Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

MONITOR DA IMPRENSA > TELETIPO

On demand não afetará publicidade de TV tradicional

22/12/2009 na edição 569

O aumento da audiência de vídeo on demand e de serviços de TV online não irá matar, na próxima década, os modelos de negócios financiados por publicidade das emissoras tradicionais de TV, segundo estudo da empresa de pesquisa de mídia Enders Analysis. Hoje, 99% da audiência de conteúdo em vídeo ainda são via aparelho de TV. Destes, cerca de 90% são de programação ao vivo. Em 2020, a previsão é que o share de vídeo on demand via aparelhos de TV ou computadores irá crescer de 5% a 10%. ‘O modelo linear tradicional de TV ainda continua a funcionar bem em termos de confiança, simplicidade, facilidade de escolha e habilidade de entregar programação popular com apelo de massa’, apontou o relatório. ‘O consumo de vídeo on demand está crescendo, mas de modo estável’. Informações de Mark Sweney [The Guardian, 18/12/09].

Google é processado na França por violar direitos autorais

Uma corte de Paris ordenou na semana passada que o Google parasse de digitalizar livros e pagasse 300 mil euros em danos para um grupo de editoras francesas, por ter violado direitos de copyright. O grupo La Martiniere, que é proprietário da editora Editions du Seuil, havia pedido à corte uma multa de 15 milhões de euros, alegando que o trabalho de autores e das editoras estavam sendo ilegalmente copiados e publicados na rede. Também juntaram-se à ação a associação de editoras francesas (SNE) e o grupo de autores (SGDL). ‘Mesmo se não pudermos desfazer o processo de digitalização, eles agora não podem mais digitalizar nenhum material’, afirmou o advogado para o La Martiniere, Yann Colin. Até agora, o Google já escaneou 10 milhões de livros por meio de parecerias com as universidades de Oxford, Harvard e Stanford. Informações do The Guardian [18/12/09].

 

NYTimes corta 18 funcionários

Confirmando as previsões, o The New York Times demitiu 18 membros de sua equipe na semana passada, no mais recente round de cortes no diário. Em outubro, o jornalão disse que eliminaria 100 cargos na redação, deixando-a com 1.150 repórteres e editores. Ainda assim, é uma das maiores redações de qualquer jornal americano. Segundo Bill O´Meara, presidente do New York Newspaper Guild, sindicato que representa os jornalistas que foram demitidos, apenas 73 funcionários aceitaram as propostas de demissão voluntária. A porta-voz do NYTimes, Diane McNulty, disse que o jornal espera ainda atingir a meta de 100 cargos eliminados até o final do ano. Isto equivaleria a mais nove demissões. Informações da AP [17/12/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem