Sexta-feira, 15 de Novembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1063
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Morre o jornalista dos tribunais

27/08/2009 na edição 552

O jornalista e escritor americano Dominick Dunne morreu aos 83 anos na quarta-feira [26/8], em sua casa em Nova York, vítima de um câncer na bexiga. Ex-produtor de Hollywood, Dunne lutou por anos contra o abuso de álcool e drogas. Recuperado, escreveu cinco romances sobre escândalos e crimes na alta sociedade, e ficou famoso ao cobrir polêmicos julgamentos nos anos 80 e 90.


Quando o popular jogador de futebol americano O.J. Simpson foi acusado de assassinar sua ex-mulher e um amigo dela, Dunne estava na primeira fileira do tribunal para cobrir para a revista Vanity Fair aquele que ficou conhecido como o ‘Julgamento do Século’. O jornalista também costumava aparecer como comentarista em programas de TV e escreveu um livro, publicado em 1997, sobre suas experiências durante o caso Simpson.


Drama pessoal


Sua primeira matéria para a Vanity Fair foi publicada em março de 1984 e tratava-se de um relato em primeira pessoa do julgamento do homem que matou sua filha. A atriz Dominique Dunne tinha apenas 22 anos quando foi estrangulada pelo ex-namorado. A partir daí, Dunne começou a escrever regularmente para a revista, registrando, entre outros, casos como o dos irmãos Lyle e Erik Menendez, condenados em 1989 pelo assassinato de seus pais em Beverly Hills. Ele também ficou conhecido por seus perfis dos ricos e famosos, como o da atriz Elizabeth Taylor.


Dunne nasceu em Hartford, Connecticut, em outubro de 1925. Entre seus best sellers estão People Like Us, publicado no Brasil sob o título Os Colunáveis, e The Two Mrs. Grenvilles, traduzido para O Crime do Século. Ele deixa um filho, o ator e diretor Griffin Dunne. Informações da Reuters [27/8/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem