Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

MONITOR DA IMPRENSA > BRIGA DE TORCIDA

Jornais escoceses furam embargo policial

30/01/2009 na edição 522

Os cinco maiores jornais da Escócia entraram em conflito com a polícia de Manchester, na Inglaterra, ao furar um embargo ao publicar 49 fotografias de homens acusados de envolvimento em uma confusão na final da Copa da Uefa em maio do ano passado. A polícia mapeou os suspeitos em imagens das câmeras de segurança nas ruas onde ocorreram o tumulto e de filmagens feitas na ocasião, e tem como objetivo divulgá-las para que o público possa identificá-los. Havia pedido, entretanto, que os veículos de mídia do Reino Unido esperassem até a meia noite de terça-feira (27/1) antes de publicar a história e as imagens – três horas antes, a BBC transmitiria um programa sobre o tema e a polícia divulgaria em seu próprio sítio as fotos.


O desentendimento começou quando a Sociedade Escocesa de Jornais Diários acusou o departamento policial de má-fé ao tentar dar prioridade ao programa Crimewatch, da BBC. Entende-se que os editores dos cinco jornais que romperam o embargo – Record, Sun, Herald, Daily Mail e Scotsman – agiram em conjunto por conta de seu descontentamento com a decisão da polícia.


Favoritismo


Agora, o departamento resolveu dar um gelo nos jornais que divulgaram as imagens com antecedência, impedindo-os de acompanhar de perto a segunda fase das investigações – uma série de incursões para tentar encontrar as pessoas acusadas de participar da confusão, que deixou diversos torcedores feridos. ‘Quando a polícia decidiu dar tratamento diferenciado a um programa de televisão, arriscou seriamente a cooperação que recebe regularmente de jornais e outros veículos’, afirmou Jim Raeburn, da Sociedade. ‘A polícia deixou que o Crimewatch ditasse as regras. Não há justificativa para tal favoritismo, e dizer que aqueles que quebraram o embargo não poderão acompanhar os policiais nas batidas é algo simplesmente mesquinho’.


A polícia, por sua vez, acusa os jornais de prejudicar a investigação e nega que tenha dado tratamento privilegiado ao programa da BBC. O departamento alegou acreditar que satisfaria a todos os veículos de mídia escoceses ao oferecer aos repórteres acesso às fotografias com dois dias de antecedência, para que pudessem preparar sua cobertura. O objetivo era que a imprensa reportasse uma matéria básica na edição de terça-feira, e veiculasse a história completa no dia seguinte, incluindo os relatos dos detetives e as imagens. ‘Aqueles de vocês que furaram o embargo devem considerar que suas ações prejudicaram uma investigação policial. Solicitações futuras de auxílio serão tratadas de acordo e esta questão será discutida formalmente com seus editores’, declarou a polícia.


O time Glasgow Rangers perdeu a final da Copa da Uefa para o time russo Zenit. Estima-se que 100 mil torcedores da equipe escocesa tenham ido a Manchester acompanhar a partida. Muitos a assistiram de telões colocados do lado de fora do estádio e, como um deles não funcionou, começou a confusão. O tumulto se intensificou com a derrota do Rangers, os torcedores entraram em confronto com a polícia e um torcedor russo chegou a ser esfaqueado. Informações de Severin Carrell e Helen Carter [Guardian.co.uk, 28/1/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem