Terça-feira, 16 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1045
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Fotógrafo explica bastidores de foto da New York Mag

Por lgarcia em 07/11/2012 na edição 719

 

A capa escolhida para ilustrar a matéria sobre o furacão Sandy na capa da New York Magazine de sábado (3/11) mostrava a ilha dividida – parte no escuro e parte com energia elétrica. A imagem foi registrada pelo fotógrafo holandês Iwan Baan, a bordo de um helicóptero que balançava, no escuro, a 1,5 km do chão, com uma câmera na mão. Para um ser humano comum, seria um pesadelo; para o fotógrafo, a oportunidade de captar as “duas cidades”. “Era o único modo de mostrar que Nova York era quase duas cidades”, disse. “Uma parecia o terceiro mundo, com tudo escasso e complicado. A outra era a viva e vibrante Nova York”.

Baan tirou a foto na quarta (31/10) à noite, após a tempestade, usando uma usando uma Canon 1D X com lentes 24-70mm, na abertura total. A câmera foi colocada em ISO 25 mil, com 1/40 de exposição em shutter. Segundo o fotógrafo, um dia depois da tempestade era mais difícil alugar um carro do que um helicóptero. Logo após a tempestade, o tráfego aéreo era limitado, o que permitiu que Baan sobrevoasse a uma altitude elevada acima da cidade, uma vantagem poderosa para tirar a foto.

O fotógrafo costuma fotografar de helicópteros uma vez por semana, em média, em todo o mundo. Nunca, entretanto, havia tentado no meio da noite, em um helicóptero que vibrava, com a porta aberta, no escuro, acima de uma cidade devastada por uma tempestade que havia tirado mais de 100 vidas. “Com as fotos aéreas, tiramos muitas imagens para finalmente ter uma. É difícil se lá fora faz muito frio, sem porta, com o helicóptero movendo-se. Mas você trabalha com uma ideia, visualizando a imagem”, contou.

Além de capturar os efeitos de Sandy, a foto acabou reproduzindo a realidade de Nova York nas vésperas das eleições de 2012. “O que me chocou é que, se você olhar na imagem à esquerda, você verá os prédios Goldman Sachs e o novo World Trade Center. Esses dois edifícios estão acesos e brilhantes. O resto de Nova York parece literalmente sem energia. De um modo, também mostra o que está errado com o país nesse momento”. Baan já ganhou prêmios como o Golden Lion e o Julius Shulman Photography Award. Informações de Caitlin Johnston [Poynter, 4/11/12].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem