. Nós encaramos propaganda como conteúdo’, explica Martins.


Com cada vez mais empresas buscando esse tipo de divulgação — mais orgânica, natural, e até mais barata –, está chegando o tempo em que as marcas vão competir com os usuários na produção de conteúdo na web. E isso cria um problema: muitas vezes as instituições se identificam como tal. Outras vezes, elas querem passar despercebidas no público, como quando uma empresa tenta plantar um Trending Topic no Twitter. E isso pode subverter o conceito de Trending Topic e inutilizar esse tipo de ferramenta, até que medições mais precisas sejam criadas.’


 


 


 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 16 de junho de 2010


 


COPA


Rodrigo Mattos


Propaganda irregular em estádio irrita Fifa


‘A Fifa vai estudar ações legais contra a cervejaria holandesa Bavaria por ter feito uma suposta tentativa de marketing de emboscada durante o jogo entre Holanda e Dinamarca, anteontem, no estádio Soccer City.


Antes do jogo, 36 mulheres vestidas de laranja estavam dentro da arena na primeira fila. Era uma promoção da marca de cerveja do país europeu, em campanha relacionada ao Mundial.


Cerca de 40 seguranças as tiraram da arquibancada.


Segundo a Fifa, as mulheres foram retiradas de seus lugares, levadas a um escritório dentro do estádio e liberadas logo em seguida.


‘Não houve prisão, o que aconteceu foi uma tentativa de marketing de emboscada. Pedimos detalhes sobre elas. Ninguém foi detido. Vamos tomar ações sobre isso’, afirmou o diretor de comunicação da Fifa, Nicolas Maingot.


‘Eles disseram que nos prenderiam. E ficaríamos na cadeia por seis meses. As garotas começaram a chorar’, contou uma das loiras, identificada como Barbara Kastein ao jornal ‘The Star’, um dos maiores da África do Sul.


O país aprovou recentemente uma lei para criar uma zona de exclusão em volta dos estádios da Copa. Assim, não poderia haver concorrentes dos patrocinadores da Fifa e até mesmo camelôs.


A Budweiser é uma das parceiras comerciais do Mundial. Mas a ação da Bavaria parece ter dado certo.


Na internet, todas as citações sobre o jogo contra os dinamarqueses remetiam à promoção com as loiras no Soccer City.’


 


 


Marcos Augusto Gonçalves


Dunga, será que a vitória magra foi culpa da TV e da imprensa?


‘Na madrugada, véspera do jogo, estava lá ligado na ESPN Brasil, ouvindo o André Kfouri contar que o confronto de gigantes de ontem não seria transmitido ao vivo para a Coreia do Norte.


O povo emancipado pelo comunismo irreal daquela nação só veria a partida em videoteipe (epa!) a depender do resultado e dos humores dos poderosos locais, que mandam mais do que o sr. Ricardo Teixeira na CBF, se é que isso é possível.


O ‘Amigão’, no ‘Sportcenter’, comentou certeiro: ‘Que tristeza’. É verdade. Mas devo dizer que pelo menos por 45 minutos tive inveja dos nossos rivais. Adoraria não ter visto aquilo! Diante do que a seleção jogou, não dá nem pra criticar a TV.


Não está bom, disse Casão no intervalo, insistindo que o Brasil não precisava golear, mas de uma vitória com autoridade. Não conseguiu. E não foi culpa nem da imprensa, nem da TV, certo Dunga?’


 


 


Gustavo Villas Boas


Crítica a Galvão Bueno na Copa vira falso single da Lady Gaga


‘‘CALA BOCA GALVAO’, o grito, assim mesmo, em letras maiúsculas, foi repetido milhares de vezes na abertura da Copa, no Twitter. Virou o tópico mais discutido do site no mundo.


Como acontece nos grandes eventos, os internautas acompanham com comentários simultâneos no Twitter a transmissão na TV. Com o segundo maior número de cadastrados, os brasileiros jogaram luz sobre o narrador.


Desde então, até o fechamento desta edição, as palavras ficaram no topo do ranking e despertaram a curiosidade dos estrangeiros: qual o significado das palavras?


‘É o nome do novo single da Lady Gaga’, explicavam gaiatos brasileiros, que apontavam para uma página da internet com a letra da música, que é, aqui e ali, interpretada em vídeos.


Outra versão conta que esse é o slogan de uma campanha para salvar uma ave em extinção, o galvão. Um filme em inglês sobre a iniciativa, ‘Save Galvao Birds’, teve mais de 200 mil visualizações em dois dias, divulgado por uma falsa Galvao Bird’s Foundation.


Uma loja on-line criou e vende uma camiseta -de verdade- com a mensagem.


E, para provar que a coisa (não) é séria, até o escritor Paulo Coelho comentou: é um nome para a homeopatia, ‘SILENTIUM GALVANUS’.’


 


 


Twitter, Google e Firefox criam páginas especiais para a Copa


‘O Twitter inaugurou uma página especial para a Copa do Mundo (twitter.com/worldcup) que permite acompanhar tuítes em tempo real sobre as partidas.


Além disso, o serviço de microblog criou hashtags (palavras especiais transformadas em links) temáticas que fazem aparecer nos tuítes bandeirinhas dos países participantes e bolinhas de futebol (#worldcup).


Para fazer surgir a bandeira do Brasil, por exemplo, basta escrever #bra.


Outros exemplos: Argentina é #arg, Inglaterra é #eng, França é #fra, Alemanha é #ger e Itália é #ita.


Na página especial, é possível acompanhar os posts escritos durante os jogos e ver alguns dos tuítes mais populares sobre a Copa.


O Twitter oferece ainda dicas de perfis de jogadores, de equipes e de fontes de notícia sobre o evento.


GOOGLE E FIREFOX


Também em ritmo de Copa, o Google traz resultados de jogos recentes e informações sobre as próximas partidas quando se busca a expressão ‘Copa do Mundo’.


Além disso, os links no rodapé para as páginas de resultado de busca, que trazem a expressão ‘Gooooogle’, mudaram temporariamente para ‘Goooool’.


Já a Mozilla está promovendo a Copa Firefox (www. firefoxcup.com), em que você pode personalizar seu navegador com o tema do país de sua preferência na Copa do Mundo.


O vencedor da Copa Firefox será o país cujos usuários mais ‘vestirem’ o tema.


Até a conclusão desta edição, o Brasil estava em primeiro lugar, seguido pela Argentina.’


 


 


VENEZUELA


Flávia Marreiro


‘Intolerância de Chávez silencia mídia’


‘A intolerância do governo Chávez às críticas se reflete no uso do código penal para silenciar jornalistas críticos.


A declaração é de Catalina Botero, relatora especial para a Liberdade de Expressão da CIDH (Comissão Interamericana de Direitos Humanos), da OEA (Organização dos Estados Americanos). À Folha ela diz que não recebeu resposta à nota que enviou ao governo, criticando a condenação de um jornalista a três anos de prisão e a ordem de detenção do dono da TV oposicionista Globovisión, Guillermo Zuloaga.


Botero deve tratar o tema hoje na apresentação que fará ante a Subcomissão de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes dos EUA. Chávez costuma dizer que a comissão é parcial e repetiu a crítica na entrevista ao programa HardTalk, da BBC de Londres. Suas críticas à OEA e as respostas às incômodas perguntas do jornalista britânico foram repetidas várias vezes ontem na Globovisión.


Folha – Na nota enviada ao governo Chávez, a comissão faz pontuações específicas. Receberam alguma resposta?


Catalina Botero – Esperamos que o Estado nos envie a informação que solicitamos. Há a oferta de que trabalhemos juntos para superar os problemas. Não recebemos resposta. É com espírito construtivo que fazemos as pontuações específicas.


A comissão espera que as restrições à liberdade de expressão piorem com a proximidade das eleições legislativas?


Como a comissão disse em seu último informe, a situação é muito grave. A existência de um marco jurídico inadequado, a intolerância do Executivo às críticas da dissidência e a falta de independência e autonomia do Poder Judiciário constituem importantes debilidades à democracia venezuelana e comprometem de modo sensível o direito de liberdade de expressão.


A nota também fala da condenação à prisão de um jornalista que escreveu uma coluna sobre suposto ato de corrupção de um chavista.


Hoje em dia não é raro que se use o direito penal para silenciar jornalistas críticos ou dissidentes políticos. Parece que as autoridades se esqueceram que um importante valor para uma democracia vigorosa é a existência de um debate aberto, plural e sem inibições sobre todos os assuntos públicos, ainda que ele seja incômodo ou perturbador para uma parte da sociedade.


Chávez afirma que não há país mais democrático que a Venezuela’


 


 


ELEIÇÕES


Catia Seabra e Breno Costa


Após ataques, Serra abranda tom na TV


‘O candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, optou por um discurso sereno, mais emotivo e pouco técnico, no primeiro de quatro dias de inserções do partido em rádio e TV programadas até o fim do mês.


Ele foi o protagonista solitário dos 30 segundos de cada um dos dois modelos de inserção veiculados ontem à noite. Outras 30 ainda serão exibidas nos dia 22, 26 e 29, sempre dez por noite, em rede nacional.


Na TV, Serra falou sobre saúde, em uma das inserções, e sobre seu modo de administrar, na outra. Ao final, um locutor disse: ‘A experiência garante o avanço’, uma menção a um dos eixos a partir do qual ele tenta se diferenciar da candidata petista, Dilma Rousseff.


Em ambas as inserções, o ponto comum foi a citação às ‘famílias’ e às ‘pessoas’. Na propaganda focada na saúde, área da qual já foi ministro, o candidato disse que o governo deve ter, ‘acima de tudo, cuidado com as pessoas, com as famílias’.


Na outra propaganda, o mesmo tom, ao afirmar que o governante deve ‘melhorar a vida das pessoas, das famílias, no seu dia-a-dia’. Nesse mesmo bloco, disse: ‘Esse é o meu jeito. Como eu sempre fiz. Do fundo do meu coração, é nisso que eu acredito’.


No rádio, suas palavras foram introduzidas como ‘um convite de José Serra, do PSDB’. Ao fim, um breve jingle: ‘Quem compara não tem comparação’.


COMPORTADAS


As inserções foram classificadas como ‘supercomportadas’ até pelo comitê de Serra. Segundo integrantes da campanha, as próximas ficarão mais ousadas na defesa da candidatura.


As de ontem, que contrastam também com o tom agressivo usado por Serra no lançamento de sua candidatura, no último sábado, foram mais contidas para evitar que o PT entre na Justiça para suspender a veiculação do programa do PSDB, previsto para amanhã.


Sob a orientação do coordenador de comunicação da campanha, Luiz Gonzalez, já foram produzidos filmes mais criativos, sem a presença do candidato. Mas só nas inserções após o programa de amanhã Serra será apresentado mais explicitamente como candidato.


Todos os comerciais foram submetidos a pesquisas qualitativas, duas vezes, em dez Estados. Os melhores para a estratégia de consolidação da imagem de Serra são os protagonizados por ele.’


 


 


TELEVISÃO


Andréa Michael


Narração de jogos da Copa no SporTV é feita do Brasil


‘O SporTV, canal de TV por assinatura especializado na cobertura esportiva, vai narrar jogos da Copa daqui do Brasil. Aconteceu, por exemplo, com a partida entre Eslovênia e Argélia, no último domingo, com Jota Jr.


Nos instantes iniciais da partida, aliás, o narrador se referiu a um time como se fosse o outro. Pode ter ajudado na confusão do profissional o fato de as duas seleções terem entrado em campo com agasalho branco.


Já feito o estrago, Jota Jr. conseguiu colocar as coisas no lugar: falou em voz alta que a Eslovênia estava de verde e a Argélia de branco. Talvez um recado para si mesmo… e o jogo seguiu -com vitória dos eslovenos por 1 X 0.


Questionado sobre a narração feita diretamente do Brasil, o SporTV respondeu, por meio de sua assessoria de imprensa, que ‘alguns jogos são narrados off tube por Jota Jr. e Lucas Pereira’.


Informou também que as principais partidas serão narradas da África por Milton Leite e Luiz Carlos Júnior.


O SporTV está transmitindo a Copa por três canais. Um quarto será disponibilizado se houver disputas simultâneas.


Também em operação para TV paga, o ESPN vai narrar todos os seus jogos da África. Dois profissionais ficaram no Brasil, mas para uma emergência.


Secador 1 Depois que terminar ‘Ribeirão do Tempo’, Ana Paula Tabalipa vai raspar a cabeça para subir aos palcos em uma peça sobre a ditadura. Abandonará, assim, os dreadlocks que colocou para viver a esportista Iara na trama da Record.


Secador 2 O visual lhe custa quatro horas diárias de preparo, tempo que ela passa secando o cabelo, dread por dread. Além de usar antimofo, também tem de pintar o cabelo a cada 15 dias.


Sofá No ‘Radar Television’ (CNT) de 20/6, Octavio Neto entrevista os humoristas Carioca e Eduardo Sterblitch, na pele dos personagens Amaury Dumbo e Freddy Mercury Prateado, que encarnam no ‘Pânico na TV’ (RedeTV!).


Exportação A uruguaia Teledoce comprou tudo o que a Globo Internacional ofereceu na feira Natpe: ‘Caminho das Índias’, ‘Viver a Vida’, ‘Paraíso’ e ‘Caras&Bocas’, que acaba de estrear na sequência de ‘A Favorita’.


Exclusivo O Universal Channel será o único canal brasileiro por assinatura a cobrir o lançamento de ‘O Mundo Mágico de Harry Potter’, nos EUA. A equipe do programa ‘What’s On’ está pronta para embarcar.


Gincana A TV Univesp grava hoje episódio de ‘Inglês com Música’, no Sesi de Itapetininga. É um programa de auditório com as Escolas Técnicas e as Faculdades de Tecnologia Paula Souza. A apresentação é de Miranda Kassin.’


 


 


INTERNET


A Wikipédia não é mágica, é trabalho duro


‘Na calçada da fama dos ícones da tecnologia, Jimmy Wales tem seu lugar garantido ao lado de personalidades como Bill Gates.


Ele ajudou a fundar a Wikipédia, a enciclopédia gratuita que se baseia na colaboração dos usuários, logo no início dos anos 2000. Tempos em que não existiam sites como o YouTube, o Facebook ou o Twitter. Wales fala amanhã no Info@Trends (info.abril.com. br/infotrends), evento em São Paulo, sobre o poder do conteúdo gerado e moderado pelo usuário.


À Folha, ele falou sobre a fundação da Wikipédia, as falhas e qualidades do site e a série de polêmicas que cerca a enciclopédia colaborativa -da pornografia às tentativas de uso político da ferramenta. Veja trechos da entrevista concedida por e-mail. (AMANDA DEMETRIO)


Folha – Como foi a criação da Wikipédia? Quais fatores do mercado mostraram que vocês estavam na direção certa?


Jimmy Wales – A Wikipédia foi o produto de um projeto anterior, chamado Nupedia, que foi um fracasso. A Nupedia era um projeto baseado em controle e comando, o que não era divertido para os voluntários. Quando eu instalei o software wiki e foi lançada a Wikipédia, nós tivemos mais trabalho feito em duas semanas do que havíamos tido em quase dois anos, no sistema antigo. Naquele momento, eu soube que estávamos lidando com algo grande.


O que mudou no perfil de quem colabora com o site desde a fundação?


Bem pouco! Os colaboradores da Wikipédia geralmente são bem inteligentes, pessoas do tipo geek, com uma paixão por compartilhar seu conhecimento com os outros.


Como você lida com os problemas de conteúdo de cunho sexual ou pornográfico na Wikipédia?


É um assunto bem complexo. De um lado, queremos fornecer informação séria e responsável sobre a sexualidade humana -isso é uma abordagem perfeitamente legítima e educacional. De outro, não queremos nos tornar um lugar no qual as pessoas postam pornografia casualmente. Essa é a parte fácil. A dificuldade está em encontrar um meio-termo, em trabalhar para termos o cunho educacional sem ser banal, especialmente quando nós estamos falando com pessoas de todo o mundo. Existem os lugares que são extremamente liberais sobre sexualidade, como os Estados Unidos e a Europa, e os que são bem conservadores, como a Índia e a China.


Qual sua posição sobre as tentativas de uso político do conteúdo publicado na Wikipédia? Acha certo intervir?


A Wikipédia se esforça para ser neutra. Nós temos uma cultura muito forte de só querer publicar o que é básico e largamente consensual sobre os fatos. E é certo nós intervirmos contra qualquer pessoa que esteja tentando usar a Wikipédia para outro propósito.


Qual é a principal falha da Wikipédia atualmente e como você pretende combatê-la?


Nesse momento, achamos que a usabilidade do software é a principal falha. Algumas vezes, editar a Wikipédia é mais difícil do que deveria ser, por razões técnicas. Queremos que isso se torne tão fácil quanto usar um programa que faz o processamento de palavras. Estamos investindo bastante em tecnologia para fazer isso acontecer.


Qual a principal qualidade da Wikipédia atualmente?


Para mim, a principal qualidade é a paixão da comunidade de querer tornar os fatos corretos. A Wikipédia não é mágica, é resultado de um trabalho duro. Trabalho duro feito por pessoas que realmente se importam em deixar as coisas certas. Sem isso, não há esperança.


A Wikipédia considera serviços como o Yahoo! Respostas concorrentes? Como vocês lidam com isso?


Não, nós nunca pensamos em termos de concorrência. Nós somos uma comunidade fazendo algo que amamos. Eu espero que as pessoas que estão respondendo às perguntas do Yahoo! Respostas estejam se divertindo. Acreditamos que estamos fazendo algo mais importante.


O que pode dizer sobre a nossa Wikipédia em língua portuguesa?


Eu estive várias vezes no Brasil e conheço pessoas da Wikipédia em português. O português sempre foi uma das nossas línguas mais fortes, com muita participação do Brasil. Eu acho que sempre houve uma competição saudável entre a Wikipédia em português e a Wikipédia em espanhol.


Você é uma personalidade do mundo da tecnologia e tem influência sobre as pessoas. Quem você enxerga como concorrente na condição de formador de opinião?


De novo, eu não penso em termos de competição. Não estou tentando acabar com ninguém. Estou apenas tentando fazer algo em que eu acredito e fazer isso bem.’


 


 


News Corp. investe em cobrança on-line


‘A News Corp., o grupo de mídia dono, entre outros, da Fox e do ‘Wall Street Journal’, fez dois novos investimentos com os quais espera aumentar seus ganhos com conteúdo on-line.


Uma das aquisições foi a da Skiff, que ajuda jornais e revistas a oferecerem ‘layouts visualmente atraentes’ para o seu conteúdo em tablets (o iPad, por exemplo), leitores digitais (como o Kindle) e smartphones.


O outro negócio foi a compra de participação no Journalism Online, que desenvolve modelos de cobrança pelo conteúdo on-line de jornais, revistas e outros sites.


Os valores dos investimentos não foram divulgados.


A News Corp., empresa do australiano Rupert Murdoch, tem pregado que os consumidores têm que pagar mais pelo conteúdo que eles leem na internet. A expectativa é que nas próximas semanas ela anuncie um consórcio de publicações que usaria o mesmo sistema de cobrança.


Neste mês, a News Corp. começará a cobrar pela versão on-line do jornal britânico ‘The Times’, e espera-se que outros jornais do grupo adotem a versão paga.


Em outra investida, a News Corp. tentou elevar sua participação na empresa de TV paga BSkyB, em que já detém 39% do controle.


A oferta de aproximadamente US$ 11,5 bilhões pelos 61% restantes do controle foi recusada pela BSkyB, que a considerou muito baixa. Os diretores disseram que o valor da oferta deveria ser aumentado em ao menos 14%.


As ações da BSkyB subiram 19,9% ontem após o anúncio da proposta.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem