Sábado, 23 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

MONITOR DA IMPRENSA > TELETIPO

Libération recebe proposta milionária

21/12/2004 na edição 308

Atolado em crises, como grande parte da imprensa francesa, o diário de esquerda Libération recebeu uma oferta milionária de um herdeiro da família Rothschild. O empresário Edouard de Rothschild, de 46 anos, propôs entregar a quantia de 20 milhões de euros em troca de 37% das ações do jornal. Ele já havia indicado que esperava a confirmação do acordo antes do fim deste ano, mas terá que aguardar mais um pouco para saber a resposta dos controladores do Libération, que farão uma votação em 6/1 para decidir se aceitam ou não a proposta do herdeiro.

Segundo Jon Henley [The Guardian, 16/12/04], jornalistas do diário que preferem não se identificar afirmam que é difícil que Rothschild encontre mais do que uma oposição simbólica. Pelos termos do contrato, as ações do empresário variariam de acordo com os lucros: se o Libération continuar a perder dinheiro, ele poderia chegar a obter 49% das ações em 2011, por exemplo. Mesmo assim, uma cláusula estabelecida com os outros acionistas – que incluem o grupo de mídia francês Pathé e a firma de capital britânica 3i – proíbe que os direitos de voto de Rothschild ultrapasse a cota de 40% das ações.



Evening Standard lança edição gratuita

A primeira edição da versão gratuita do jornal Evening Standard foi às bancas em 14/12. O Standard Lite, como é chamado, tem um aspecto mais leve, cerca de 20 páginas a menos que o ES, e é similar ao matutino Metro, também publicado pela Associated News. O Lite não inclui colunistas, suplementos ou seção de negócios. As notícias publicadas no novo jornal são versões mais leves e compactas do Standard. Ciar Byrne e Manuela Cea-Poblete [The Independent, 15/12] noticiam que o Standard Lite é distribuído nas bancas a partir das 11h30 e tem suas sobras retiradas às 14h30. Uma vez que a versão gratuita é baseada no jornal pago, sua permanência nas bancas por um período superior a esse pode prejudicar as vendas do ES. Martin Clarke, ex-editor do Daily Record, foi responsável pela criação do projeto – que também é uma tentativa de reverter o quadro de queda progressiva na circulação e apelar para os anunciantes, atraindo novos leitores. O diretor do ES, Mike Anderson, diz que existe um mercado de 600 mil pessoas no centro de Londres que saem de seus escritório para o almoço. Segundo ele, ‘a maioria não lê jornal e sentimos que podemos alcançá-los com essa nova edição’.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem