Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > TELETIPO

Jornalista chinês condenado por propina

12/01/2010 na edição 572

O jornalista chinês Li Junqi, diretor da sucursal de Hebei do jornal Farmers’ Daily, foi condenado a 16 anos de prisão por aceitar propina para ajudar a esconder um acidente em uma mina de carvão pouco antes dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Junqi foi o primeiro a receber sentença de uma lista de mais de 50 oficiais locais e jornalistas. Funcionários da mina na província de Hebei foram acusados de esconder os corpos, destruir as evidências e pagar jornalistas no valor de US$ 380 mil para que eles não divulgassem a explosão, ocorrida em julho de 2008, na qual 34 mineiros e profissionais de resgate foram mortos. Durante três meses, nada foi publicado na mídia. A explosão aconteceu três semanas antes do início das Olimpíadas. Informações da AP [7/1/10].

 

Espanha vota projeto de lei antipirataria

O governo espanhol aprovou, na semana passada, um plano antipirataria na internet. Sites que oferecem download ilegal de músicas e filmes poderão ser fechados por meio de um processo judicial de rápida tramitação caso se recusem a parar de fazê-lo. O ministro da Justiça, Francisco Caamano, afirmou que o plano irá criar uma comissão de especialistas para receber reclamações contra sites suspeitos. Este grupo poderá chamar um juiz, que terá quatro dias para ouvir argumentos das partes envolvidas antes da determinação. A medida tem o objetivo de acalmar grupos da indústria do entretenimento que alegam estar perdendo milhões de dólares por conta da pirataria de material protegido na internet. Informações da AP [8/1/10].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem