Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1059
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Jornalista julgada por usar calça proibida de deixar o país

12/08/2009 na edição 550

Autoridades do Sudão detiveram no aeroporto de Cartum a jornalista Lubna Ahmed al-Hussein, que enfrenta julgamento por usar calças compridas em público, e impediram-na de viajar para o Líbano para participar de um talk show televisivo.


Lubna havia sido presa no mês passado junto com outras 12 mulheres por usar calças compridas em um café da capital. Sob a rígida lei islâmica do país, elas foram acusadas de indecência pública. Algumas das mulheres declararam-se culpadas, levaram 10 chicotadas, cada, e foram libertadas. Lubna declarou-se inocente e enfrenta a justiça. Se condenada, pode levar até 40 chicotadas. A jornalista escreve para um jornal local e também é funcionária do escritório de imprensa da ONU – ela rejeitou, entretanto, a imunidade a que teria direito por trabalhar no órgão internacional.


Esta semana, policiais a proibiram a viajar. ‘Eles disseram que, devido a uma decisão tomada em 7/8, eu estava proibida de ir para o exterior’, contou. ‘Pedi então para que me mostrassem algum documento escrito sobre a decisão, mas afirmaram que não poderiam fazer isto’. Lubna diz que optou pelo julgamento para protestar contra o artigo que determina as regras do vestuário feminino no país. ‘[Minha escolha] é sobre a necessidade de extinguir o artigo da lei que determina o código de vestimenta das mulheres, sob o título de atos indecentes. Este artigo contraria a constituição e a própria lei islâmica’, declarou. Com informações da AFP [11/8/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem