Premiê tem mais uma vitória contra a imprensa | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1000
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > CINGAPURA

Premiê tem mais uma vitória contra a imprensa

30/09/2008 na edição 505

A Alta Corte de Cingapura determinou que a revista Far Eastern Economic Review (FEER) e seu editor, Hugo Restall, difamaram o ex-primeiro-ministro Lee Kuan Yew, considerado o ‘pai’ do país, e seu filho, o atual premiê Lee Hsien Loong. ‘O artigo não distinguiu fatos de comentários, sugerindo que ambos eram corruptos’, afirmou o juiz Woo Bih Li.


Os líderes de Cingapura já ganharam milhares de dólares oriundos de casos de difamação contra críticos e publicações estrangeiras. Pai e filho alegam que os processos são necessários para proteger suas reputações de ataques infundados. O caso em questão refere-se a um artigo publicado em 2006, com base em uma entrevista com Chee Soon Juan, líder do partido de oposição. Intitulada ‘Chee Soon Juan, ‘mártir’ de Cingapura’, a matéria descrevia a batalha do secretário-geral do Partido Democrático de Cingapura contra o partido de situação, Partido da Ação do Povo, e seus líderes. Restall mencionava, no texto, o sucesso das autoridades de Cingapura em vencer ações de difamação contra críticos.


Perseguição


A FEER considera apelar do veredicto. O editor alega que a matéria refletia as opiniões de Juan, era de interesse público e foi publicada com responsabilidade jornalística. Com sede em Hong Kong, a revista foi proibida de circular em Cingapura em setembro de 2006, pois o governo determinou que ela não cumpriu as regulamentações para o funcionamento de veículos de mídia.


No início de setembro, o gabinete do procurador-geral de Cingapura deu início a acusações de desobediência contra o Wall Street Journal Asia e dois editores, Daniel Hertzberg e Christine Glancey, por conta de editoriais e de uma carta de Juan, que questionariam a integridade do sistema judiciário. Em outubro do ano passado, o jornal londrino Financial Times foi obrigado a se desculpar e a pagar uma quantia por danos morais a Lee Kuan Yew e a outros membros de sua família por causa de ‘acusações falsas’ sobre os bens do premiê. Informações da AFP [24/9/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem