Domingo, 16 de Junho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1041
Menu

ENTRE ASPAS >

Lula critica predileção dos jornais pela desgraça

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 24/06/2009 na edição 543


Leia abaixo a seleção de quarta-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


O Estado de S. Paulo


Quarta-feira, 24 de junho de 2009


 


GOVERNO
Felipe Werneck e Alexandre Rodrigues


Mídia prefere desgraça, afirma Lula


‘Depois de reclamar da ‘predileção pela desgraça’ dos jornais na cobertura de denúncias envolvendo o Senado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu ontem uma reforma política e disse que ‘será muito difícil evitar que essas coisas aconteçam’ se a estrutura partidária continuar como está. Ele comentava a crise em torno dos atos secretos no Senado.


Lula afirmou que há ‘coisas mais importantes para discutir’. ‘Não vamos fazer disso uma causa nacional.’ Reiterou que o povo já viu muitos escândalos, que depois não resultaram em nada. ‘Temos a chance a cada quatro anos de mudar as coisas. Em 2010 tem eleição. É oportunidade extraordinária para o povo escolher as pessoas que entende que sejam as melhores para governar o País.’


Problema do Senado deve ser resolvido pelo Senado, disse Lula. ‘Para chegar ao Senado, é preciso ter mais de 35 anos. Se tem problema, só tem uma solução: é consertar o problema. Se não tiver problema, é mostrar que não tem. E foi essa a disposição do presidente José Sarney na conversa que tive com ele.’


OBRAS


O presidente já havia feito referência à crise no Senado durante os 26 minutos de discurso no lançamento de obras para a reforma da zona portuária do Rio. ‘É uma coisa absurda. Depois da crise econômica, a gente teve no mês de maio cento e poucos mil empregos positivos. Mas a manchete é o emprego no Senado. É uma perda de valor’, declarou. ‘Uma coisa que eu não consigo entender é a predileção pela desgraça.’


Noticiada ontem, a geração de 131 mil postos de trabalho com carteira assinada em maio, no saldo de contratações e demissões, foi a maior desde o agravamento da crise financeira. Trata-se, porém, do pior resultado neste mês dos últimos dez anos e o País ainda está longe de repor todas as vagas fechadas desde o fim de 2008.


Em outro momento, sem se referir à repercussão da crise no Senado, Lula disse que o povo ‘não aguenta mais que as coisas secundárias sejam transformadas em prioritárias e as prioritárias sejam esquecidas’.


Participaram do anúncio de obras na zona portuária o governador Sérgio Cabral Filho e o prefeito Eduardo Paes, ambos do PMDB. Estão previstos investimentos de R$ 374 milhões em infraestrutura (reurbanização da Praça Mauá e entorno, do Morro da Conceição e do Píer Mauá, além da construção de garagem subterrânea), habitação (criação de 499 residências com recuperação de imóveis), cultura (instalação da Pinacoteca no edifício D. João VI) e entretenimento (construção do Museu do Amanhã).’


 


 


DIPLOMA
Eduardo Kattah


Para Mendes, diploma não será reabilitado


‘Não existe possibilidade de o Congresso Nacional reverter a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou o fim da obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão de jornalista, afirmou ontem o presidente da corte, ministro Gilmar Mendes. Ele disse que acredita que a decisão vai repercutir em outras profissões, mas não quis citar quais.


Na semana passada, o ministro das Comunicações, Hélio Costa – jornalista de profissão, porém não-diplomado – , lamentou a decisão do STF e sugeriu que o Congresso crie um projeto de lei que contemple a exigência de curso superior para o exercício do jornalismo.


‘Não há possibilidade do Congresso regular isso, porque a matéria decorre de uma interpretação do texto constitucional. Não há solução para isso’, reagiu Mendes. ‘Na verdade, esta é uma decisão que vai repercutir inclusive sobre outras profissões. Em verdade, a regra da profissão regulamentada é excepcional no mundo todo e também no modelo brasileiro.’


Na visita a Belo Horizonte, Mendes voltou a ser alvo de protesto. Anteontem, em São Paulo, ele já havia enfrentado uma manifestação de estudantes de jornalismo. Na capital mineira, o protesto foi organizado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas. Um grupo de jornalistas, com narizes de palhaço, manifestou-se quando o presidente do STF, acompanhado do governador Aécio Neves (PSDB), chegou ao Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente.


Mendes procurou minimizar o episódio. ‘Isso é normal. É uma decisão do Supremo Tribunal Federal, causa incômodos corporativos e enseja protestos’. Antes, ele havia reclamado de uma ‘personalização’ do Supremo. ‘Estão personalizando algo que foi uma decisão coletiva do tribunal. O tribunal se manifestou por 9 a 1. É uma jurisprudência hoje dominante no mundo todo’, disse.


O ministro ressaltou que não é contra a formação profissional para o exercício do jornalismo. ‘As pessoas têm que se formar. Eu disse até que talvez não se exija daqui a pouco para se empregar como jornalista apenas o curso de jornalismo, mas talvez formação em direito, formação em outras áreas, medicina, ou seja lá o que for.’


Mendes afirmou também que é ‘um defensor radical’ da liberdade de imprensa e que a crítica deve ser feita sempre com responsabilidade.’


 


 


ARAGUAIA
Roberto Almeida


Lula sugere analisar acervo de Curió


‘O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, em entrevista à Rádio Capital, emissora AM de São Paulo, que é ‘importante levar a sério’ os documentos revelados pelo Estado sobre a repressão à Guerrilha do Araguaia, guardados por 34 anos pelo oficial da reserva Sebastião Curió Rodrigues de Moura, o Major Curió. Para o presidente, é preciso ‘analisar o que é verdade, o que não é verdade, porque não se pode ficar atrás do chutômetro’.


Lula prometeu resolver ainda nesta semana a divergência entre o ministro da Defesa, Nelson Jobim, e o secretário especial dos Direitos Humanos, Paulo Vannucchi, sobre a participação da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos e de representantes dos familiares nas buscas por corpos no Araguaia. Vannucchi havia pedido ontem a Lula que garantisse a presença da sociedade civil nas buscas.


De acordo com os arquivos de Curió, 41 guerrilheiros foram executados quando já estavam presos e não ofereciam risco às tropas. Na versão militar, 67 guerrilheiros estavam de armas na mão quando morreram. A falta de arquivos e informações oficiais era apontada como a grande dificuldade para que corpos dos guerrilheiros fossem encontrados e mais detalhes fossem revelados.


Lula citou a comissão de buscas criada por Jobim para investigar os desaparecidos e contou que há cerca de 15 dias havia pedido ao próprio Jobim, coincidentemente, que conversasse com Curió sobre os arquivos. ‘Falei: ?Ele deve saber de muita coisa.? Mas nem sei se o ministro Jobim conversou com ele’, relatou o presidente.


A revelação das execuções reforçaram também a pressão para identificar corpos retirados em 1996 e 2001 de cemitérios em Xambioá (TO), local do conflito, entre 1972 e 1975. Dez restos mortais ainda esperam para ser identificados nos armários do Ministério da Justiça.


Para Lula, é preciso esclarecer o caso ‘de uma forma muito madura, muito consciente, sem revanchismo, para que o Brasil tenha sua história verdadeiramente contada’. ‘Porque uma mãe que tem um filho desaparecido e não sabe o paradeiro dele, essa mãe só vai se conformar quando enterrar o filho.’


Como ação paralela do governo, Lula citou uma campanha publicitária que será veiculada em agosto para coletar informações da ditadura. ‘Vamos fazer um chamamento’, disse.’


 


 


Eduardo Kattah


Mendes acha ‘fundamental’ abrir arquivos


‘O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, defendeu ontem a revelação dos arquivos da ditadura. ‘É fundamental que haja a abertura desses dados’, afirmou, em Belo Horizonte. ‘Eu disse que as pessoas têm o direito a ter o conhecimento do que ocorreu.’


Mendes se esquivou, porém, do debate sobre eventual revisão da Lei da Anistia. ‘Quanto a esses outros aspectos, já há a Comissão de Anistia em andamento e também a Justiça, se for acionada, certamente vai se pronunciar.’’


 


 


REESTRUTURAÇÃO
O Estado de S. Paulo


MySpace, rede social da News Corp., fecha escritório no País


‘O MySpace, rede social da News Corp., deve fechar seu escritório no País no próximo dia 30. As informações não foram confirmadas pela empresa, mas funcionários da empresa já começaram a avisar ao mercado sobre a decisão. A empresa só informa que o ‘escritório brasileiro está sob revisão para possível reestruturação’.


Segundo o site IDG Now!, Andrea Orsolon, diretora comercial do MySpace Brasil, enviou aos seus contatos a seguinte mensagem: ‘Como muitos de vocês já sabem, a operação do MySpace no Brasil infelizmente irá encerrar suas atividades em 30/06. Ainda não temos a informação de quem ficará responsável nos Estados Unidos pela continuidade das campanhas/comunidades.’


A decisão deve afetar também os escritórios da Argentina e do México. Em comunicado, o MySpace anunciou a reestruturação de suas operações internacionais, prevendo a redução de sua força de trabalho fora dos Estados Unidos de 450 para 150 pessoas e o fechamento de pelo menos quatro de seus escritórios internacionais.


A empresa informou que Londres, Berlim e Sydney irão concentrar suas operações no exterior, e que o MySpace China e o MySpace Japão não serão afetados. Este mês, a empresa já havia anunciado o corte de 400 pessoas nos EUA, o que corresponde a cerca de 30% do total. O MySpace chegou ao Brasil em outubro de 2007, para competir com o Orkut, líder no País.’


 


 


PUBLICIDADE
Marili Ribeiro


Brasil já garante 25 Leões em Cannes


‘No segundo dia de anúncio de resultados, o Brasil recupera fôlego na premiação do Festival Internacional de Publicidade de Cannes e mostra, em qualidade, resultados superiores aos do ano passado. Até o momento, as agências brasileiras já garantiram 25 Leões, sendo quatro de ouro. Em 2008, as agências brasileiras obtiveram, no total, 41 Leões, mas apenas um de ouro.


O primeiro ouro oficial do País saiu na categoria programação de mídia, ou Media Lions, para a campanha da montadora Nissan, com o projeto criado pela agência Lew,LaraTBWA. A programação de mídia previa que os assinantes do jornal O Estado de S. Paulo montassem a primeira página do jornal com suas notícias preferidas, a partir de textos e arquivos enviados por e-mail.


‘Este prêmio é muito importante para nós’, disse o sócio da Lew,LaraTBWA, Jaques Lewkowicz. ‘Ele, merecidamente, nasceu na mídia. E foi realizado, do começo ao fim, de forma integrada na agência, comprovando a importância e a diferença que faz o trabalho integrado, inclusive com a internet. O resultado foi um trabalho inédito, pioneiro e ousado, assim como a marca que levou sua assinatura, a Nissan.’


Os critérios que definem os contemplados em Cannes são diferentes de categoria para categoria. Assim, enquanto na categoria rádio o júri distribuiu apenas 15 Leões – o Brasil conquistou um bronze para a campanha da agência AlmapBBDO para a Escola Panamericana de Arte e Design -, na área de programação de mídia houve fartura de prêmios. No total, foram 122. Para se ter uma ideia, no ano anterior, com um número superior de inscrições, foram distribuídos apenas 55 troféus.


Os brasileiros se saíram bem na categoria programação de mídia. Além do ouro da Lew,LaraTBWA, o País ganhou mais cinco Leões. A agência Wunderman, que criou ação de mídia para a Land Rover, e a DM9DDB, para a WWF Brasil, ficaram com Leões de prata. Os três Bronzes foram para a agência New Content, com uma campanha para o marca Becel; a Ponto de Criação, com criação para a Daimler Chrysler; e agência África, com a ação para os 50 anos do banco Itaú.


A outra categoria que anunciou resultados ontem foi a de outdoor. O Brasil manteve o desempenho, em números, do ano passado e conquistou cinco Leões, sendo três de prata e dois de bronze. As pratas ficaram com as agências DM9DDB, para o portal Terra Viagens, e JWT, pela campanha para a Johnson & Johnson. Já os bronzes foram para a MatosGrey, em campanha para a Sensodyne, e AlmapBBDO, pela campanha para a Bayer.


Mais cinco Leões serão anunciados hoje. Dois são para a categoria cyber, de ações na internet – para a DM9DDB, de bronze, e para a Sun MRM, de prata. Outros três vão para a categoria design: para a Tátil Design, a Indústria Nacional e a AlmapBBDO. Na segunda-feira, o Brasil havia ganho um prêmio em relações públicas, e hoje devem ser oficializados mais sete em anúncios impressos – sendo três de ouro.’


 


 


JORNALISMO-CIDADÃO
Tutty Vasques


Repórter, eu!


‘A cobertura dos protestos de rua em Teerã pôs em prática de maneira muito eficiente a figura do repórter-cidadão, apontada na internet como o futuro da imprensa. A censura a jornalistas no Irã mostrou ao mundo que qualquer mané com um celular de penúltima geração na mão e uma vaga ideia de como chegar ao YouTube na cabeça pode tropeçar em furos de reportagem pelo caminho. As imagens toscas da morte de Neda, a estudante-mártir da repressão às manifestações contra Ahmadinejad, viraram símbolo desse jornalismo que dispensa jornalistas – ô, raça!


A boa notícia para a categoria é que muito em breve talvez a gente ganhe o status de raça em extinção, com direito a uma reserva para viver sob proteção federal e ajuda de custos do Bolsa-Jornalista. Até lá, nenhum coleguinha deve jogar seu diploma no lixo. Sem ele, você será um repórter-cidadão como outro ser humano qualquer.’


 


 


TELEVISÃO
Keila Jimenez


Pânico dobra salário


‘Salário dobrado, maior participação no faturamento, estúdio e cenário novos… Essas são algumas das promessas que fizeram o Pânico renovar por mais 3 anos sua permanência na Rede TV!. Assediados por SBT, e sondados por Globo e Record, a trupe de Emílio Surita disse ontem à Rede TV! que fica.


Em almoço no início da tarde, parte dos integrantes assumiu o compromisso de renovação com o canal. A outra parte deve assinar ao longo da semana, uma vez que os contratos do Pânico são diferenciados. Ceará, Vesgo e Sabrina têm contrato com a Rede TV!, o restante da trupe tem contrato com a marca Pânico, do empresário Tutinha, que por sua vez tem contrato com a rede.


Nos bastidores da negociação, o Pânico conseguiu dobrar salários – cada um dos humoristas ganhava entre R$ 15mil e R$ 35 mil por mês – e aumentar a participação no faturamento. A trupe também ganhará um estúdio novo e reforço na produção. ‘A estabilidade e a liberdade que eles têm aqui os fizeram ficar’, diz o vice-presidente da Rede TV!, Marcelo Carvalho, que sonha em aumentar o tempo da atração no ar, que vem registrando média de 10 pontos de ibope.’


 


 


 


************


Folha de S. Paulo


Quarta-feira, 24 de junho de 2009


 


TIM LOPES
Ruy Castro


Em breve nas ruas


‘RIO DE JANEIRO – A Justiça ameaça devolver às ruas o traficante Elias Maluco, condenado pelo assassinato do jornalista Tim Lopes, da TV Globo. Para quem não se lembra, em 2002, Tim estava em meio a uma reportagem sobre bailes funk no complexo do Alemão, no Rio, seguindo uma denúncia de que neles haveria tráfico de drogas e exploração sexual de menores.


Foi capturado, torturado e executado a tiros na favela da Grota. Ainda vivo, foi queimado no ‘micro-ondas’, como os bandidos chamam os pneus que incendeiam junto com a vítima, e esquartejado a golpes de espada ninja. A polícia custou para identificá-lo pelos fragmentos que encontrou. Outros oito homens, comandados por Maluco, participaram da execução.


Elias Maluco pegou 28 anos e seis meses de prisão em regime integral -ou seja, teria de cumprir a pena inteira. Mas, na semana passada, seu advogado conseguiu mudar a pena para aquela em que, depois de completado um terço, o réu pode gozar do regime semiaberto ou mesmo de liberdade condicional. Maluco já cumpriu sete anos. Donde, dentro de mais dois, poderá passar o dia flanando pela cidade, de mãos nos bolsos e chutando tampinhas, e só voltar à cadeia para dormir, ou ficar de vez na rua.


Na verdade, esse já era o regime de que ele estava gozando -o de liberdade condicional- quando matou Tim Lopes. Um de seus cúmplices, o bandido Zeu, também teve licença para dar uns bordejos, no ano passado. Pois saiu para ver a família e nunca mais voltou -suspeita-se de que tenha matado a mulher, e seus colegas de tráfico o executaram por isso. Como se vê, os traficas não confiam muito uns nos outros.


Elias Maluco à solta, de chinelo e bermuda nos fundos de uma birosca, é, de fato, uma ameaça. Mas não maior que a dos calçudos e engravatados por trás dele.’


 


 


DIPLOMA DE JORNALISMO
Folha de S. Paulo


Congresso não pode reverter decisão do STF, afirma Mendes


‘Presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes disse que não há possibilidade de o Congresso reverter a decisão do órgão de acabar com a exigência do diploma de jornalismo para o exercício da profissão.


‘Não há possibilidade de o Congresso regular isso, porque a matéria decorre de uma interpretação do texto constitucional’, disse.


Na Câmara, entidades que reúnem jornalistas têm discutido com deputados uma tentativa de criar uma nova regulamentação.


‘Essa é uma decisão que vai repercutir sobre outras profissões. Em verdade, a regra da profissão regulamentada é excepcional, no mundo todo e também no modelo brasileiro’, afirmou Mendes.’


 


 


TODA MÍDIA
Nelson de Sá


Obama e ‘o caminho’


‘‘Washington Post’, ‘Financial Times’ e outros pouco destacaram, com enunciados como ‘Obama reforça retórica’. O ‘New York Times’ deu manchete on-line, ‘Obama ataca Irã por reação violenta’, mas postou ao lado a coluna ‘O fim do começo’, avaliando que o levante, por ora, ‘terminou’.


Obama, na coletiva por TV e internet, voltou a dar prioridade para sites como Huffington Post -e a citar o Brasil, apontando a ‘relação de trabalho’ com Lula como ‘o caminho para outros países’, o que foi visto como referência a Venezuela ou Irã:


‘O presidente Lula tem uma orientação política muito diferente da maioria dos americanos. Ele subiu através do movimento sindical, foi visto como forte esquerdista e no fim era uma pessoa muito prática, que instituiu toda sorte de reformas inteligentes de mercado que fizeram o Brasil prosperar.’


EM TRANSFORMAÇÃO


Thomas Trebat, diretor do Instituto de Estudos Latino-Americanos da Universidade Columbia, postou em coluna no site RGE Monitor, de Nouriel Roubini, análise sobre ‘Brasil e os Brics’. Destaca que os ‘investidores deveriam ver a liderança do Brasil na cúpula Bric como novo sinal da profunda transformação em seu papel internacional… na direção de um papel mais ativo dentro de um status quo mundial reformado’.


‘BOOM AGAIN’


Correu por Bloomberg e outras a coletiva do Citigroup, dizendo que ‘será metade mercados emergentes’. E que ‘o Brasil é peça-chave disso’, que ‘o herói é o consumidor brasileiro’ etc.


Nessa linha, o Seminário Imobiliário Global Reuters, em Nova York, deu a notícia ‘Brasil vive novo boom no palco imobiliário’.


EUA VS. CHINA


Martin Jacques, ontem no ‘Guardian’, postou a coluna ‘Bem-vindo ao milênio da China’ -e depois lançou seu novo livro ‘Quando a China Domina o Mundo’.


Já a nova ‘Foreign Policy’ dá capa para ‘Não acredite no hype da Ásia’ e sim nos EUA. E na manchete de ontem no ‘FT’, ‘EUA entram contra China na OMC’.


DE AHMADINEJADI A SARNEY


Lula também mudou a retórica sobre o Irã, dizendo que ‘ou a justiça iraniana dá um jeito, ou a situação se senta com a oposição ou se têm novas eleições, porque o povo não pode continuar sendo vitimado’. Mas reafirmou que a fraude ‘é difícil de acontecer’. Na Folha Online, ‘Lula volta a defender Ahmadinejadi’.


Por aqui, em defesa de Sarney, ‘Lula critica imprensa por privilegiar escândalo no Senado’, na Reuters Brasil. Reclama que, ‘em uma crise como esta, o aumento de mais de cem mil empregos é uma coisa, mas a manchete é o emprego no Senado’.


PESQUISAS JÁ


Fernando Rodrigues, no UOL, detalhou pesquisa GPP divulgada por Cesar Maia via newsletter e Twitter, com o título ‘Sem Ciro, Dilma passa Serra no Nordeste’.


‘COMEÇOU CEDO’


Dias atrás, o blog de Lauro Jardim postou que ‘já tem banco fechando contrato com institutos para pesquisas eleitorais que começam no segundo semestre’.


SOB FORTE PRESSÃO


A BBC de Gary Duffy e até a ‘New Republic’ entraram ontem na ‘controvérsia’ sobre a nova legislação sobre propriedade de terras na Amazônia. Os dois citados não chegam a tomar posição, citando pós e contras para a floresta, mas dão voz à ‘forte pressão’ ambientalista sobre Lula, pelos vetos ao texto aprovado no Congresso.


DISPUTA, AGORA LÁ


A avó, o padrasto e o advogado da família brasileira do jovem Sean Goldman foram ontem ao ‘Early Show’ da CBS. Defenderam a permanência no Brasil, questionaram o pai americano e disseram que ele quer continuar por aqui. Mas a TV não exibiu entrevista que fez com o menino. A advogada do pai disse à AP que foi ‘ordem judicial’.


‘GRIPE COMUM’


Nem Irã nem Senado. Na manchete dos telejornais brasileiros de ontem, a ‘gripe suína’ que levou o Brasil a sugerir distância de Argentina e Chile. Mas ‘a doença não é mais perigosa que a gripe comum’, anunciou o ‘Jornal Nacional’, na escalada.’


 


 


TELEVISÃO
Daniel Castro


Novela da Globo recupera ibope perdido para Record


‘O crescimento de ‘Caminho das Índias’ no Ibope tem sido proporcional à queda da Record. A novela das oito da Globo ainda está longe da marca de 50 pontos que registrava até três anos atrás. Mas os números dos últimos meses indicam uma tendência de recuperação.


Em março, ‘Caminho das Índias’ teve média mensal de 37 pontos no PNT (Painel Nacional de Televisão), o Ibope nacional, com a medição das principais regiões metropolitanas. No mesmo horário, a Record, com a trilogia ‘Mutantes’ (principalmente) marcava 13.


Em abril, ‘Caminhos’ subiu dois pontos (foi para 39), e a Record caiu dois. No mês passado, a novela das oito chegou aos 41, enquanto a Record desabou para 9. Neste mês, no acumulado até o dia 13, ‘Caminhos’ já computava 43 pontos. A Record, graças a ‘A Fazenda’, manteve-se nos 9.


Desde a última quinta, a Record tem exibido ‘A Fazenda’ como recheio do ‘sanduíche’ de novelas. A estratégia de turbinar as novelas está funcionando parcialmente. ‘Promessas de Amor’, apresentada antes do reality show, teve queda de audiência. ‘Poder Paralelo’, no ar depois, cresceu.


ÚLTIMO GOLPE 1


A atriz Maitê Proença vai entrar para o elenco de ‘Caminho das Índias’. Sua personagem, Nanda, será a última vítima da golpista Yvone (Letícia Sabatella). Ela interpretará a mulher de Haroldo (Blota Filho), advogado de Melissa (Christiane Torloni).


ÚLTIMO GOLPE 2


A autora Glória Perez se inspirou na história de um falso milionário que foi preso na Europa dando golpe em mulheres casadas. Nanda será seduzida por Mike (Odilon Wagner). Yvone filmará os encontros de Nanda com Mike, seu comparsa, e depois fará chantagem, ameaçando mostrar as imagens para o marido dela. O desfecho da história, no entanto, será o desmascaramento da vilã.


SUPERPODEROSO


Na Record, são grandes os rumores de que Douglas Tavolaro, diretor de jornalismo, será em breve promovido a vice-presidente da área.


QUIZ SHOW


O programa que Roberto Justus irá apresentar no SBT deverá ser um quiz show, jogo de perguntas e respostas. A Record tem preferência pelo formato de ‘O Aprendiz’.


CERCO 1


A Justiça Federal instaurou na semana passada duas ações civis públicas, propostas pelo Ministério Público Federal (MPF), contra a Band.


CERCO 2


Numa das ações, o MPF pede R$ 500 mil de indenização por ter a Band exibido imagens de filme pornô de Alexandre Frota, por volta das 15h, em março do ano passado.


CERCO 3


Na outra ação, o MPF pede R$ 447 mil de multa por ter a Band iniciado, antes das 23h, a exibição de um filme impróprio para menores de 18 anos. A emissora diz que ainda não teve acesso às ações e que se pronunciará em juízo.’


 


 


Lúcia Valentim Rodrigues


Aumenta lista de séries canceladas na TV paga


‘O policial Charlie Crews vai parar de montar o quebra-cabeças que desvendava o motivo de ter ido parar na cadeia por 12 anos. Injustamente, é claro.


O mistério que envolvia o protagonista de ‘Life’ vai ser revelado hoje, às 20h, no canal AXN, no último episódio da segunda temporada. Mas o detetive zen se despede para sempre, já que, com o perdão do trocadilho, ‘Life’ morreu. A queda na audiência inviabilizou a renovação do seriado.


Este é apenas um exemplo de uma lista que engloba, por exemplo, uma segunda leva de episódios de ‘The Beast’ (exibida aqui no A&E), com o ator Patrick Swayze, o que só fez aumentar os boatos sobre o atual estágio de seu câncer.


A melosa ‘Pushing Daisies’ é outra que não vai passar do segundo ano -embora a Warner ainda não tenha divulgado quando esta derradeira temporada estreará no Brasil.


A CBS teve de escolher entre dois seriados policiais. Instável entre o público e com alto custo, ‘Without a Trace’ foi preterida por ‘Cold Case’ (chamada de ‘Arquivo Morto’ nas madrugadas do SBT). As duas enfrentavam a concorrência da longeva ‘Law & Order: Special Victims Unit’, com 19 temporadas, que segue firme no Universal Channel.


Na linha de ficção científica, quem não aguentou a rivalidade na programação foi ‘Eleventh Hour’, de Jerry Bruckheimer. Talvez tenha pesado o fato de ‘Fringe’, de J.J. Abrams, já ter fechado para estrear a segunda temporada em 17 de setembro.


‘Dirty Sexy Money’ sai de vez da grade do AXN; e ‘The Shield’ fica só com reprises.


Recém-estreadas aqui, mas com críticas negativas ferozes lá fora, ‘Harper’s Island’, ‘Reaper – Um Trabalho Infernal’ e ‘Knight Rider’ também estão na listas das séries canceladas.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem