Sábado, 23 de Março de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1029
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Jornalista condenado por questionar número oficial de mortos de guerra

Por lgarcia em 03/12/2014 na edição 827

O jornalista britânico David Bergman foi condenado por um tribunal especial de crimes de guerra de Bangladesh por duvidar do número de mortos na guerra civil que levou à independência do país, em 1971. Em um post publicado em seu blog pessoal e em dois textos jornalísticos de 2011, Bergman questionou se havia evidências para corroborar o número oficial de três milhões de mortos, sugerindo, com base em estudos independentes, que o número seria bem mais baixo. Estes estudos estimam a contagem em centenas de milhares de mortos. Críticos acusam a primeira-ministra de Bangladesh, Sheikh Hasina, de forjar os números para intimidar seus oponentes.

Na terça-feira [2/12], o tribunal determinou que, com seus artigos, Bergman, de 49 anos, “feriu os sentimentos da nação”. Como punição, o jornalista – que edita um jornal local em língua inglesa e escreve para o Daily Telegraph – deve pagar uma multa de cinco mil taka (o equivalente a 165 reais) ou ir para a cadeia por uma semana. O juiz que presidia a sessão ordenou ainda que ele permanecesse sentado no tribunal até que todos os juízes deixassem a sala, em um ato simbólico de castigo.

Liberdade de expressão

Bergman, que vive há mais de uma década em Daca, capital de Bangladesh, afirmou ter ficado chocado e desapontado com a condenação. “É provável que [o veredicto] dificulte que jornalistas e outros escrevam sobre processos legais e julgamentos em Bangladesh, mesmo quando estes processos já tiverem sido finalizados”, afirmou.

O julgamento era visto como um teste do compromisso de Bangladesh com a liberdade de expressão. Ao anunciar o veredicto, no entanto, o juiz Obaidul Hassan afirmou que a “liberdade de expressão pode ser exercida de boa fé e [respeitando] o interesse público”, o que, segundo ele, não foi feito por Bergman. “Ele tem uma mentalidade perversa sobre a guerra de 1971”, completou o juiz, que pediu ainda que o governo investigue o trabalho do jornalista.

Análise de números

O caso contra Bergman foi aberto em fevereiro por um advogado do país, que o acusava de disseminar “críticas e observações depreciativas” sobre o Tribunal Internacional de Crimes. O tribunal – que, apesar de ter “internacional” no nome, é doméstico – já condenou diversos líderes da oposição por acusações de assassinatos em massa durante o conflito de 1971. A primeira-ministra alega que os julgamentos são necessários, mesmo quatro décadas depois da guerra que separou Bangladesh do Paquistão, por conta do tamanho do derramamento de sangue causado por ela.

“Não há justificativa para a punição de David Bergman, que estava apenas fazendo seu trabalho de jornalismo e debate público”, declarou o presidente da organização PEN International, John Ralston Saul. “Ninguém pode ter desrespeitado um tribunal ou cometido um crime só porque analisou números. Tal decisão traz sofrimento para ele e sua família. Mas também prejudica a reputação de Bangladesh como uma democracia progressiva”. 

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem