Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº967

MONITOR DA IMPRENSA > CHINA

Polícia chinesa prende jornalistas e intelectuais

28/12/2004 na edição 309

A polícia da China prendeu um dos jornalistas mais influentes do país, Chen Min, em sua mais recente investida para impedir o debate entre intelectuais independentes. A prisão do editor-chefe da revista China Reform Magazine, que assinava sob o nome de Xiao Shu, elevou, segundo Jonathan Watts [The Guardian, 22/12/04], as preocupações de que o Partido Comunista volte a reprimir o pensamento livre na internet, nas universidades e na mídia. Seis intelectuais foram presos anteriormente.

Segundo Watts, os intelectuais estavam sendo acusados pelo Partido Comunista de ‘elitismo arrogante’ e de tentar minar o relacionamento entre o partido e a intelectualidade e entre os intelectuais e as massas. O governo divulgou lista de acadêmicos liberais, ativistas e jornalistas proibidos de publicar em jornais e revistas, controlados pelo partido ou pelo Estado. Os jornalistas dizem que o departamento de propaganda também ampliou a lista de assuntos proibidos, como a distância maior entre ricos e pobres e os protestos nas províncias.

A maioria dos presos foi logo libertada, fazendo essa investida parecer menos violenta em comparação às anteriores.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem