Domingo, 24 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

MONITOR DA IMPRENSA > NEWS CORP

Murdoch otimista em relatório anual; braço britânico anuncia cortes

Por lgarcia em 09/09/2011 na edição 658

Rupert Murdoch comparou o escândalo dos grampos no tabloide britânico News of the World a um “grande olho roxo” para a News Corporation. O comentário está na carta assinada pelo presidente que acompanha o relatório anual da companhia. Murdoch afirmou, ainda, que continua confiante na recuperação do grupo de mídia.

“Como foi amplamente divulgado, nossa companhia ganhou um grande olho roxo por conta do escândalo dos grampos em nosso jornal News of the World, no Reino Unido”, escreveu ele. “Como eu já falei em uma audiência parlamentar, este foi o episódio mais humilhante da minha carreira. Deixe-me ser claro: o comportamento de alguns funcionários do News of the World é inaceitável e não representa quem somos como empresa. Foi contra tudo o que defendemos”. Murdoch afirmou ainda, na carta, que a companhia continua a cooperar com as autoridades no Reino Unido e EUA e prometeu que a situação vai ser consertada.

O tom do texto é otimista. “Estamos, financeiramente e operacionalmente, mais bem posicionados do que nunca”, continua o empresário. “Eu compreendo que a tendência corrente é o pessimismo econômico, e está claro que a Europa, em particular, está no centro de um período de extrema volatilidade. Mas eu estou otimista quanto ao futuro porque eu acredito que a News Corporation vai continuar a moldá-lo”.

A remuneração de Murdoch subiu de 22,7 milhões de dólares para 33,3 milhões no período entre 2010 e 2011. A maior parte da receita do grupo – dono de jornais como o Wall Street Journal, o Times em Londres e o Australian – vem de suas operações de TV e filmes nos EUA e Reino Unido. A News Corp é proprietária da rede de TV Fox e do estúdio de cinema 20th Century Fox. Com informações do The Australian [9/9/11].

***

Enquanto isso…

A News International, braço britânico da News Corp, deve cortar 110 cargos. Tom Mockridge, que substituiu a executiva-chefe Rebekah Brooks, enviou um email interno com as últimas novidades sobre a situação dos funcionários do extinto News of the World e as mudanças que vêm ocorrendo na empresa.

Segundo Mockridge, 89 das cerca de 200 pessoas na equipe do tabloide – fechado em julho – aceitaram um pacote de demissão voluntária. Apenas 23 pessoas conseguiram, até agora, novos empregos dentro da News International. “Vamos continuar a fazer todo o possível para encontrar empregos para aqueles diretamente afetados pelo fechamento”, ressaltou o executivo – repetindo promessa feita por Rebekah logo após o escândalo dos grampos telefônicos. Mockridge disse que a empresa está desenvolvendo um projeto digital que criará mais 21 cargos editoriais. Especula-se a criação de um tabloide online, já que os domínios thesunonsunday.co.uk e sunonsunday.co.uk foram registrados em julho, ou o lançamento de uma versão britânica do jornal para iPad The Daily.

O executivo anunciou ainda o corte de 110 dos três mil cargos da unidade britânica – as demissões devem atingir todos os departamentos. Os cortes fazem parte, segundo ele, de um plano para garantir a sobrevivência da News International – “acreditamos que este é um ponto crucial para assegurar que nossos títulos, nossas marcas e nosso futuro impresso e digital continuem a ser uma parte indispensável da mídia nacional e internacional”. Informações do Guardian [6/9/11].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem