Sábado, 18 de Novembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº966

MONITOR DA IMPRENSA > EQUADOR

Rafael Correa defende boicote à mídia privada

Por lgarcia em 06/06/2012 na edição 697

 

Tradução e edição: Leticia Nunes

 

O presidente do Equador, Rafael Correa, fez um apelo para que os cidadãos equatorianos boicotem a imprensa do país. “Temos um meio de nos defendermos, ao não comprarmos este lixo chamado jornais, pararmos de assistir àqueles canais de TV que fazem política em vez de informar”, afirmou o presidente em sua declaração semanal, no fim de maio. Não satisfeito, depois de criticar os jornais El Universo e La Hora, Correa rasgou um exemplar do La Hora.  

O presidente do Equador mantém uma relação conturbada com a imprensa desde o início de seu governo, em 2007. No ano passado, ele processou o El Universo, além de seus executivos e um editor de opinião, por difamação. Foram todos condenados e, para surpresa geral, Correa declarou que os perdoava.

Segundo análise do semanário britânico The Economist, o ato tratou-se de manobra política do presidente, cujo objetivo seria construir um império de mídia estatal. Ele próprio já declarou considerar que empresas privadas de mídia devem ser a exceção, e não a regra.

No mês passado, a ONU expressou, durante o Exame Periódico Universal de Direitos Humanos, preocupação sobre o estado da liberdade de imprensa e expressão no Equador. No encontro, 17 governos pediram que o governo equatoriano respeite e garanta estas liberdades no país. Com informações de Liliana Honorato [Journalism in the Americas, 28/5/12].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem