Quinta-feira, 21 de Junho de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº992
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > PARA LONGE DO ESCÂNDALO

Filho de Murdoch deixa presidência da News International

Por lgarcia em 29/02/2012 na edição 683

 

James Murdoch, filho do magnata de mídia Rupert Murdoch, deixou a presidência da News International, braço britânico do grupo News Corporation. Com a saída de James, Tom Mockridge, executivo-chefe da News International, passa a reportar a Chase Carey, número dois do grupo. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (29/2) e sugere que a companhia continua a sentir a dura pressão das investigações sobre a prática de grampos telefônicos ilegais e suborno de funcionários públicos nos tabloides News of the World – fechado em julho do ano passado – e The Sun. A saída de James – que já chegou a ser apontado como o principal herdeiro dos negócios do pai – seria um modo de tirar dele o foco e a responsabilidade sobre o escândalo nos jornais britânicos.

Segundo reportagem do Guardian, amigos de James dizem que ele estava aflito para sair de Londres e deixar de ser alvo constante de perguntas sobre o quanto sabia sobre a prática de grampear caixas de mensagens telefônicas de celebridades, políticos e atletas britânicos no News of the World. O tabloide foi fechado depois de vir a público a informação de que o telefone de uma adolescente desaparecida em 2002, e posteriormente encontrada morta, havia sido grampeado por um detetive particular que seguia ordens vindas do jornal.

Ainda que, pelo que se sabe, os grampos tenham ocorrido até 2006, antes da chegada de James à News International, quando ele já era presidente, entre 2009 e 2010, a empresa negou repetidamente que a prática fosse constante – alegava-se que o problema era um caso isolado que envolvia um único repórter.

Liderança

James Murdoch passou a comandar a News International em dezembro de 2007, vindo da companhia de TV por satélite BSkyB, onde atuava como executivo-chefe. Apesar da saída da presidência, ele continua a ocupar o cargo de executivo-chefe das operações da News Corporation na Europa e Ásia. Em declaração, o grupo afirmou que James volta a Nova York.

No mesmo comunicado, Rupert Murdoch elogiou a atuação do filho em Londres. “Somos todos gratos à liderança de James na News International e em toda Europa e Ásia, onde contribuiu para a estratégia do grupo em cobrança por conteúdo digital”, afirmou, ressaltando que, de volta aos EUA, “James continuará a assumir uma variedade de cargos corporativos de liderança essenciais, com foco particularmente em importantes negócios de TV paga e operações internacionais mais amplas”.

Um executivo de mídia ouvido pelo Guardian, não identificado, afirmou que a ideia de que James Murdoch vá assumir em breve alguma parte importante do grupo do pai é ridícula. “Toda essa história dos jornais parece piorar a cada dia que passa. Como alguém pode esperar que ele se comprometa inteiramente com mais alguma coisa?”, questionou.

Na semana passada, a News International lançou o tabloide dominical Sun on Sunday, uma espécie de substituto do News of the World. Alguns dias antes, Rupert Murdoch chegou a Londres para “tranquilizar” a redação do Sun, que teve cinco jornalistas detidos sob acusação de subornar policiais e oficiais de justiça em busca de informações. Com informações de Dan Sabbagh [The Guardian, 29/2/12] e do AdAge [29/2/12].

***

Leia também

O escândalo sem fim

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem