Quarta-feira, 17 de Julho de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1046
Menu

ENTRE ASPAS >

O Estado de S. Paulo

03/03/2009 na edição 527

CRISE
O Estado de S. Paulo

Jornal de 150 anos fecha nos EUA

‘O jornal The Rocky Mountain News, o mais antigo do Estado do Colorado, nos Estados Unidos, publicou ontem sua derradeira edição, acrescentando Denver à longa lista de cidades americanas que têm agora apenas um jornal diário. A editora do jornal, a E.W. Scripps, disse que o Rocky, como é conhecido, perdeu US$ 16 milhões em 2008, e não apareceu nenhum comprador nos quase três meses transcorridos desde que a empresa admitiu publicamente sua pretensão de vender o jornal.

O fechamento foi um golpe duro para funcionários e leitores da publicação, mas não os surpreendeu. Executivos da Scripps já haviam dito que, se não encontrassem um comprador, a saída seria fechar o tabloide.

Rich Boehne, diretor executivo da Scripps, viajou até Denver para dar a notícia ao pessoal da redação. De acordo com a reportagem do próprio Rocky sobre a reunião, alguns funcionários choraram. Os trabalhadores souberam também que estarão na folha de pagamentos da Scripps até o dia 28 de abril.

Boehne disse que um único comprador demonstrou interesse na aquisição do jornal, antes de perceber que os desafios econômicos enfrentados pela publicação seriam grandes demais.

Os jornais de todo o país estão sofrendo com a queda na receita proveniente da publicidade, com o aperto no mercado de crédito e com o declínio na circulação, mas a situação é mais grave para os jornais das poucas áreas metropolitanas que têm mais de uma publicação diária. Um dos jornais de Seattle, The Post-Intelligencer, pode fechar em breve; os dois jornais de Detroit decidiram interromper a entrega aos assinantes durante alguns dias da semana; e o proprietário dos dois jornais da Filadélfia entrou recentemente com pedido de concordata, assim como um dos dois jornais da região de Minneapolis.

Desde 2001, o Rocky, cuja circulação era de 210 mil exemplares nos dias úteis, estava envolvido num acordo operacional conjunto com o seu rival, The Denver Post, que pertence ao MediaNews Group. Eles partilhavam algumas das despesas comuns, como a impressão e a entrega, apesar de manterem nesse período a concorrência no jornalismo.

A Scripps disse que ainda estava negociando com o MediaNews o fim da parceria. O Post deve ganhar alguns dos leitores e anunciantes do Rocky. Porém, na ausência de um parceiro de impressão, o jornal pode enfrentar também um custo operacional maior.

Greg Moore, editor do Post, enviou uma mensagem aos funcionários da sua redação na quinta-feira identificando 11 jornalistas que seriam trazidos do Rocky, incluindo 6 colunistas.

Fundado em 1859 – o jornal celebraria seu 150º aniversário em abril -, o Rocky se considerava não apenas o jornal mais antigo do Estado, como também o seu mais antigo empreendimento comercial de funcionamento contínuo. A reputação jornalística da publicação, que pertence à Scripps desde 1926, melhorou nos últimos anos. O jornal recebeu quatro prêmios Pulitzer na última década – dos quais três foram de fotojornalismo -, e foi finalista em duas outras ocasiões.’

 

 

B.O.
O Estado de S. Paulo

Goldman veta sigilo a testemunhas

‘O governador em exercício Alberto Goldman vetou na íntegra anteontem o Projeto Lei 43/2009, aprovado pela Assembleia Legislativa (AL), que estabelecia o sigilo das informações pessoais (nomes e endereços) da vítimas e testemunhas nos boletins de ocorrência e inquéritos policiais. A decisão foi publicada na edição de ontem do Diário Oficial.

As justificativas de Goldman constam em um documento de três páginas enviado ao presidente da Assembleia, o deputado Vaz de Lima (PSDB). Entre os argumentos utilizados pelo governador em exercício estão: que há leis federais que estabelecem normas e manutenção de programas especiais de vítimas e testemunhas ameaçadas; o direito ao defensor do acusado de ter acesso às informações e o fato que o segredo de justiça é de responsabilidade do juiz de direito. No documento ainda consta o elogio feito por Goldman à preocupação dos deputados em relação à segurança das vítimas e testemunhas.

Segundo o projeto de lei, os dados pessoais de vítimas e testemunhas sob sigilo seriam colocados em um envelope lacrado e ficariam à disposição da Justiça. Apenas os envolvidos na investigação, o Ministério Público Estadual e os advogados do caso teriam amplo acesso às informações.

Atualmente, o sigilo já é possível, por meio do provimento nº 32/2000 do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), mas precisa ser pedido pela própria pessoa ou por um advogado. Com a lei, as autoridades seriam obrigadas a restringir o acesso às informações nos casos especificados.’

 

 

FOFOCAS
Renata Cafardo

Revista dos EUA diz que Gisele casou na 5ª-feira

‘A top model brasileira Gisele Bündchen teria se casado anteontem em Los Angeles, numa cerimônia íntima, com o jogador de futebol americano Tom Brady. A notícia foi publicada pela revista americana de celebridades US Weekly, que não declarou a fonte da informação. Agências internacionais e sites divulgaram ontem as mesmas informações da revista. Procurada pelo Estado, a irmã e assessora de Gisele, Patricia Bündchen, respondeu, por e-mail: ‘Não temos nenhum comentário a fazer a respeito deste assunto.’

A revista dá informações detalhadas da cerimônia, que teria ocorrido numa igreja católica da praia de Santa Mônica, logo após as 18 horas. O vestido de noiva seria da grife italiana Dolce & Gabbana – cujos donos são amigos de Gisele -, para a qual ela já desfilou e fotografou. O modelo foi um tomara-que-caia com véu até o chão e aplicações de flores de cetim. Seus três cachorros teriam usado colares com flores combinando com o vestido. Poucos parentes teriam comparecido.

‘Só se ela casou embaixo da mesa, porque nem o gato viu’, brincou a avó de Gisele, Irani, que mora no Rio Grande do Sul e conversou com o Estado por telefone. Outros parentes contatados pela reportagem não comentam o assunto, mas estavam no País. O pai de Gisele, Valdir, e a mãe, Vânia, teriam viajado para o exterior na segunda-feira. A modelo brasileira passou o carnaval no Rio, onde assistiu ao desfile das escolas de samba. Mônica Monteiro, sua ex-agente durante anos, foi enfática: ‘Gisele não casou.’ Para ela, seria ‘estranho’ que a top não convidasse os amigos para a cerimônia.

No fim de 2008 surgiram notícias de que Gisele teria sido pedida em casamento em um avião. Em entrevista ao Estado, em janeiro, durante a São Paulo Fashion Week, a modelo negou a informação. Mas não respondeu se estava noiva ou não. ‘Todo dia é uma história diferente. Tudo o que está na mídia é mentira. Dizem que foi no avião. É muita criatividade’, declarou. E emendou com a já comum declaração: ‘Não falo de minha vida pessoal.’

Gisele contou, no entanto, que já morava com o namorado havia um ano e meio em Boston, onde ele atua como jogador. O namoro rendeu reportagens e fotos em revistas de fofoca porque poucos meses após o casal aparecer junto, a ex (a atriz Bridget Moynahan) anunciou que estava grávida de Brady. O filho, hoje com 1 ano e meio, teria participado do casamento.’

 

 

******************

Clique nos links abaixo para acessar os textos do final de semana selecionados para a seção Entre Aspas.

Folha de S. Paulo

Folha de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

O Estado de S. Paulo

Comunique-se

Carta Capital

Terra Magazine

Agência Carta Maior

Veja

Tiago Dória Weblog

Gazeta Mercantil

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem