Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1059
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Mara Gama

01/09/2009 na edição 553

‘Os leitores Mauricio, Maximiliano e Leandro protestaram contra chamada de vídeo exibida em páginas de UOL Esporte no dia 24: ‘São Paulo: Jason ou Jéssica’. A chamada levava a um vídeo com comentário do colunista esportivo Flavio Prado, da Jovem Pan, parceira de conteúdo do UOL. O título faz alusão à torcida são-paulina, que adotou o personagem Jason, da série de filmes ‘Sexta-feira 13’, como símbolo nos estádios.

Maximiliano escreveu: ‘Como podem aceitar veicular uma reportagem como aquela que está na parte de esportes de vocês com a frase: ‘São Paulo: Jason ou Jéssica?’ Realmente fiquei bastante triste com este tipo de notícia, pois esperava algo com um pouco mais de cultura quando assinei o UOL há um bom tempo. Isto simplesmente pode incitar a violência nos estádios, principalmente quando um começar a tirar sarro do outro. A partir de agora, para que meu filho de 8 anos possa ler reportagens de ‘‘Esportes’’ no UOL terei que ler tudo antes? Ou bloquear o acesso a isso? Achei que encontraria notícias falando sobre a rodada, o que ocorreu, onde um time ou outro errou para tais resultados etc…. mas o que vi… Que pena!’.

‘Olá sempre acreditei na seriedade do jornalismo esportivo do UOL, mas achei de muito mau gosto o título dado a um comentário em vídeo do programa da Jovem Pan do Flávio Prado: ‘São Paulo: Jason ou Jéssica?’. Durante o comentário não houve nenhuma referência sobre este título, e não acredito que tenha sido o Flávio que escolheu o título. Assim, verifiquem qual webmaster do UOL escolheu de maneira tão infeliz e de mau gosto o título. Obrigado’, escreveu Leandro.

Por meio da equipe de parcerias do UOL, a responsável pelo site da Jovem Pan, Silvia Carvalho, informa que o título foi formulado por Flavio Prado, e ele assim escolheu porque seu estilo ‘é polêmico’, segundo Silvia. E conforme comentário do leitor Leandro, durante o comentário Prado não fala da torcida nos mesmos termos.

Esclarecida fica, então, a autoria da chamada.

Informo também que o vídeo não recebeu destaque na página de abertura de UOL Esporte, segundo o editor da área, Murilo Garavello.

Mas, assim como os demais vídeos de parceiros de conteúdo, ele teve chamadas entrando automaticamente em algumas páginas do UOL. Neste caso, na lista de vídeos de UOL Esporte, em uma área de vídeos nas páginas de Futebol e na página do clube São Paulo, time-tema da chamada.

E por que o vídeo que faz piada com a torcida entra na página de vídeos que a torcida frequenta?

O leitor que considerar que o UOL escolhe a dedo as chamadas destas páginas pode achar que se trata de provocação.

Mas não é o caso. Os vídeos são agrupados automaticamente nas páginas conforme tags atribuídas a eles. As tags são palavras-chaves que servem para identificar os vídeos e facilitar sua indexação em outras páginas.

Na interface usada pelos vídeos do UOL estas tags aparecem destacadas numa linha abaixo do vídeo.

Os vídeos em Esporte que recebem tags ‘são paulo’ vão para a página do clube de mesmo nome.

Assim como as páginas de times, de futebol e a listagem geral de vídeos de esporte, também algumas páginas de abertura de estações de conteúdo como UOL Cinema, UOL Carros, UOL Entretenimento, UOL Televisão, UOL Viagem e UOL Humor, por exemplo, trazem listas de vídeos formadas automaticamente. Nelas, os conteúdos se somam, sem passar por prévio controle editorial.

O recurso não é exclusividade do UOL.

E é importante ressaltar que desde o início da vida do portal houve páginas com conteúdos reunidos automaticamente, por meio de ferramentas que distribuem as coleções de notícias de cada tema de várias fontes, por exemplo.

Mas o caso é que sobre as notícias em texto o controle é feito de forma tecnicamente diferente. E a intervenção editorial é simplificada. Se um texto publicado pela Redação do UOL ou por uma agência de notícias, por exemplo, apresenta um erro, Redação e agência podem tirar do ar facilmente aquele conteúdo.

No caso dos vídeos, hoje em dia, não ocorre assim. Comparativamente, o controle editorial sobre o material de vídeo divulgado e listado é menor que o das notícias em texto.

Correções, eliminação e mudança de edição nas páginas de vídeos são operações mais complicadas. É preciso melhorar isso. Ainda que o volume de produção e a necessidade de atualização permanente justifiquem a existência de listagens automáticas, é necessário que a Redação possa intervir e editar rapidamente conteúdos com problemas ou que não atendam às suas exigências de qualidade.

Além disso, as listagens automáticas deveriam ser sinalizadas. Se num mundo de excesso de conteúdo se busca algum tipo de referência, imagino que o leitor que vai a uma página de UOL Cinema deve imaginar que ali estão reunidos assuntos e conteúdos que o editor ou os editores da área escolheram.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem