Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > CASO HATFILL

Jornalista multada por não revelar fonte

21/02/2008 na edição 473

A justiça americana acusou a jornalista Toni Locy, ex-repórter do jornal USA Today, de desacato por se recusar a identificar fontes confidenciais que falaram com ela sobre os ataques com antraz nos EUA, em 2001. Toni enfrentará multa de até US$ 5 mil, imposta pelo juiz Reggie B. Walton, para cada dia que se recusar a colaborar com a justiça. O juiz afirmou que decidiria, nos próximos dias, se também acusaria o jornalista Jim Stewart, da CBS News, de desacato.


Os dois jornalistas estão sendo pressionados para revelar fontes com quem conversaram sobre o cientista Steven Hatfill, que na época dos ataques trabalhava como especialista em bioterrorismo do Exército dos EUA. Hatfill processa o Departamento de Justiça americano e o FBI por ter tido seu nome citado na mídia como suspeito dos ataques com correspondências infectadas pela bactéria – que mataram cinco pessoas e permanecem sem solução. O cientista tenta descobrir quem vazou informações a seu respeito para a imprensa.


‘Cooperação’


O juiz considera que a cooperação dos repórteres é importante para ajudar o cientista em sua ação contra o governo, mas ativistas pelo direito de liberdade de imprensa e confidencialidade de fontes alegam que as investidas da justiça prejudicam o trabalho dos jornalistas. ‘Toni Locy está sendo punida por ter feito o que os repórteres devem fazer: garantir que informações relevantes sobre uma investigação governamental relacionada a uma grande ameaça à saúde pública cheguem a público’, afirma Lucy A. Dalglish, diretora-executiva do Comitê de Repórteres pela Liberdade de Imprensa.


Toni se recusou a identificar as fontes usadas em três artigos sobre a investigação publicados no USA Today. As matérias discutiam o papel de Hatfill na investigação do governo e levantavam questões sobre as provas contra ele. ‘Eu me preocupo com os desdobramentos desta ordem para todos os jornalistas, não apenas para mim’, desabafou a jornalista, que hoje é professora na Universidade West Virginia.


Ordem crescente


O juiz Walton afirmou que as multas a Toni terão início em US$ 500 dólares por dia na primeira semana de desobediência, passando para US$ 1.000 na segunda semana e, finalmente, US$ 5 mil na terceira. A partir daí poderão ser consideradas outras opções – que, segundo advogados, incluem a prisão por desacato.


Outros jornalistas já tiveram problemas com relação ao caso Hatfill. Entre eles está o colunista Nicholas D. Kristof, do New York Times, o primeiro a escrever sobre um misterioso cientista do Exército chamado de ‘Mr. Z’ – depois identificado como Hatfill. O cientista processou Kristof por difamação. Informações de Eric Lichtblau [The New York Times, 20/2/08].


 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem