Terça-feira, 25 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1042
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Fotos forjadas desencadeiam crise em jornal britânico

Por Edição de Leticia Nunes (com Dennis Barbosa) em 15/06/2004 na edição 281

O escândalo sobre as fotos falsas de tortura de prisioneiros iraquianos publicadas pelo Daily Mirror rendeu ao jornal um breve aumento nas vendas, mas desencadeou uma crise em sua imagem.

O editor responsável pela publicação das fotos, Piers Morgan, foi demitido. A procura por um novo editor para o Mirror continua, afirma Owen Gibson [The Guardian, 11/6/04], mas o desafio enfrentado por ele – aumentar drasticamente a circulação do jornal – será grande e está se tornando cada vez mais difícil, depois que as vendas caíram 2,2% apenas em maio.

A controvérsia causada pelas fotos forjadas – uma das quais mostrava um suposto soldado urinando em um prisioneiro encapuzado – prejudicou a saúde financeira do jornal. Fontes de dentro do Mirror disseram que os leitores ‘fugiram’ depois que a história veio à tona no meio de maio.

Apesar de logo de início defender seu editor, pressões feitas pelo governo e pelo exército forçaram o executivo-chefe Sly Bailey e o presidente do conselho do jornal, Victor Blank, a demitir Morgan.

Por enquanto, o editor substituto Des Kelly tem conseguido manter as vendas em um patamar estável. Kelly apostou no uso de uma mistura mais populista para substituir os furos da ‘Era Morgan’. A estratégia, por enquanto, parece ter diminuído o ritmo brusco da queda das vendas. Mas o esforço ainda não é o suficiente: os números atuais mostram que o Mirror perdeu 6% de suas vendas com relação ao mesmo período do ano passado.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem