Sexta-feira, 06 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1066
Menu

ENTRE ASPAS >

Marcelo Coelho

25/05/2004 na edição 278

‘Ler a revista ‘Caras’ pode pegar mal em certos meios, e só se admite quando acompanhada de alguma explicação suplementar. Ou será que não? O maior esnobismo, atualmente, talvez esteja em aprovar a breguice, a tietagem, o consumismo e o lixo cultural como se isso fosse sinal de rebeldia e autonomia de espírito. O sujeito que se declara fã de Hebe Camargo ou Ana Maria Braga acha que enunciou um brilhante paradoxo, uma frase de extrema sofisticação.

Seja como for, quem gosta de reportagens sobre celebridades não precisa se contentar com as revistas de fofocas. Acaba de ser reeditado no Brasil, pela Companhia das Letras, o livro ‘Fama e Anonimato’, de Gay Talese. Trata-se de um clássico do jornalismo literário -e um de seus pontos altos está na longa reportagem sobre o cotidiano de Frank Sinatra, que Talese escreveu para a revista ‘Esquire’ em 1965.

É um texto espantosamente agradável de ler, e me surpreendi ao verificar que tinha cerca de 50 páginas. Chama-se ‘Frank Sinatra está resfriado’. Eis como começa.

‘Frank Sinatra, segurando um copo de bourbon numa mão e um cigarro na outra, estava num canto escuro do balcão entre duas loiras atraentes, mas já um tanto passadas, que esperavam ouvir alguma palavra dele. Mas ele não dizia nada; passara boa parte da noite calado (…). As duas loiras sabiam, como também sabiam os quatro amigos de Sinatra que estavam por perto, que não era uma boa idéia forçar uma conversa com ele quando ele mergulhava num silêncio soturno, uma disposição nada rara em Sinatra naquela primeira semana de novembro, um mês antes de seu quinquagésimo aniversário.’

Talese continua: ‘Sinatra estava fazendo um filme que agora o aborrecia e não via a hora de terminá-lo; estava cansado de toda a falação da imprensa sobre seu namoro com Mia Farrow, então com 20 anos, que aliás não deu as caras naquela noite (…)’. Enumeram-se outros problemas. O maior de todos é que a voz de Sinatra não estava bem: ‘Sinatra estava doente. Padecia de uma doença tão comum que a maioria das pessoas a consideraria banal. Mas, quando acontece com Sinatra, ela o mergulha num estado de angústia, de profunda depressão, pânico e até fúria. Sinatra está resfriado’.

Continuaremos acompanhando o resfriado de Sinatra por várias páginas, ao longo das quais o ídolo dá mostras da mais completa antipatia; sabemos que humilha seus subordinados, que puxa briga com qualquer um, que anda acompanhado de guarda-costas como uma espécie de chefe mafioso…

É, como diz a chamada na capa do livro, ‘o lado oculto’ de uma celebridade. Tudo seria muito simples, entretanto, se nos contentássemos em desmascarar esta ou aquela personalidade pública, denunciando o bestalhão que se esconde atrás do grande astro.

Esse jogo entre a exaltação e o rebaixamento, típico de toda a imprensa de celebridades, é dos mais desinteressantes. A maior habilidade de Gay Talese não é essa; não está nem mesmo na inegável proeza técnica, sempre lembrada, de que o perfil foi escrito sem que seu autor tivesse entrevistado Sinatra.

O que torna o texto bastante sutil é que, aparentando desmistificar a figura de Sinatra, Talese termina por reunir uma série de notas simpáticas a seu respeito. Muitas trechos da reportagem -um suposto diálogo de Sinatra com seu cozinheiro, combinando o que vai comer no jantar, por exemplo- poderiam, a rigor, estar na revista ‘Caras’. Mas não percebemos a mudança de tom: estamos certos de que o olhar do repórter permanece impiedoso e crítico.

No último parágrafo do texto, encontramos Sinatra dirigindo seu carro esporte, num dia de sol. O sinal está vermelho. Pedestres atravessam a rua. ‘Mas como sempre acontece’, escreve Talese, ‘um dos passantes não foi embora. Era uma moça de uns 20 anos. Ela ficou parada no meio-fio, olhando para ele. Sinatra a via pelo canto do olho esquerdo e sabia, pois isso acontece quase todo dia, que ela estava pensando ‘é parecido com ele, mas será que é ele?’. Pouco antes de o sinal abrir, Sinatra voltou-se para ela, olhou-a diretamente nos olhos, esperando a reação que fatalmente viria. Veio, e ele sorriu. Ela sorriu, e ele se foi’.

A beleza desse parágrafo, como um raio de sol depois de um tempo tão enfarruscado, de tantas noites de farra, de bebida, de cigarros e de mau humor, está em que a imagem de um Sinatra simpático termina recuperada. Mais do que isso, o final da reportagem quase encena, em ponto menor, aquilo que sempre esperamos ao ler sobre celebridades.

‘É ele ou não é ele? Parece com ele, mas será ele?’ Esse instante de hesitação, essa pequena demora antes de se reconhecer a pessoa famosa, essa incerteza entre celebridade e anonimato é justamente o que nos atrai nas páginas de ‘Caras’, quando vemos as fotos de paparazzi ou as alterações mais brutais que um botox tenha imposto à atriz ou ao apresentador de TV: ‘Será Fulano? Está diferente… Mas é o mesmo!’.

Menos do que o prazer imaginário de nos depararmos com um mundo de beleza e perfeição, e menos do que a alegria real de ver, inversamente, o lado ‘pior’ dos bem-afortunados, creio que essa dúvida, essa oscilação entre o conhecido e o desconhecido, o previsível e o surpreendente, é o que nos atrai para todo jornalismo desse tipo; seja o de ‘Caras’, seja o de Talese. Não diferem muito em sua motivação. Terminamos encontrando, como a pedestre que viu Sinatra, algo que é ao mesmo tempo corriqueiro e único, milagroso e banalíssimo: um ser humano. O texto de Talese é mais artístico, claro, porque está consciente disso.’



MERCADO DE TRABALHO
Eduardo Ribeiro

‘Festival de eventos’, copyright Comunique-se (www.comuniquese.com.br), 19/05/04

‘Nos próximos dias, até o final de maio, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília serão palcos de mais de uma dezena de eventos focados em jornalismo e comunicação, o que inclui lançamento de livros e prêmios, realização de seminários e algumas coletivas de alto calibre. São obviamente oportunidades de reencontrar velhas amizades e também de acompanhar as novidades do mercado. Um deles, marcado para a capital paulista, talvez o mais sugestivo de todos, é o seminário que a Organização Internacional do Trabalho – OIT está organizando em parceria com a ONG Repórter Brasil e que já foi, inclusive, destacada pelo Comunique-se. O tema é A nova escravidão no Brasil, e vai ser realizado na próxima quarta-feira (26/5), a partir das 14h, no Espaço da Cidadania André Franco Montoro (Pátio do Colégio, 184).

Um dos idealizadores do projeto é o colega Severino Goes, que esteve por muitos anos na grande imprensa, boa parte deles na Gazeta Mercantil, e que hoje ocupa o cargo de assessor de comunicação da OIT. Com a experiência de anos do outro lado do balcão e a vontade de colaborar para que essa maldita chaga do trabalho escravo desapareça de vez do território brasileiro, Goes montou, em parceria com Leonardo Sakamoto, da Repórter Brasil, uma programação de gente grande, com gente que conhece o tema e que certamente vai mostrar tanto o lado bom (o que já se conseguiu, por exemplo, em uma década de lutas nesta área) quanto a face perversa, ou seja, o quanto ainda temos de caminhar, considerando as milhares de pessoas que ainda vivem em regime de semi-escravidão no Brasil. A boa notícia é que o seminário é de graça, mas os interessados devem se inscrever até 24/5, enviando nome completo, telefone e profissão para trabalhoescravo@reporterbrasil.com.br

Outro evento que eu destacaria, também em São Paulo, é a coletiva da Fundação Conrado Wessel, programada para esta quinta-feira (20/5), na sede da instituição, que fica na Rua Pará, 50, 15º. A instituição vai anunciar os ganhadores do Prêmio FCW de Ciência e Cultura, que é simplesmente a maior premiação brasileira em Ciência e Literatura, no montante de R$ 600 mil. São seis categorias: Ciência Aplicada ao Mar, Ciência Aplicada ao Meio Ambiente, Ciência Aplicada ao Campo, Ciência Geral, Medicina e Literatura. Os melhores trabalhos foram escolhidos, com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estao de São Paulo – Fapesp, a partir de 118 indicações feitas por 24 universidades federais, cinco ministérios, três universidades paulistas (USP, Unicamp e Unesp), além do ITA e do Hospital do Câncer. Quem tiver interesse nesta iniciativa é só comparecer à sede da Fundação FCW, localizda na(Rua Pará, 50, 15º, em Higienópolis, às 11 horas. Informações no 11-3838.4151 ou pelo e-mail imprensa@fapesp.br

Em Brasília, teremos também um evento que deve atrair a atenção de um número significativo de colegas, tanto pelo tema quanto pelos convidados. Trata-se do IV Seminário Internacional de Educação, que este ano será inteiramente focado nos meios de comunicação, debatendo o tema Quem Fiscaliza o Quarto Poder? A iniciativa é da CNBB, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, em conjunto com a Unesco no Brasil, com apoio do Sindicato dos Jornalistas do DF, do Conselho Britânico e do Governo da Suécia. O seminário será realizado nos dias 20 e 21 deste mês no Auditório Interlegis do Senado Federal (Anexo 2), das 9h às 17h. Entre os convidados, Américo Martins, diretor da BBC Brasil em Londres, que falará sobre como os britânicos controlam a qualidade das rádios, tevês e jornais, e Richard Cole, professor da Universidade da Carolina do Norte (EUA), que vai abordar o tema A quem a mídia deve prestar contas. As inscrições podem ser feitas no www.cnbb.org.br ou pelo telefone 61-313.8316. Os participantes pagarão a taxa de R$ 20 e terão direito a certificado da Unesco.

O Rio de Janeiro também terá, nos dias 26 e 27, um evento de dar água na boca, para quem gosta de reportagem e de jornalismo puro sangue. A Esso e o Instituto de Estudos de Televisão – IET promovem o 1o Seminário Esso-IETV de Telejornalismo, com a participação dos autores de dez das matérias que foram finalistas da edição de 2003 do Prêmio Esso. O encontro pretende levantar questões sobre a técnica, a ética e os mecanismos de produção do telejornalismo contemporâneo, razão pelas quais os trabalhos serão exibidos em telão e debatidos pelos repórteres que as criaram. No programa estão as séries apresentadas pelas principais emissoras do País – Globo, Band, RBS, Cultura, Record, GloboNews e MTV. No encerramento, haverá um painel com Carlos Schroder, Fernando Mitre, Lillian Wite Fibe, entre outros. As inscrições podem ser feitas pelo site www.ietv.org.br, mas quem quiser outras informações é só ligar no 21-2558.8606 e procurar pela Susana Magalhães.

Abaixo, é possível conferir vários outros eventos programados para esses próximos dias.

São Paulo

19 a 21/5 (quarta a sexta-feira) – O Instituto Brasileiro para o Desenvolvimento Profissional – Ibradep, dirigido por Gilda Fleury Meirelles, realiza no Parlamento Latino Americano (Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564), o 1º Seminário Profissional sobre Protocolo, Cerimonial e Eventos da América Latina. Informações e inscrições no www.ibradep.com.br , ou pelo telefone 11-4153.6436.

19/5 (quarta-feira) – Rosaly Senra lança Em busca de cerejas – Nas trilhas de Santiago de Compostela, às 19h30 na Livraria Siciliano do Shopping Iguatemi (Av. Brigadeiro Faria Lima, 2232). É uma obra em que ela relata as surpresas que vivenciou na peregrinação que fez pelo caminho que atrai todos os anos milhares de turistas à Espanha.

20/5 (quinta-feira) – Paulo Cannabrava Filho, profissional com mais de 50 anos de carreira e que atualmente preside a Associação Brasileira da Propriedade Intelectual dos Jornalistas Profissionais, lança Adhemar de Barros – Trajetória e realizações, pela Terceiro Nome. Às 19h no Arquivo do Estado de SP, à Rua Voluntários da Pátria, 596.

Nesta mesma 5ª.feira, pela manhã, Álvaro Fernandes, gerente de Comunicação e Marketing da Fiesp e autor do livro Quem não tem problemas de Comunicação?, é o convidado da 35ª Jornada do Fórum de Comunicação Empresarial. Álvaro falará sobre o tema Como utilizar o poder e as técnicas da Comunicação e da Persuasão no trabalho. Às 10h, na sede Fiesp (Av. Paulista, 1.313, auditório do 4º). Informações no 11-3549.4398 / 4479, ou pelo e-mail cirs@fiesp.org.br .

Outro evento programado para este dia é o lançamento da Revista Diálogo, do Movimento do Ministério Público Democrático, ONG formada por promotores e procuradores do Ministério Público. A partir das 17h, na sede do MPD (Rua Riachuelo, 217, 5º). A primeira edição coloca em debate a questão da corrupção do agente público e conta com artigos de Juca Kfouri, abordando a corrupção no esporte, e Cláudio Tognolli, colocando em debate a liberdade de expressão e atuação do PT.

22/5 (Sábado) – Eduardo Marini, editor especial da revista IstoÉ, conta ao público suas histórias e memórias na série Encontros com Repórteres – O Jornalismo nas Olimpíadas promovido pelo Senac e pelo Instituto Livre de Jornalismo. Há oito anos cobrindo a área esportiva, e atualmente comentando futebol na ESPN Brasil, Marini esteve em Sydney em 2000 e em agosto embarca para Atenas. A partir das 14h, no Centro de Comunicação e Artes do Senac SP (Rua Scipião, 67). Entrada franca.

25/5 (terça-feira) – A diretora da sucursal de O Estado de S.Paulo, no Rio, Suely Caldas, é a convidada da 3ª rodada do ciclo Leituras do Jornalismo, promovido pela Editora Contexo. Vai falar sobre Jornalismo Econômico, mesmo tema abordado no livro por ela lançado no ano passado. O encontro começa às 19h30, na Faculdade Cásper Líbero (Av. Paulista, 900).

31/5 e 1º/6 (segunda e terça-feira) – A Associação Brasileira das Agências de Comunicação – Abracom e a FIA/USP (unidade de Pinheiros) organizaram e vão ministrar o curso Planejamento Estratégico para Agências de Comunicação, voltado para proprietários e executivos de agências, além de profissionais que tenham interesse em temas ligados à gestão estratégica de negócios de comunicação. Serão 20 horas/aula abordando temas como planejamento estratégico de marketing, análise dos ambientes de marketing, análise de demandas, o ciclo de vida dos produtos, a montagem do portfólio de produtos e serviços, mensuração e tipologia de mercados, formação de preços e posicionamento mercadológico, além de do estabelecimento de objetivos, metas e estratégias para o negócio. As aulas (das 9h às 22h no dia 31/5; e das 9h às 18h, no dia 1º/6) serão ministradas pelos professores Mitsuro Yanaze e Kleber Markus. Outras informações com Simone no 11-3079.6839.

31/5 (segunda-feira) – A Câmara de Comércio Brasil Estados Unidos – Amcham e a Allcom Partners, de Mario Viana, realizam o seminário Financiamento, retorno e oportunidades nos negócios do esporte no Brasil, na Amcham Business Center (Rua da Paz, 1.431), das 8h30 às 18h. O objetivo é reunir representantes de toda a cadeia econômica do esporte, para debater os mecanismos de financiamento mais eficientes para a indústria esportiva. Mostrar oportunidades de negócios e estudo de casos de sucesso de investimentos no Esporte. Além da presença de autoridades esportivas (Ricardo Teixeira, Carlos Arthur Nuzman, Fábio Koff e Lars Grael, entre outros), participarão dos painéis de debates Walter de Mattos Júnior e Marcelo Damato (Lance), Ary Pereira Júnior (Eldorado), Erich Beting (Allcomm Partners) e João Oliveira (GloboNews). As inscrições custam R$ 290 para sócios da Amcham e R$ 500 para os demais interessados. Informações no www.amcham.com.br ou pelo telefone 11-5180.3804.

Rio de Janeiro

19/5 (quarta-feira) – Fernando Molica participa de um bate-papo no Campus da Barra da Universidade Estácio de Sá (Centro Empresarial BarraShopping, Av. das Américas, 4.200, bloco 11, fone 21-2432.2500). Em pauta, seus dois livros Notícias do Mirandão e O homem que morreu três vezes, sobre personagens reais que parecem ter saído da ficção.

20/5 (quinta-feira) – Lu Catoira faz palestra Moda a gente aprende, sobre educação, como coordenadora de moda do Curso de Bacharelado em Design de Moda do Senai-Cetiqt. Na Fnac do BarraShopping (Av. das Américas, 4.666, Piso Lagoa, fone 21-2431.9292), às 16h, durante o evento A Fnac está na moda, que vai até sexta-feira.

Nesta mesma quinta, Marcos Almeida, repórter do Extra, e Jorge Willian, fotógrafo de O Globo, homenageados pela Guarda Municipal, recebem a medalha Marechal Zenóbio da Costa, patrono da corporação. Eles são os autores de matéria revelando o mapeamento e as táticas utilizadas pelo comércio ambulante para a venda de produtos pirateados e contrabandeados no Centro. A solenidade ocorre na base operacional de São Cristóvão.

25/5 (terça-feira) – Bruno Pacheco participa de palestra na Livraria Hartman/Ponte de Tábuas (Rua Jardim Botânico, 585), às 19h. Após o bate-papo, autografa seus livros Pocket Zen, Três fábulas budistas para as crianças e Aqui e Agora, todos com reflexões inspiradas na filosofia zenbudista.’

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem