Sábado, 18 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

ENTRE ASPAS > QUARTA-FEIRA, 10/2

José Serra acusa TV Brasil de parcialidade

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 11/02/2010 na edição 576


Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010


 


POLÍTICA


Pergunta da TV Brasil irrita tucano


‘O governador José Serra acusou a TV Brasil, do governo federal, de parcialidade na cobertura de sua administração.


Serra não escondeu a irritação durante o anúncio do piso salarial, quando uma repórter identificou-se como da TV Brasil e perguntou o que ele ‘teria a dizer aos 750 mil moradores’ de São Paulo que ficaram três dias sem água em razão de um problema em adutora da Sabesp.


Em resposta, afirmou que a Sabesp estava trabalhando para solucionar o caso. ‘Espero que a TV Brasil tenha o mesmo interesse com cada Estado e cada município’, disse ele.


Questionado se considerava haver perseguição, Serra insistiu: ‘É um interesse grande que eu gostaria que fosse disseminado por todo lado. Só espero que essa disseminação seja total e não seja parcial como tem sido’.


A emissora afirmou considerar ‘a pergunta pertinente, tecnicamente adequada e afinada com o interesse da população da cidade de São Paulo’.’


 


 


TELEVISÃO


Fernando Rodrigues


Esterco político


‘BRASÍLIA – A TV Cultura, de São Paulo, quis transmitir alguns noticiários em inglês nos anos 80. Não deu certo. Uma lei obrigava as emissoras a veicular programas apenas em português. Era também a época do governo Sarney, quando um filme de Jean-Luc Godard (‘Je vous Salue, Marie’) foi proibido nos cinemas brasileiros.


Agora, mais de 20 anos depois, sobrevivem dentro do Estado brasileiro os mesmo bolsões de intolerância e incompreensão sobre o que é exatamente liberdade de expressão. No sábado, relatou ontem ‘O Globo’, o assessor especial do Planalto Marco Aurélio Garcia vocalizou suas ideias sobre a programação de TV a cabo no Brasil.


Num debate na sede nacional do PT, Marco Aurélio falou sobre a ‘hegemonia cultural dos Estados Unidos’, classificando a programação de TVs norte-americanas como ‘tão importante’ quanto a 4ª Frota, a divisão da Marinha dos EUA que atua no Atlântico Sul.


Eis o pensamento do assessor de Lula: ‘Eles [canais de TV dos EUA] realizam, de forma indolor, um processo de dominação muito eficiente. Despejam toda essa quantidade de esterco cultural’.


Mais um pouco: ‘Estamos vivendo um momento grave do ponto de vista de uma cultura de esquerda. A crise dos valores do chamado socialismo real e a emergência desse lixo cultural nos últimos anos nos deixaram numa situação grave’.


Qual seria a preferência do doutor? Talvez o ‘Big Brother’, produção brasileiríssima da maior rede de TV do país. Marco Aurélio, é bom lembrar, coordenará o programa de governo de Dilma Rousseff. No sábado, ele também comentou o avanço de políticos conservadores na Europa. Talvez vivenciando uma epifania, fez uma recomendação: ‘Nunca subestimem a estupidez humana. Quem subestimou a estupidez humana se deu mal na história’. É verdade.’


 


 


Laura Mattos e Clarice Cardoso


Site falha e frustra investimento da Globo


‘Começou com uma falha um dos principais investimentos da Globo na internet para 2010.


A emissora decidiu iniciar com Tempos Modernos’ um projeto de modernizar seus sites de novelas. Atualmente, eles são simples e contém apenas informações de elenco, fotos, sinopses de capítulo etc.


As experiências de interatividade são tímidas e as de conexão entre o site e a trama que o público vê na TV, inexistentes.


‘Tempos Modernos’, segundo a Folha apurou, seria o teste para uma grande mudança, que buscasse integrar os conteúdos. Até o nome da história era apropriado para isso.


A primeira alteração atingiu quem assiste à novela pelo computador. Os capítulos de todas as tramas ficam sempre disponíveis a assinantes da Globo.com no site da Globo Vídeos.


No caso de ‘Tempos Modernos’, a Globo decidiu migrar o internauta da Globo Vídeos para o site da novela.


Não deu certo. Pelo menos os usuários do Internet Explorer 6, ou seja, 20% dos internautas, estão sem acesso à novela pelo computador desde a sua estreia, há um mês. A Folha, com o Internet Explorer 7, também não conseguiu assistir aos capítulos na internet.


Segundo a assessoria da Globo.com, ‘o problema foi detectado só na versão 6, que impossibilita a visualização de algumas mídias. Desde o início da novela, a indisponibilidade está afetando os usuários do Explorer 6, mas amanhã [hoje] funcionará normalmente.’


APRENDIZ 1


Roberto Senise Lisboa (Promotoria de Justiça do Consumidor de SP), que abriu inquérito contra Roberto Justus por propaganda enganosa, disse à Folha que irá arquivá-los e comprovar que o apresentador é sócio do vencedor do ‘Aprendiz 5’. O programa prometia ao ganhador sociedade com Justus. Clodoaldo Araújo e o apresentador abriram uma produtora de TV e a fecharam semanas depois. Mas diz em ter se associado em uma siderúrgica.


APRENDIZ 2


O promotor afirmou ter se baseado em denúncia anônima para abrir o inquérito. A produtora de Justus e Araújo, a Brainers, contratou Milton Neves, tirou-o da Record e o ofereceu à Band.Com seu fechamento, Neves entrou com uma ação acusando Justus de ‘fraude’.


SHOW DE HORROR


Apelação e reality show andam juntos também na Austrália. A produtora ITV foi condenada a uma multa de R$ 5.000 pelo crime de crueldade contra animais. O motivo foi um episódio de ‘I’m a Celebrity…Get Me Out of Here’ (que passa no Brasil no canal E!) em que participantes mataram um rato com uma facada no pescoço, o cozinharam e o comeram com arroz. Para o tribunal, o animal, que agonizou por um minuto e meio antes de morrer, teve sofrimento desnecessário.


ROCK DO REI MOMO


A Mix TV exibe no sábado e no domingo shows gravados no Sambódromo. NX Zero, Cine, Skank, Charlie Brown Jr.e Fresno estão entre os foliões.’


 


 


Grandes produtores de séries se ‘autocopiam’ na TV americana


‘Em time que está ganhando não se mexe. Se depender dessa máxima, os seriados norte-americanos da próxima safra serão cópias de si mesmos.


Os maiores produtores de séries ofereceram, nas últimas semanas, às principais emissoras seus novos projetos, mas a maioria fica no mesmo gênero que os consagraram há anos.


Shonda Rhimes, criadora de ‘Grey’s Anatomy’ e de sua derivada ‘Private Practice’, segue no universo das novelinhas médicas com ‘Off the Map’.


John Wells, produtor da longeva ‘ER’, também aposta num drama médico, ainda sem título definido. Shawn Ryan, que fez ‘The Shield’, agora produz ‘Ridealong’, com um policial durão no centro da trama.


O fenômeno não acontece apenas nos dramas. Os criadores de ‘How I Met Your Mother’, Carter Bays e Craig Thomas, desenvolvem uma comédia sobre amigos solteiros.


O diretor de programação Bill Carroll confirmou à revista ‘Hollywood Reporter’ que as TVs preferem fórmulas já testadas. ‘Apesar de não ter garantia de sucesso, as chances são sempre melhores quando mãos experientes estão no controle.’


J.J. Abrams, de ‘Lost’ e ‘Fringe’, vai na contracorrente -ou quase. Deixa temporariamente de lado a ficção científica para investir em uma série de espionagem com ‘Undercovers’. Entretanto, este não é terreno desconhecido para ele, que há nove anos fez ‘Alias’.


São apenas episódios de teste, mas parece que vai vir mais do mesmo por aí.’


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


Dilma ou Lula


‘A exemplo de FHC no dia anterior, ‘Dilma desafia oposição a comparar obra por obra’ foi a manchete do UOL ao longo de tarde e início da noite. Da mesma maneira, no portal G1, da Globo, ‘Se quiserem, vamos comparar casa por casa, afirma Dilma’.


Lula também falou, mas, na maior parte do tempo, não foi além do segundo destaque na cobertura. O G1 acabou levando à manchete, ‘Oposição quer parar o jogo no tranco, fazendo falta, diz Lula’. O presidente declarou, sobre críticas à sua agenda eleitoral, que ‘até 31 de dezembro a festa é minha’.


Na capa do ‘Valor’, por outro lado, ‘Dilma apoiará empresa nacional’. Foi a promessa do presidente do PT, José Eduardo Dutra. ‘Só pretendemos fortalecer os instrumentos estatais que já existem.’ A entrevista ecoou no exterior, via Bloomberg.


TRANSFERÊNCIA


A publicação ‘Latin America Advisor’, do Inter-American Dialogue, saiu com a manchete ‘A popularidade de Lula está passando para sua sucessora?’. O sociólogo Bolíviar Lamounier, da Augurium Consultores, diz que já esperava. David Fleischer, da UnB, arrisca empate em abril


ELEIÇÃO? QUE ELEIÇÃO?


No fim da tarde, José Serra surgiu nos portais, anunciando reajuste do piso regional, ‘maior que salário mínimo’, no enunciado do G1. No UOL, ele ‘nega que proposta seja eleitoreira’. Na Reuters Brasil, ‘nega que vise eleição’. O G1 também destacou que ele se disse ‘curioso’ para um encontro com a cantora Madonna.


Ao fundo, no Valor Online, ‘Serra se irrita e acusa TV Brasil de parcialidade’. A estatal federal perguntou sobre o rompimento de uma adutora da Sabesp.


CHINA & BRASIL


No estatal ‘China Daily’, ontem, ‘China pede por mais diplomacia na questão nuclear iraniana’. A chancelaria declarou esperar que ‘todos os lados’ se esforcem para ‘alcançar progressos no diálogo’.


Na manchete da Reuters Brasil, na mesma linha, ‘Celso Amorim critica pressão por sanções, defende diálogo’. O chanceler declarou que ‘ainda há possibilidade’ de evitar um Irã nuclear ‘por meios pacíficos e de diálogo’.


REPRESÁLIA


A revista semanal da agência Xinhua ouviu, de generais chineses, a proposta de elevar os gastos militares do país e ‘possivelmente’ vender títulos do Tesouro dos EUA, para ‘punir’ a venda de armas para Taiwan


RECORDE ARMADO


‘Les Echos’, com o quadro acima, ‘Le Monde’ e outras publicações francesas noticiaram ontem que a venda de armas pelo país saltou 21% no ano passado, ‘graças principalmente ao contrato de submarinos de ataque Scorpène e de helicópteros com o Brasil’.


Os enunciados destacam a previsão de recorde em 2010, com as perspectivas da ‘negociação para a venda do Rafale aos Emirados Árabes Unidos e ao Brasil’.


OS VAQUEIROS


A revista ‘The Atlantic’ de março fala do início da temporada de rodeios nos EUA, sob o título ‘The Boys from Brazil’. Abrindo o evento, um coronel tomou juramento de 23 novos soldados e fogos escreveram no céu as letras USA. E então entrou na arena ‘o atual… campeão… mundial!’, na saudação do locutor. E a reportagem se pergunta, então: ‘Guilherme Marchi? De Leme, São Paulo, Brasil? Bem, sim’.


E não está sozinho. A revista relaciona Renato Nunes, Paulo Crimber e outros -e justifica dizendo que o Brasil tem ‘o maior rebanho comercial do mundo’.’


 


 


INTERNET


Google lança rede social integrada ao Gmail


‘O Google lançou ontem o serviço de rede social Buzz, que se integra ao seu serviço de e-mail e aos serviços para celulares. Nos próximos dias, os usuários do Gmail terão uma opção que permite que enviem mensagens coletivas a uma parte de seus contatos. O serviço permitirá enviar informação sobre suas atividades, fotos, vídeos, links e mensagens do Twitter. A versão para celulares estará disponível inicialmente apenas nos iPhones e nos aparelhos com o sistema Android.’


 


 


VIOLÊNCIA


SP vai restringir acesso da imprensa a caso com refém


‘Ainda sob o efeito do caso Eloá Pimentel, a Secretaria da Segurança publicou ontem norma na qual ordena a policiais civis e militares que mantenham a imprensa distante de ocorrências com reféns. Pelo texto, eles deverão ‘instar’ os ‘órgãos de imprensa’ a ‘se abster de transmitir imagens e/ou manter contato com os envolvidos’. O documento não diz como.


Na avaliação da polícia, Eloá foi morta no final de 2008 por uma série de falhas que incluem uma entrevista transmitida pela TV com o sequestrador Lindemberg Alves Fernandes no cativeiro.


Luís Sapori e Theodomiro Dias Neto, peritos em segurança, dizem que isolar áreas é procedimento internacional. ‘A polícia deve ter poder para controlar a situação, mas não tem como evitar que a mídia repercuta o fato’, diz Neto. ‘Limitar não quer dizer proibir’, afirma Sapori.


Para Ricardo Pedreira, diretor-executivo da ANJ (Associação Nacional de Jornais), é uma questão de segurança, que não fere o livre exercício do jornalismo.


A apresentadora Sônia Abrão, que falou com Lindemberg, disse ter cumprido sua ‘função de jornalista’.’


 


 


 


************


O Estado de S. Paulo


Quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010


 


POLÍTICA


Governador questiona TV Brasil


‘O governador José Serra sugeriu ontem que a TV Brasil, ligada ao governo federal, faz cobertura jornalística parcial. Durante entrevista sobre o novo piso salarial do Estado, Serra foi questionado por uma repórter da emissora sobre as medidas tomadas pela Sabesp para solucionar a interrupção no fornecimento de água para 750 mil pessoas. ‘A Sabesp está fazendo o possível para arrumar isso. Espero que a TV Brasil tenha o mesmo interesse com cada Estado e município’, disse o tucano. Questionado se sentia perseguido pela TV Brasil, afirmou: ‘De forma nenhuma. Pelo contrário. É um interesse grande demais que gostaria que fosse disseminado por todo lado. Espero que essa disseminação seja total e não parcial como tem sido.’ Lançada em 2007, a TV Brasil é uma entidade pública que recebe recursos do Orçamento da União. Procurada pelo Estado, a emissora informou, por meio da assessoria de imprensa, que considera a pergunta ‘legítima’ e ‘de acordo com os interesses da população de São Paulo’.’


 


 


PUBLICIDADE


Stuart Elliott


Anúncios ‘caseiros’ fazem sucesso na TV dos EUA


‘Madison Avenue precisa ter medo. Esta é aparentemente a mensagem que se deve tirar da intensa e frenética disputa de publicidade travada durante a partida do Super Bowl 44 (a final do campeonato de futebol americano), no domingo. Muitos dos comerciais considerados em geral mais eficientes, memoráveis e comentados foram criados ou sugeridos pelos consumidores ? ou produzidos pelos próprios patrocinadores ?, e não por profissionais de agências de publicidade.


Os mais interessantes, segundo várias pesquisas, levantamentos e análises divulgados na segunda-feira, foram dois anúncios: o do lanchinho Doritos, vendido pela divisão Frito-Lay, da PepsiCo, e um spot sobre os serviços do motor de busca da Google. Os comerciais do Doritos foram criados por consumidores; o spot do Google foi obra da própria companhia.


Os dois comerciais do Doritos, por exemplo, foram os mais vistos entre todos os exibidos nos domicílios com gravadores digitais de vídeo TiVo. O comercial intitulado House Rules recebeu o primeiro lugar e o outro, Underdog, o quarto.


‘A conclusão não é que todos deveriam demitir suas agências e fazer com que os usuários criassem as campanhas’, disse Todd Juenger, vice-presidente e gerente geral da divisão de pesquisa e levantamento de audiência da TiVo. Ao contrário, acrescentou, os consumidores parecem ter mais noção do que o consumidor gostaria de ver num ambiente ‘único’ para os anunciantes, como o do Super Bowl.


De acordo com as normas do concurso Crash the Super Bowl, patrocinado pela FritoLay, que recebeu 4 mil vídeos, o criador de Underdog, um jovem de 24 anos de Raleigh, Carolina do Norte, Joshua Svoboda, ganhou US$ 600 mil pelo comercial ? nada mau para quem havia desembolsado, ao que imagina, US$ 200.


‘Este ano, o Super Bowl mostra que um conteúdo criado pelos consumidores pode realmente funcionar’, comentou Tim Calkins, professor de Marketing da Kellogg School na Northwestern University.


Apesar de vários publicitários terem criticado o comercial, que definiram como coisa de ‘ginasiano que brinca com uma câmera de vídeo no quintal de casa’, na opinião de Calkins, ele complementa os esforços dos marqueteiros para atrair e envolver os consumidores.


O anúncio do Google, que demonstrou que a procura de ‘estudos no exterior Paris’ pode evoluir para ‘empregos em Paris’, ‘igrejas em Paris’ e ‘como montar um berço’, recebeu os aplausos do painel de avaliação de comerciais do sexto Super Bowl anual da Kellogg School, e também das mulheres entrevistadas numa pesquisa realizada pela Kaleidoscope Group, uma divisão da agência Hoffman York especializada em anúncios para mulheres.


O comercial do Google também recebeu a nota mais positiva, 98%, na pesquisa da Zeta Interactive, que usou sua tecnologia online Zeta Buzz de análise de blogs, seguida pelo anúncio House Rules, do Doritos, com 95%. ‘O Google conseguiu algo que em sua simplicidade definiu o que é o Google’, disse Al DiGuido, diretor executivo da Zeta Interactive.


Sandra Heikkinen, porta-voz do Google, disse que o comercial fazia parte de uma série de anúncios produzidos por ‘alguns dos nossos funcionários criativos’, o que demonstra que a busca no Google tenta ‘eliminar tudo, menos o produto e o usuário’.


‘A resposta a esses vídeos foi impressionante, tanto dentro quanto fora da companhia’, ela escreveu em uma mensagem por e-mail. ‘Portanto, decidimos compartilhar o nosso anúncio favorito com o maior número possível de pessoas.’


Mas, além de toda a atenção dispensada aos comerciais que mais agradaram, houve também uma pesquisa nos spots que fracassaram. Um comercial do tênis Skechers Shape-up recebeu os comentários mais negativos no Facebook e no Twitter, segundo a Fizziolo.gy, que reúne e mede as opiniões contidas nos sites sociais e blogs, seguido por um spot para a Taco Bell com o ex-jogador de basquete americano Charles Barkley.


‘O conteúdo negativo foi assustador’ para a Skechers, disse Ben Carlson, presidente da Fizziolo.gy, talvez porque era o anúncio prosaico de um produto que foi mostrado duas vezes. O comercial da Taco Bell foi criticado por causa da aparência de Barkley. ‘Ele não é um bom porta-voz’, comentou Stibel. ‘Parecia que ele tinha tomado umas a mais’.


Também foram negativas as críticas de anúncios que, segundo alguns telespectadores, humilham as mulheres, como os comerciais dos pneus Bridgestone, do Dodge Charger, Flo TV e GoDaddy.com.


Tradução de Anna Maria Capovilla’


 


 


INTERNET


Google pede o fim do chinês Goojje


‘O Google enviou uma carta a um site chinês de busca alertando a empresa para deixar de usar um logotipo que se parece muito com o da companhia americana. A página principal do Goojje é adornada com um logotipo no estilo do Google e um símbolo parecido com o do Baidu, mecanismo de pesquisa mais usado na China.


O site, cujo nome é resultado de jogo de palavras com a sílaba final ‘jje’ soando como a palavra em chinês para ‘irmã mais velha’, enquanto a sílaba ‘gle’ de ‘Google’ é pronunciada como a palavra chinesa para ‘irmão mais velho’, oferece um mecanismo de busca e serviços de rede social.


Uma porta-voz do Google afirmou ontem que a empresa pediu oficialmente ao Goojje que pare de copiar o logotipo da companhia, que é uma marca protegida.


A China possui um registro pobre de proteção à propriedade intelectual. Filmes, roupas, músicas e software piratas, entre outros bens, estão amplamente disponíveis pelo país apesar de repetidas operações de combate promovidas pelo governo chinês.


O Goojje já parou de usar sua URL original, o www.goojje.com. Os visitantes usando o endereço agora são automaticamente redirecionados para o dierqi.com, apesar de o conteúdo parecer o mesmo.


No mês passado o Google ameaçou se retirar da China citando problemas com censura e o que afirma ter sido um sério incidente com hackers que resultou em roubo de propriedade intelectual da companhia.


Além da imitação do Google, também apareceu no mês passado na China um site clone do YouTube: o YouTubecn.com. O site chinês oferece vídeos do YouTube verdadeiro, que é propriedade do Google e foi bloqueado na China.


BLOQUEIOS


O cofundador do Google, Sergey Brin, disse ontem nos EUA que está ‘muito difícil operar’ na China sob as atuais circunstâncias. Segundo Brin, o ‘volume de informação omitida’ na internet vem piorando nos últimos anos, bem como o número de bloqueios de sites. Para ele, o protecionismo chinês ‘também é, certamente, uma preocupação’.


O empresário disse ainda que não há novidades sobre as negociações do Google com o governo chinês, mas afirmou que está ‘sempre otimista’ que poderá fornecer informação livre de censura às pessoas. No mês passado, o Google ameaçou fechar suas operações na China por causa de ataques de hackers às contas de e-mail do Gmail e da censura imposta pelo governo.’


 


 


TELEVISÃO


Keila Jimenez


Viagem duplicada


‘A diretora Marlene Mattos está sendo acusada de plágio. O alvo da confusão é o quadro Férias Inesquecíveis, novidade no Show da Gente, do SBT, dirigido por Marlene.


Segundo Walter Mendonça, autor da acusação e de um processo contra a diretora, Marlene colocou no ar um projeto apresentado por ele a ela em 4 de abril de 2009. Intitulado Passageiros, o formato, que Mendonça diz ter registrado na Biblioteca Nacional, é uma disputa que premia os ganhadores com uma viagem com direito a acompanhante.


‘Não foi uma reunião de botequim. Foi a apresentação formal de um projeto registrado, portanto, não se admite a falta de ética e moral’, diz Mendonça. ‘Eu queria fazer uma parceria com ela. Sra. Marlene se apropriou indevidamente do meu esforço.’


O acusante diz ter todos os e-mails trocados com a diretora armazenados, e promete garantir os seus direitos na Justiça.


Procurada, Marlene Mattos disse à coluna que Mendonça esteve, sim, com ela, mas que o projeto dele nada tem a ver com o quadro que está no ar. ‘Não tenho que me defender. Se ele acha que plagiei, quero que prove.’


Sicília fake


Em sua reta final, Poder Paralelo volta a ter cenas gravadas em Serra Negra – a Sicília fake da Record -, no interior de São Paulo. Nessa, Tony (Gabriel Braga Nunes) faz pose de fofo com Ligia (Miriam Freeland). O problema é que o galã segue dividido entre o amor da mulher e o de Fernanda (Paloma Duarte), que tem torcida grande do público.’


 


 


Entrelinhas


‘Lauro César Muniz renovou ontem seu contrato com a Record. Serão mais cinco anos no canal, e a previsão de produzir nesse período pelos menos duas novelas.


Cazé, da MTV, esteve em uma emissora da TV aberta na semana passada negociando um formato que pode tê-lo, ou não, no comando.


O novo Aprendiz Universitário, agora sob o comando de João Dória Jr. na Record, promete bater recorde de faturamento. Já tem três das cinco cotas de patrocínio vendidas, a R$ 20 milhões cada (valor de tabela).


A BBB Fernanda teve seu áudio cortado na tarde de ontem ? durante a transmissão em pay-per-view ? ao falar que Pedro Bial era ‘legal’, mas ‘fuma demais’ e ‘toma remédio para dormir’.


Luciana Gimenez voltou às boas com os conhecimentos gerais: ‘Dublê é quem faz dublagens’, soltou durante o Superpop de segunda, na RedeTV!.


É Bruno Gomes, e não Bruno Garcia o novo diretor do Hoje em Dia, da Record. A carreira meteórica do rapaz na emissora ainda assusta muita gente.


O Programa do Gugu deve ter baixas em sua produção nos próximos dias. O clima com o diretor da atração, Homero Salles, dizem, anda insuportável, com brigas e trocas de insultos constantes. Detalhe: há gente ameaçando processar Salles por assédio moral.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem