Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº969

ENTRE ASPAS > TERÇA-FEIRA, 8/12

Lula volta a criticar imprensa

Por Leticia Nunes (seleção de textos) em 08/12/2009 na edição 567


Leia abaixo a seleção de terça-feira para a seção Entre Aspas.


 


************


O Estado de S. Paulo


Terça-feira, 8 de dezembro de 2009


 


PRESIDENTE


Clarissa Oliveira


Homenageado por revista, Lula vê mídia ‘azeda’


‘Em mais uma crítica à imprensa, o presidente Lula afirmou ontem que às vezes tem vontade de ‘se matar’ ao ler os jornais do País. Homenageado ontem, em São Paulo, pela revista IstoÉ como o brasileiro do ano, Lula chegou a ensaiar um breve elogio aos meios de comunicação nas saudações que fez no início de seu discurso. Mas logo mudou de tom.


‘Tem dias que você acorda, lê os jornais e tem vontade de se matar. Porque o mundo tá acabando. Se você então ficar só na manchete, nem saia de casa. Porque tem um certo azedume, é uma coisa tão azeda que até faz mal para o País’, afirmou o presidente, que lembrou das críticas que recebeu ao afirmar, no início da crise econômica, que ela chegaria ao Brasil como uma ‘marolinha’.


Num rápido e descontraído discurso, Lula disse não entender por que os políticos costumam achar que são ‘seres superiores’. Citou como exemplo o ex-presidente americano George W. Bush. Contou que, em visita ao Brasil, o colega se recusou a posar para fotos em frente a carros da Ford e da General Motors para não fazer merchandising. ‘É essa bobagem de político achar que é ser superior. Não posso contar piada porque sou político, não posso rir porque sou político, não posso beber porque eu sou político, não posso falar palavrão porque sou político. Como se essas coisas fossem só para artista.’


Lula ganhou elogios de sobra de outros premiados, em especial do governador de Minas, Aécio Neves, eleito o brasileiro do ano na política pela revista. Em seu discurso, Aécio disse reconhecer ‘avanços incontestáveis’ do governo Lula.’


 


 


LIBERDADE DE IMPRENSA


Moacir Assunção


‘O Estado deveria ser ressarcido’


‘O presidente e fundador do site Comunique-se (www.comuniquese.com.br), jornalista Rodrigo Azevedo, define em uma palavra a censura imposta ao Estado desde 31 de julho, por liminar do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF): ‘Inacreditável.’


Para Azevedo, que dirige o portal de conteúdo jornalístico, fundado em 2001, é incrível que, em pleno século 21, um dos jornais mais importantes do Brasil continue impedido de noticiar fatos sobre a Operação Boi Barrica, da Polícia Federal. Um dos alvos da investigação foi o empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e autor do pedido que instaurou a mordaça no jornal.


‘A censura prévia é um absurdo. As reportagens feitas pelo Estado estavam todas tecnicamente corretas. Não houve emissão de opinião, mas somente a descrição dos fatos e, mesmo assim, foram censuradas’, afirmou.


Para Azevedo, a mordaça interfere até mesmo na imagem que os brasileiros fazem do seu próprio país. ‘Dá para ficar desanimado ao ver ocorrerem estas coisas. Quando se fala que o Brasil será a próxima potência mundial, nos perguntamos se isso será possível com decisões assim’, lamentou.


Para o jornalista, o Estado deveria, depois que a censura for derrubada, pedir indenização ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal por causa do período em que ficou proibido de repassar informações aos seus leitores, uma vez que outros jornais não sofreram censura prévia e puderam publicar reportagens sobre a mesma operação da PF. ‘Houve um prejuízo e o Estado deveria ser ressarcido’, destacou.


De acordo com Azevedo, quando saíram os informes sobre a mordaça no Comunique-se, a maioria esmagadora dos internautas demonstrou, nos comentários, repulsa à censura imposta pelo TJ-DF – após liminar obtida por Fernando.


Na opinião do jornalista, a censura cairá no julgamento no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), marcado para amanhã. ‘Não espero mais que o fim da censura prévia, um dos maiores absurdos em termos de imprensa que vimos nos últimos anos’, afirmou.


Azevedo considera que, desde o início do processo, o TJ-DF teve uma única preocupação: ganhar tempo para fazer com que a mordaça se estendesse cada vez mais, a ponto de completar, hoje, 130 dias de interdição.


‘Essa história de mandar o processo para o Maranhão é um absurdo completo, que demonstra que as manobras são somente protelatórias’, comentou.


O presidente do Comunique-se criticou ainda a postura do desembargador Dácio Vieira, que concedeu a liminar a Fernando. ‘Ele cometeu um enorme equívoco e deveria ter a grandeza de reconhecer que errou. Isso, entretanto, não exime de culpa os demais desembargadores do TJ-DF, que deveriam ter acertado o rumo.’


SUSPEIÇÃO


Depois de recursos do jornal, Vieira foi afastado do caso e declarado suspeito pelos seus próprios pares. Mesmo assim, a decisão permaneceu em vigor.


Na sequência, o TJ-DF se declarou incompetente para julgar o caso, determinando sua remessa à Justiça Federal do Maranhão.


Por fim, o Estado entrou com uma reclamação no STF, alegando que a decisão do Tribunal de Justiça do Distrito Federal contraria decisões recentes do próprio Supremo.


Liminar do Tribunal de Justiça do DF em ação movida por Fernando Sarney proíbe o jornal de publicar dados sobre a investigação da PF acerca de negócios do empresário, evitando assim que o ‘Estado’ divulgue reportagens já apuradas sobre o caso’


 


 


COPENHAGUE


The Guardian


Conferência vai atrair 5 mil jornalistas


‘A COP-15 terá uma das maiores coberturas midiáticas de todos os tempos. São esperados em 5 mil jornalistas de 180 países. Somente China, Índia e Brasil enviarão 300 profissionais. O número total só não é maior porque a ONU, pela primeira vez, teve que fechar a lista de credenciamento antes do início de uma reunião, alegando que o local do evento só pode abrigar 15 mil pessoas.’


 


 


TELEVISÃO


Etienne Jacintho


Sky quer mudar definição de lei


‘O presidente da Sky, Luiz Eduardo Baptista da Rocha, o Bap, afirmou que o assinante pode ser prejudicado caso o PL 29 – projeto de lei que regulamenta o setor da TV paga – seja aprovado amanhã em votação na Câmara. A parte do PL 29 que permite a entrada das empresas de telecomunicações no mercado de TV paga já foi aprovada. O que estará em votação amanhã é a criação de cotas para conteúdo no horário nobre na TV.


Segundo o texto do projeto, um terço dos canais de uma operadora precisa ser canal brasileiro de conteúdo qualificado. A lei entende por ‘qualificados’ os canais que, no horário nobre, não exibam conteúdo político, étnico, religioso, televendas, jornalístico, de entrevistas, esportivos e programas de auditório. E como canal brasileiro, a lei define aqueles que tenham conteúdo qualificado no horário nobre e que metade deste conteúdo seja feito por uma produtora independente e que não tenha acordo de exclusividade.


A definição exclui canais como Globonews, Bandnews e SporTV, já que esportivos e jornalísticos não são considerados qualificados. Segundo Bap, que quer a ampliação desse conceito de ‘qualificado’, dos 43 canais nacionais que a Sky possui hoje, somente seis deles são considerados qualificados. Isso incluindo GNT e Multishow, que podem ter de mudar suas grades de programação para se adequar à lei.


Para validar sua grade no sistema de cotas, a Sky teria de substituir canais e transformar alguns internacionais – como Fox, TNT, Warner ou Sony – em canais a la carte, que teriam de ser comprados individualmente por cada assinante. ‘Não há como não repassar isso para o consumidor’, diz Bap. ‘Vou mandar carta dizendo: ‘querido assinante, você terá de pagar R$ 20 a mais para ajudar o fomento do conteúdo audiovisual nacional’.’


Bolinha e o clube da Luluzinha


Que festa da firma que nada. Para marcar a confraternização de fim de ano de seus apresentadores, o GNT leva ao ar no dia 14, às 22h, o especial Truques de Confiança. Gravado no restaurante 66 Bistrô, do apresentador Claude Troisgros, o encontro, com exceção do chef, virou um clube da Luluzinha. Por ter sido gravado no Rio, os outros (poucos) apresentadores homens não puderam comparecer.


Entrelinhas


A briga entre torcedores e policiais no jogo entre Coritiba e Fluminense, no domingo, rendeu cena inusitada no SporTV 2: a câmera focou um torcedor do time paranaense no momento em que exibia sua genitália.


Silvio Santos bateu pela primeira vez Gugu no Ibope. No domingo, o SBT marcou 12 pontos, contra 11 da Record. A liderança ficou com a Globo, 19 pontos.


Em 19 de março, Alice Braga assume de vez o Superbonita, do GNT, que passa a ser um reality de transformação de visual.’


 


 


 


************


Folha de S. Paulo


Terça-feira, 8 de dezembro de 2009


 


IRÃ


Irã volta a reprimir protesto da oposição


‘Após um mês de relativa calma, o Irã voltou ontem a ser palco de violentos confrontos entre oposicionistas e forças de segurança do regime, que está sob pressão interna e externa.


Os incidentes mostram que a onda de protestos deflagrada pela controversa reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, em junho, segue viva e que o clima no país é explosivo.


Manifestações que reuniram milhares de pessoas em Teerã e outras cidades foram reprimidas a balas de borracha, cassetetes e bombas de gás lacrimogêneo, deixando vários feridos.


Integrantes da milícia voluntária Basij ampararam a ação dos policiais e ajudaram a prender manifestantes.


As circunstâncias e o desfecho do dia de protestos eram incertos, já que o governo iraniano suspendeu por 48 horas as autorizações de trabalho dos jornalistas estrangeiros, tornando ilegal a cobertura dos incidentes in loco. A internet e redes de celular foram cortadas.


Os oposicionistas usaram tática igual às últimas vezes em que se manifestaram: ir às ruas em meio a uma celebração nacional para aproveitar a brecha que permite agrupamentos em público-houve protestos anti-Ahmadinejad em setembro, no Dia contra Israel, e no mês passado, no 30º aniversário do sequestro da embaixada americana em Teerã.


Desta vez os manifestantes aproveitaram a comemoração do Dia do Estudante, que lembra a morte de três universitários pelo regime do xá em 1953.


Segundo testemunhas e jornalistas que driblaram o cerco, os maiores protestos de ontem ocorreram dentro e nos arredores das universidades de Teerã, que foram cercadas e isoladas.


Também houve registros de manifestações nos campi universitários de Kerman, Meshed, Isfahan, Hamdean e até em Sanandaj, localizada no Curdistão iraniano.


Em todos os protestos, de acordo com relatos, as pessoas gritaram ‘morte ao ditador’ e queimaram cartazes com o retrato do líder supremo Ali Khamenei, refletindo a aparente mudança de foco dos protestos, que antes focavam o presidente Ahmadinejad.


A ira aberta contra a antes intocável figura de Khamenei é tida como sinal de que a revolta vai além da simples contestação do pleito de junho, pelo qual Ahmadinejad foi reeleito com 62,46% dos votos, contra 33,8% para o reformista Mir Hossein Mousavi.


Khamenei, além de ter avalizado a reeleição do presidente em meio a indícios de fraude, simboliza, aos olhos de parte da população, a rigidez do sistema de leis que rege a vida dos 66 milhões de iranianos desde a Revolução Islâmica de 1979.


‘[O regime] nos pede que esqueçamos de vez o resultado das eleições, como se as pessoas só estivessem preocupadas com isso’, escreveu Mousavi em comunicado anteontem.


À onda oposicionista pró-Mousavi, liberal e urbana, se opõe um movimento predominantemente popular e rural, apegado a valores tradicionais e que apoia os esforços do governo para silenciar uma oposição tida como ameaça às fundações do Estado teocrático.


Os EUA e o Reino Unido ontem acusaram o governo iraniano de desrespeitar o direito da população a se manifestar pacificamente.


A repressão ameaça minar ainda mais o clima nas emperradas conversas em que Teerã tenta convencer as potências de que seu programa nuclear visa produzir energia, não bombas atômicas.


Com agências internacionais e o ‘Financial Times’’


 


 


TODA MÍDIA


Nelson de Sá


Lições do Brasil


‘A se dar crédito aos números, a aprovação de Lula segue alta. E foi pesquisa feita sob impacto do apagão, ‘notícia mais lembrada’ pelos entrevistados.


Uma explicação pode estar na ‘Newsweek’ desta semana, sob o enunciado ‘Como o Brasil controlou a desigualdade’. O país virou ‘parâmetro no esforço global para diminuir a diferença entre ricos e pobres’. E ‘não é só que os pobres vivem situação melhor: o Brasil se destaca porque seus pobres estão subindo mais rapidamente que qualquer outra classe social. A desigualdade caiu 5,5% desde 2003’.


Mais à frente, ‘apesar de China e Índia estarem crescendo mais, estão se tornando mais desiguais, o que leva especialistas a olharem o Brasil como um modelo para a guerra contra a pobreza’. E por aí vai, creditando à ‘chegada da esquerda ao poder’, com Bolsa Família, mais presença do Estado etc.


A ‘Newsweek’ ecoa a ‘Economist’ anterior, sob o título ‘Lições do Brasil, China e Índia’. Em suma, ‘por unidade de crescimento, o Brasil cortou sua taxa de pobreza cinco vezes mais que China e Índia. Como ele conseguiu ir tão bem?’ Bolsa Família etc.


A diferença é que a ‘Economist’ fecha dizendo que ‘os dois asiáticos poderiam aprender com o Brasil’, mas também o Brasil precisa de ‘crescimento maior’, como conquistaram a China e a Índia.


AGORA, PETROPOTÊNCIA


Ecoou do ‘ex-blog de Cesar Maia’ ao UOL a reportagem de Juan Forero, em alto de página ontem no ‘Washington Post’, ‘Brasil se prepara para extração maciça de petróleo’.


Em destaque, logo abaixo, ‘Estatal Petrobras está prestes a se tornar um ator global maior’. Na legenda da foto de um estaleiro em Angra dos Reis, no Rio, ‘operários estão construindo enormes plataformas de petróleo’. Na tradução da BBC, ‘tudo neste estaleiro é colossal. Os bilhões, os quatro mil trabalhadores, as plataformas de dez andares. Assim é também o desafio da Petrobras: desenvolver campos em mar profundo que catapultarão o país ao ranking das petropotências’.


CHINA-BRASIL


Colunista do estatal ‘China Daily’, o brasileiro Marcos Fava Neves escreveu ontem sobre este ano em que cresceu ‘muito’ a relação político-econômica entre os dois. Ele listou dez ideias sobre temas importantes para os próximos dez anos, para a ‘ponte China-Brasil’, entre elas uma atenção maior ao ‘mercado consumidor interno’, em expansão, e às ‘fusões industriais’.


AOS EUA


Do economista Jeffrey Sachs para Clóvis Rossi, em sua coluna na Folha Online: ‘Vocês precisam mandar os economistas brasileiros para ajudar Washington’.


AO BRASIL


No iG, Guilherme Barros posta que ‘Múltis procuram executivos para o Brasil’. E que o economista Persio Arida volta em janeiro, após anos em Londres.


O RISCO DO FRACASSO


Começou Copenhague, com ‘chamados urgentes por ação’ e ‘alertas contra o fracasso’, nas manchetes de ‘New York Times’ e outros. Nos despachos da Reuters, ‘ONU defende hipótese de aquecimento’ ou, pior ainda, ‘defende achados do painel climático da ONU’.


O site da ‘Economist’, sob a manchete ‘Em busca de harmonia’, avisou que ‘a concordância é quase universal de que as negociações não alcançarão novo protocolo’. Podem desenhar as ‘linhas gerais sobre as questões mais importantes’, para acordo em 2010. ‘Mas Copenhague pode render muito menos que isso.’


OBAMA CONTRA…


O ‘NYT’ deu em editorial que ‘ninguém deve esperar um acordo’, mas saudou que os EUA tenham apresentado meta, ‘embora a aprovação no Senado seja muito difícil’, com oposição de republicanos e democratas conservadores. Saudou também que tanto americanos como europeus já aceitem pagar ‘preço justo’ para que países emergentes reduzam emissões.


O CONGRESSO


O ‘Wall Street Journal’ adiantou na manchete que a agência ambiental, apesar do lobby empresarial, anunciaria que o dióxido de carbono é agora um ‘poluente perigoso’ – o que permite ao governo limitar emissões. Fim do dia e o ‘Financial Times’ destacou que ‘grandes empresários e republicanos já questionam a decisão tomada via regulação e não legislação’.’


 


 


TELEVISÃO


Abril adquire parte da Viacom na MTV Brasil


‘O Grupo Abril anunciou ontem que adquiriu a parte que a gigante norte-americana de mídia Viacom detinha na MTV Brasil. Com isso, a Abril passa a ser a única dona do canal especializado em música e deterá todos os direitos de licenciamento da marca no país.


‘A Abril comprou os 30% do capital da MTV Brasil pertencentes ao grupo americano’, informou a Abril em comunicado. A empresa não informou o valor da transação.’


 


 


Silvia Corrêa


TV aberta perde audiência em São Paulo


‘A guerra da audiência rendeu poucos frutos neste ano às emissoras de TV aberta. Em relação a 2008, elas perderam telespectadores em São Paulo.


Na soma das audiências,Globo, Record, SBT, Band e RedeTV! chegaram a 36,6 pontos, entre 7h e 0h, na média de janeiro a novembro de 2008.


Neste ano,o índice caiu a 34,6. Isso significa que, diariamente, mais 114mil televisores da Grande São Paulo foram sintonizados em outros canais (menores ou pagos),usados para outros fins (DVD ou videogame) ou ficaram desligados.


A Globo estacionou nos 17,5 pontos. Nos dados nacionais, foi um pouco melhor: passou de 19,3 em 2008 para 19,7 neste ano. O índice, porém, segue longe da meta de 22 pontos fixada pelo diretor-geral da emissora,Octávio Florisbal.


A Record, que trava uma batalha pública com o Ibope, foi quem mais perdeu na Grande São Paulo. Passou de 8,5 nos primeiros 11meses do ano passado para 7,3 pontos neste ano -queda de 1,2 ponto. A notícia boa para a Record é que o SBT também encolheu -de 6,4 para 5,6. Sem o efeito ‘Pantanal’ (2008), a emissora de Silvio Santos não conseguiu fechar nenhum mês deste ano em segundo lugar na audiência.


O ‘Pânico’ não salvou a RedeTV!, que foi de 1,7 para 1,6. Já a Band, que chegou a perder para a RedeTV! à noite,manteve a dianteira na média do ano e foi o único canal com resultado positivo -passou de 2,5 para 2,6, dentro da margem de erro.


MENGO HISTÓRICO


O Flamengo fez história também na TV. O jogo contra o Grêmio, que garantiu o título ao time, deu à Globo 42 pontos de audiência no Rio. Das TVs ligadas, 72% acompanhavam a partida. É a maior audiência da história dos jogos de domingo do Brasileirão na cidade.


FESTA NO SBT


A audiência do ‘Programa Silvio Santos’ superou a do ‘Programa do Gugu’pela primeira vez desde que o apresentador estreou na Record, Em 30 de agosto. Foi 11,7a11,3. Na estreia, Gugu marcou 16.


ELIANA ECOLÓGICA


A apresentadora Eliana (SBT) grava na Amazônia até domingo. No ar há três meses, essa é a terceira investida ecológica do programa. As outras foram em Galápagos e Bonito.


SUBIU NO TELHADO


Marcelo de Carvalho, sócio da RedeTV!, já tem dito que vai gravar o piloto de’ Mega Senha’ no final de janeiro,mas que desistirá do projeto se o resultado não for bom. Luciana Gimenez prefere que o marido não se torne apresentador.


MAIS AO PONTO


A TV Cultura e a Futura vão fazer a segunda temporada de ‘Ao Ponto’, com Jairo Bauer.O programa vai se chamar ‘Ao Ponto Remix’ e deixará de ter plateia. A VJ Penélope Nova será a primeira convidada.


BEIJO DA DISCÓRDIA


Foi por que discordou de uma cena de beijo que Fany Georguleas foi para a geladeira na Record. Aos22 anos, a atriz vive uma menina de 14em ‘Poder Paralelo’. A personagem iria crescer, mas agora vai sumir.’


 


 


Rodrigo Russo


Rios do continente são tema de episódios de ‘Viver para Contar’


‘‘Viver para Contar’, produção da Conspiração Filmes para o Discovery, exibe amanhã o primeiro dos dois novos episódios programados para este fim de ano. A série conta histórias de sobrevivência em situações extremas na América Latina.


Com estreia em dezembro do ano passado, a série, sem periodicidade fixa e definida como um especial pelo canal, alcança a marca de cinco capítulos -média de um a cada dois meses e meio, aproximadamente.


Para 2010 está confirmada a exibição de mais três episódios, com chance de histórias brasileiras serem selecionadas.


Agora, os rios do continente são o cenário de reconstituições de situações de sofrimento -sempre acompanhadas de depoimentos.


Amanhã é a vez do rio da Prata, em território argentino, onde o casal Luis Crespo e Laura di Battista planejava fazer um passeio romântico com uma pequena lancha, em março deste ano. Depois de alterar a rota, Luis percebe que a embarcação está naufragando, a seis quilômetros da costa e em local de difícil acesso.


A solução? Nadar até encontrar ajuda. Parece pouco? Então, para piorar, Laura não conseguia nadar contra a correnteza, e Luis teve que continuar sozinho. À noite, após sete horas de nado e mais uma de caminhada, finalmente Luis encontra resgate para Laura, em frágeis condições de saúde.


Na semana que vem, um empresário do ramo de turismo sofre com caiaques e um grupo de cinco pessoas no rio Papagayo, no México.


VIVER PARA CONTAR


Quando: amanhã, às 21h, no Discovery


Classificação: 12 anos


 


 


INTERNET


Apple compra serviço Lala, de venda de música digital


‘A Apple comprou o serviço de canções digitais Lala, numa tentativa da maior varejista on-line de músicas de explorar novos modelos de venda nesse segmento. Os termos do acordo não foram revelados.


O iTunes, de propriedade da Apple, é o maior serviço de música nos Estados Unidos, com mais de 70% de todas as vendas digitais de canções. A loja é líder do varejo musical.


Mas novos serviços de música via ‘streaming’ (em que não é preciso baixar o conteúdo) como os do MySpace Music e do Spotify começaram a ganhar os amantes da música no ano passado.


‘A Apple compra pequenas empresas de tecnologia de tempos em tempos, e nós geralmente não comentamos nossos propósitos ou planos’, disse o porta-voz da empresa, Steve Dowling.


Uma fonte próxima ao assunto disse que a Apple está procurando formas de expandir seu iTunes. ‘A Apple reconhece que o modelo irá evoluir para um ‘streaming’ e isso pode provavelmente levar o iTunes ao próximo nível’, afirmou a fonte.’


 


 


POLÍTICA


Mariana Barros


Kassab gastará parte do IPTU extra com propaganda


‘O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), vai usar parte do dinheiro extra obtido com o aumento do IPTU no ano que vem para turbinar seus gastos com propaganda.


A base de apoio do prefeito na Câmara Municipal, com o relator Milton Leite (DEM) à frente, já redefiniu o Orçamento de 2010, contando agora com os mais de R$ 600 milhões de arrecadação extra por causa do aumento do imposto.


O valor que constava no Orçamento original para propaganda em 2010, R$ 105 milhões -uma quantia recorde no que se refere a gastos em publicidade em SP-, foi aumentando agora para R$ 126 milhões.


Os gastos da prefeitura com propaganda já vêm numa escalada neste ano. A previsão inicial era gastar R$ 31 milhões, mas Kassab aumentou a verba da área e deve desembolsar até o fim do ano R$ 90 milhões.


A Câmara quer aprovar hoje, em primeira votação, a proposta de Orçamento de 2010, cujo valor total passou de R$ 28,1 bilhões para R$ 28,8 bilhões com a inclusão das receitas extras.


Para a base aliada, os gastos com propaganda – que aumentaram numa proporção bem maior do que o bolo geral do Orçamento- são necessários para fazer campanhas que informem a população, como as de combate à dengue ou as de alertas contra enchentes.


Divisão do bolo


A proposta apresentada por Milton Leite também direciona parte dos recursos extras que virão com o aumento do IPTU para as subprefeituras.


O pleito dos vereadores era que o arrecadado com o imposto fosse usado para tapar buracos de ruas, podar árvores e melhorar a iluminação pública. A estratégia é diminuir o desgaste do prefeito e do próprio Legislativo que aprovou o aumento: o contribuinte pagará mais para, em tese, ter uma cidade mais bem cuidada.


O aumento do Orçamento das subprefeituras, tradicionais redutos dos parlamentares, acontece em um ano em que boa parte dos vereadores tentará se eleger deputado.


A peça também prevê a aquisição do prédio do hotel Othon, no centro, por R$ 25 milhões, para abrigar secretarias que hoje precisam pagar aluguel.’


 


 


 


************

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem