Domingo, 23 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Livro relaciona guerra e restrição de direitos nos EUA

04/01/2005 na edição 310

A Primeira Emenda da Constituição americana, que garante o direito à livre expressão, é considerada uma das bases da democracia nos EUA. No entanto, como mostra Tony Mauro, em matéria para o USA Today [28/12/04], ao longo de seus mais de dois séculos de existência, ela foi desrespeitada diversas vezes pelas autoridades, principalmente em tempos de guerra. Este é o tema do livro Perilous Times: Free Speech in Wartime (Tempos Perigosos: liberdade de expressão em tempo de guerra), do professor de Direito da Universidade de Chicago Geoffrey Stone.

Repleta de exemplos de diferentes épocas, a obra serve, entre outras coisas, para dar uma visão variada de ícones da política americana, como Abraham Lincoln e Franklin Roosevelt. O primeiro mandou um congressista de Ohio para o exílio nas Bermudas depois que um tribunal militar considerou o parlamentar traidor por criticar o presidente durante a Guerra da Secessão. Sobre Roosevelt, Stone apresenta uma carta de 1942 do ex-presidente ao então diretor do FBI, J. Edgar Hoover, em que ele observa que a entrada dos EUA na Segunda Guerra Mundial poderia ser ‘uma boa chance para acabar com uma certa quantidade de revistas desagradáveis’ como as que apoiavam os nazistas ou as que pregavam o pacifismo.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem