Quinta-feira, 19 de Outubro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº962

MONITOR DA IMPRENSA > ETIÓPIA

Jornalistas suecos julgados por terrorismo

21/10/2011 na edição 664

Tradução de Larriza Thurler (Edição: Leticia Nunes)

Dois jornalistas suecos acusados de terrorismo declararam-se inocentes em uma audiência na corte da Etiópia esta semana. O fotojornalista Johan Persson e o repórter Martin Schibbye entraram no país, em julho, por meio da Somália, com o grupo Frente Nacional de Libertação de Ogaden (ONLF). Eles foram, em seguida, feridos em uma operação de segurança, na qual 15 rebeldes foram assassinados, e acabaram presos na região de Ogaden.

Os dois foram acusados de promover e participar de atos terroristas, assim como entrar ilegalmente no país. Segundo o advogado de ambos, Abebe Balcha, os jornalistas admitiram que entraram na Etiópia sem os documentos legais, mas negaram ter participado de atos terroristas. O caso atraiu críticas de organizações de defesa da mídia, que pediram que as acusações fossem retiradas. “Pedimos uma objeção preliminar em cada aspecto do caso, mas a corte rejeitou”, afirmou Balcha. Persson e Schibbye devem comparecer ao tribunal novamente no dia 1/11.

Ogaden, província dominada pela etnia somali, é reduto de uma insurgência liderada pela ONLF, que luta pela independência da região desde 1984. Além da rebelião, a região árabe também vem sendo palco de sequestros e incidentes violentos nos últimos quatro anos. As forças da Etiópia travaram uma ofensiva contra rebeldes no final de 2007 depois de o grupo ter atacado uma companhia de petróleo administrada por chineses, matando 74 pessoas. Analistas alegam que os rebeldes desde então vêm se enfraquecendo, mas ainda são capazes de lançar ataques. Informações da Reuters [20/10/11].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem