Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

MONITOR DA IMPRENSA > PROFISSÃO PERIGO

Organização suíça lista 72 jornalistas mortos em 2012

Por lgarcia em 17/07/2012 na edição 703

Tradução e edição: Leticia Nunes

 

A organização suíça Press Emblem Campaign (PEC), que monitora a liberdade de imprensa em todo o mundo, divulgou no início de julho um relatório cobrindo crimes contra profissionais de imprensa no primeiro semestre de 2012. Pelo menos 72 jornalistas foram mortos neste período, segundo os dados da organização, no que representa um aumento de 33% com relação ao ano anterior. A região com maior número de mortes é a América Latina e Caribe, com 23 casos de janeiro a junho.

Segundo o relatório, o México é o segundo país em número de mortes de jornalistas, com 8 crimes. O Brasil ficou em 5º lugar, com seis jornalistas mortos. Honduras teve quatro; Bolívia, dois; e Panamá, Colômbia e Haiti, um cada.

O estudo afirma que jornalistas foram mortos em 21 países em todo o mundo. O primeiro lugar ficou com a Síria, com 20 mortes em 2012. Há ainda seis casos na Somália e no Paquistão, quatro nas Filipinas, três na Nigéria e um no Afeganistão, Bahrein, Indonésia, Iraque, Bangladesh, Uganda, Tailândia e Nepal. Com informações de Isabela Fraga [Knight Center, 6/7/12].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem