Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1054
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Jornalista preso por fotografar julgamento

24/06/2009 na edição 543


O jornalista Augustine Kanjia, que trabalha para o diário gambiano The Point, foi detido no início da semana por tirar fotografias de pessoas em um julgamento. Diversos colegas de Kanjia e profissionais do jornal de oposição Foroyaa eram acusados de sedição porque seus jornais publicaram uma declaração do Sindicato de Imprensa de Gâmbia criticando o presidente Yahya Jammeh. Os sete jornalistas – seis homens e uma mulher – acabaram liberados sob fiança.


A polícia se recusou a comentar o caso de Kanjia, mas seu advogado afirmou que há uma investigação em curso. Diversos colegas puderam visitar o jornalista nesta quarta-feira (24/6) em uma delegacia em Serrekunda, mas, segundo o advogado, todos os esforços para conseguir libertá-lo sob fiança foram em vão. ‘Meu marido está detido há três dias, o que é uma violação de seus direitos’, protestou a mulher de Kanjia, Theresa Johnson.


Caso antigo


Em 8/6, o presidente afirmou, em uma entrevista na TV estatal, que as autoridades do país não têm relação com o assassinato, em 2004, do jornalista Deyda Hydara, e refutou especulações de envolvimento do alto escalão do governo no crime. Jammeh sugeriu, entretanto, que a vida amorosa do jornalista levou a seu assassinato – por homens armados até hoje não identificados. O sindicato reagiu, classificando os comentários do presidente de ‘provocativos’ e inapropriados. Hydara era o fundador do The Point, trabalhava como correspondente para a agência de notícias AFP e era membro da organização internacional Repórteres Sem Fronteiras. Informações da AFP [24/6/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem