Laura Bush contra a mídia | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Sábado, 18 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > TELETIPO

Laura Bush contra a mídia

10/08/2004 na edição 289

Em entrevista a Bill O’Reilly no programa The O’Reilly Factor, da Fox News, a primeira-dama dos EUA, Laura Bush, criticou duramente a imprensa americana. Para ela, a mídia apresenta mais opiniões do que fatos e os jornalistas contribuem para a polarização política do país. ‘Acredito que haja muitas razões para se criticar a mídia nos EUA’, disse a primeira-dama. ‘Muitas vezes, ela é sensacionalista e exagerada’. Ao ouvir do conservador O’Reilly a sugestão de que os jornalistas estariam fora de sincronia com grande parte do país, Laura riu e disse: ‘Você me deu uma boa idéia. Talvez seja a imprensa que nos divida’. Informações da AP [3/8/04].



Ted Turner contra as grandes empresas

O bilionário americano Ted Turner publicou artigo na revista Washington Monthly em que ataca duramente a consolidação das companhias de mídia. ‘Quando as empresas independentes se forem, de onde virão as novas idéias?’, indaga no texto, em que clama por novas leis que obriguem as gigantes companhias midiáticas a se dividirem em pedaços. Seus argumentos até fazem sentido, mas vale lembrar que Turner ainda hoje faz parte da diretoria da Time Warner, a maior empresa de mídia do mundo. Nos anos 90, ele vendeu sua companhia Turner Broadcasting à Time Warner por US$ 3,2 bilhões. Mas com sua fusão com a America Online – em um dos piores negócios da história – e a conseqüente desvalorização das ações da nova empresa, então batizada de AOL Times Warner, viu sua fortuna de cerca de US$ 11 bilhões reduzida a US$ 1,5 bilhão. Turner argumenta no artigo que a rede CNN, que já esteve sob seu comando, está sendo muito prejudicada com a política de lucro a qualquer preço da Time Warner. ‘Quando a CNN se reportava a mim e precisava de dinheiro para Kosovo ou Bagdá, nós dávamos um jeito de arranjá-lo’, escreve. O texto foi recusado pelo Wall Street Journal e pelo New York Times, antes de ser aceito pela publ Washington Monthly, informa o New York Post [4/8/04].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem