Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1055
Menu

MONITOR DA IMPRENSA >

Post se enrola com jantar para lobistas e políticos

03/07/2009 na edição 544


Polêmica envolvendo o Washington Post: o diário americano teria convidado lobistas e empresários para um jantar com funcionários do governo e jornalistas na casa da publisher Katharine Weymouth, pagando US$ 25 mil pelo convite. A história se tornou pública – divulgada pelo sítio Politico – e o evento, marcado para este mês, foi cancelado.


Eram esperados 20 convidados para o jantar, incluindo funcionários da Casa Branca, membros do Congresso, lideranças empresariais e lobistas. O editor-executivo do jornal, Marcus Brauchli, e outros jornalistas do Post, inclusive os que cobrem o sistema de saúde americano – tema do encontro –, também estariam presentes. O jantar seria uma oportunidade para ‘construir relações cruciais com executivos do Washington Post em um encontro neutro e informal’, prometia o folheto de apresentação do evento.


Integridade


Depois do cancelamento, Katharine Weymouth se disse decepcionada com a confusão. Segundo ela, um funcionário do departamento de marketing teria enviado o convite aos lobistas e empresários sem aprovação da diretoria. ‘Isto nunca deveria ter acontecido. Os panfletos que foram divulgados não tinham sido aprovados. Eles não representam em nada o que estávamos planejando fazer. Não iremos fazer nenhum jantar que viole a integridade do jornal’, desabafou.


Brauchli, por sua vez, disse que ninguém na redação tinha visto o convite e que jornalistas do Post não participariam do jantar. Apenas ele ‘sabia’ do evento. ‘O nome e a reputação do Washington Post não estão à venda’, garantiu o editor-executivo. No entanto, uma fonte, que não quis se identificar ao repórter Chris McGreal [The Guardian, 2/7/09], disse que o jantar estava sendo planejado desde o ano passado e que os jornalistas haviam sido consultados.


Depois de defender a integridade de sua redação, Brauchli concordou, entretanto, que é possível que organizações de notícias lucrem com eventos nos quais jornalistas se encontrem com fontes importantes. O New York Times, por exemplo, já organizou vários debates envolvendo especialistas em diversos campos, com o público pagando uma taxa, em geral, de US$ 35. O caso do Post reflete as grandes dificuldades econômicas enfrentadas atualmente pelas organizações de mídia, que buscam soluções para conseguir dinheiro em tempos de crise. A divisão de jornais da Washington Post Company registrou queda de US$ 54 milhões nos lucros operacionais no primeiro trimestre de 2009. Com informações da AP [2/7/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem