Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

MONITOR DA IMPRENSA > ÁFRICA DO SUL

Jornalista detido por denúncia falsa de bomba

08/12/2009 na edição 567

Um fotógrafo alemão de 68 anos foi preso por criar um boato de ameaça de bomba do lado de fora onde eram sorteadas as chaves da Copa do Mundo de 2010, na semana passada, no Centro de Convenções Internacional da Cidade do Cabo, na África do Sul. Segundo o superintendente de polícia local, Vish Naidoo, o homem foi mantido sob custódia e intimado a comparecer à corte da Cidade do Cabo – só então sua identidade será revelada. Também não foi divulgada a empresa empregadora do fotógrafo, embora Naidoo tenha mencionado que seria uma ‘agência’.

Cachorros e uma unidade antibombas foram deslocados para o local e a entrada principal usada por jornalistas foi bloqueada. Após uma hora, quando a polícia se certificou de que não havia perigo, as pessoas puderam entrar no edifício. Esta foi a segunda prisão por denúncias falsas de bomba. Na primeira, a polícia deteve um sul-africano que fez dois telefonemas para informar que uma bomba havia sido colocada no aeroporto, onde a segurança é alta.

Fazer uma denúncia falsa de bomba é uma séria ‘ofensa criminal’. O jornalista pode ser condenado à prisão, disse Naidoo. ‘Nestes tipos de eventos, encontramos ameaças que não são verídicas, mas temos que lidar com todas com a maior seriedade’. Nenhum outro incidente foi reportado durante o evento.

A África do Sul tenta mostrar que pode lidar com questões de segurança e assegurar que as altas taxas de crimes do país não irão atrapalhar a Copa do Mundo. Organizadores do evento esportivo informaram que foram contratados mais de 140 mil policiais extras, com 100 mil de cadastro de reserva. Informações de Celean Jacobson [Associated Press, 4/12/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem