Sexta-feira, 16 de Novembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1013
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Kundera exige pedido de desculpas de revista

28/10/2008 na edição 509

O escritor Milan Kundera, autor do livro A Insustentável Leveza do Ser, pediu que a revista semanal tcheca Respekt se desculpe por tê-lo acusado de delatar um suposto espião ocidental à polícia comunista nos anos 50. A revista tem duas semanas, a contar do dia 16/10, para se desculpar, informou Jiri Srstka, diretor da agência Dilia, que representa Kundera na República Tcheca. Caso a Respekt não cumpra o prazo, o escritor deverá entrar com um processo judicial. O editor-chefe da revista, Martin Simecka, informou à agência de notícias CTK que o pedido está sendo estudado por advogados.

No dia 13/10, a Respekt publicou artigo co-assinado por um jornalista da revista e por um historiador do Instituto de Estudos de Regimes Totalitários afirmando que uma equipe de historiadores e pesquisadores encontraram um documento da polícia comunista tcheca identificando Kundera, que tem nacionalidade tcheca, como a pessoa que, em 1950, delatou um dissidente – o que levou o delatado a ficar na prisão por 14 anos.

Kundera negou rapidamente a acusação, alegando que o instituto e a mídia são responsáveis pelo ‘assassinato de um autor’. O escritor, que hoje tem 79 anos, juntou-se ao Partido Comunista como estudante, mas foi expulso após criticar sua natureza totalitária. Ele vive na França desde 1975, onde publicou seus livros mais conhecidos, como O Livro do Riso e do Esquecimento, A Arte do Romance e A Imortalidade. Em 1981, Kundera recebeu a cidadania francesa. Ele nunca dá entrevistas. Informações da AP [22/10/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem