Journal elimina sucursal de Boston | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

ENTRE ASPAS > TELETIPO

Journal elimina sucursal de Boston

03/11/2009 na edição 562

O Wall Street Journal anunciou no fim da semana passada o fechamento de sua sucursal em Boston, que por muito tempo concentrou a cobertura de educação e reportagem investigativa. Nove repórteres serão afetados pelo fechamento, mas todos poderão tentar novos postos dentro da companhia – o Journal pertence à Dow Jones, que foi comprada pela News Corporation. A unidade de reportagem investigativa, entretanto, deve ser mantida em Boston – o que sugere que o chefe da sucursal, Gary Putka, e dois repórteres permaneceriam na cidade. Também na semana passada, a revista Forbes anunciou o corte de pelo menos 50 cargos e o New York Times afirmou que deve reduzir sua redação em 100 postos até o fim do ano, primeiro por demissões voluntárias e posteriormente por demissões. Informações de Tom Lowry [BusinessWeek, 29/10/09].

 

Protestos em visita de jornalista sueco a Israel

Dezenas de israelenses protestaram, no domingo [1/11], contra a visita ao país do jornalista sueco Donald Bostrom, que acusou soldados de Israel de roubar e vender órgãos de palestinos mortos. A controversa matéria foi publicada em agosto no popular tablóide sueco Aftonbladet e provocou um incidente diplomático entre os dois países. O jornal acabou admitindo que não tinha como comprovar a acusação. Israel chegou a pedir que o governo sueco condenasse o artigo, mas Estocolmo recusou-se a fazê-lo, defendendo a liberdade de expressão. Bostrom viajou a Israel para participar de uma conferência de mídia na cidade de Dimona, no início da semana. O vice-primeiro-ministro israelense, Silvan Shalom, declarou que boicotaria o evento para protestar contra a presença do jornalista. ‘Não quero me associar ao fato de que uma plataforma é oferecida a um inimigo que publica artigos difamatórios de Israel’, afirmou. Já Gidon Adin, um dos organizadores da conferência, disse que a presença de Bostrom é importante, já que esta é a primeira vez ‘em que ele terá que explicar, para um público hostil, por que publica matérias difamatórias com base em boatos’. Informações da AFP [1/11/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem