Domingo, 23 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > DIA DAS COMUNICAÇÕES

Papa critica imprensa e pede cooperação

31/05/2006 na edição 383

O papa Bento XVI pediu, em discurso no 40º Dia Mundial das Comunicações, comemorado em 28/5, que os jornalistas em todo o mundo sejam ‘protagonistas da verdade e da promoção da paz’. O tema deste ano foi ‘A Mídia: rede de comunicação, comunhão e cooperação’. O papa atribuiu algumas ‘distorções’ na sociedade à mídia, que ele afirmou ter se tornado egoísta e movida a lucro e ter perdido o ‘senso de responsabilidade sobre o bem comum’.


‘Enquanto os diversos instrumentos da comunicação social facilitam a troca de informações, idéias e compreensão entre grupos, eles também são corrompidos pela ambigüidade’, completou o sucessor de João Paulo II.


O papa reiterou a importância do decreto do Vaticano sobre os Meios de Comunicação Social, que reconhece a necessidade de usar o poder da mídia para influenciar pessoas pelo bem da humanidade. Ele afirmou também que os profissionais de imprensa poderiam contribuir no compromisso com a verdade e o bem comum com coragem e determinação. Profissionais responsáveis, segundo ele, deveriam sempre ‘reportar os fatos com precisão, explicar completamente as questões de interesse público e apresentar de forma justa os diversos pontos de vista’.


Construção da comunhão


‘A necessidade de preservação e apoio ao casamento e à vida em família é algo de particular importância, precisamente porque pertence à fundação de qualquer cultura e sociedade’, defendeu Bento XVI. ‘Cooperando com os pais, a comunicação social e a indústria do entretenimento podem ajudar na difícil, mas sublime, vocação de educar as crianças, através da apresentação de modelos edificantes de vida e amor’.


Bento XVI reiterou alguns pontos sugeridos por seu antecessor sobre a atuação da mídia. Entre eles, o de que jornalistas devem resistir a qualquer tentação de manipulação, especialmente os ainda jovens; o de que a comunicação social, como serviço público, requer um espírito de cooperação e co-responsabilidade; e o de que devem ser exercidos pelos veículos de comunicação de massa a promoção do diálogo através da troca de conhecimento, a manifestação da solidariedade e o apoio à paz.


Por fim, Bento XVI pediu que os profissionais da mídia trabalhem juntos, ‘derrubem as paredes de hostilidade e construam a comunhão do amor de acordo com os desígnios do Criador, conhecidos através de seu Filho’. Informações de Edu Punay [The Philippine Star, 29/5/06].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem