Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

MONITOR DA IMPRENSA > TV EM ALAGOAS

Repetidoras refletem briga de cabeças de rede

Por Anderson Santos em 08/12/2009 na edição 567


Enquanto a TV Globo dá ênfase maior às notícias de investigações sobre o grupo da Igreja Universal do Reino de Deus e a TV Record responde com ataques à concorrente – com a inclusão do Ibope como mais um alvo –, as repetidoras alagoanas dos dois canais também resolveram entrar em guerra.


A TV Gazeta foi a primeira a funcionar no estado e há 34 anos irradia a programação da Rede Globo. Porém, em todos estes anos nunca tinha visto qualquer aproximação das demais emissoras. A empresa da família Collor de Mello sempre teve a audiência alavancada pela cabeça de rede e esteve bem à frente nas pesquisas.


O panorama começou a mudar com a migração da TV Pajuçara do SBT para a TV Record, que ocorreu em 2006. Já na primeira pesquisa encomendada pela emissora, cujos proprietários são o ex-deputado federal José Thomaz Nonô (DEM) e o senador João Tenório (PSDB), os resultados apareceram e surpreenderam até mesmo os seus administradores.


Por causa disso, a TV Gazeta passou a divulgar as pesquisas realizadas a cada seis meses, como forma de mostrar que ainda lidera de forma isolada no ‘gosto dos alagoanos’.


Enquanto esteve na interpretação de pesquisas, a ‘paz’ entre as concorrentes estava mantida. Entretanto, com o arrendamento da grade de programação da TV Alagoas para uma igreja protestante e a retirada da transmissão do SBT, as pesquisas deveriam apontar números diferentes.


Briga por publicidade


A Gazeta anuncia desde novembro uma pesquisa encomendada para o Ibope-Media Quis, tanto na TV quanto no jornal (Gazeta de Alagoas) de propriedade do grupo. A campanha dava ênfase ao ‘maior crescimento de audiência do Nordeste’, 18% entre maio e outubro deste ano: ‘A cada 1.000 domicílios, 73 estão ligados na TV Gazeta.’


O anúncio informa que os números de audiência seriam: ‘73% TV Gazeta; 17% Emissora B’. Com os algarismos com tamanhos proporcionais aos valores, com o maior fazendo sombra no menor.


A resposta veio a seguir. A TV Pajuçara/Record criou uma campanha em resposta à pesquisa divulgada: ‘O que estaria por trás do crescimento da emissora A? Ela omitiu a saída do SBT.’ Segundo eles, como a TV Alagoas tinha 18% de audiência na aferição passada, a emissora da Organização Arnon de Mello teria acrescentado essa contagem aos seus números.


Em seu programa policial Fique Alerta, foi criada a campanha ‘Eu não fui para lá [emissora A]’. Os apresentadores incentivam que o telespectador ligue ao portal de voz do Pajuçara Sistema de Comunicação para dizer que saiu do SBT para a Pajuçara, e não para a Gazeta.


Nesta segunda-feira (30/11), o programa repetiu a reportagem em que a TV Record acusa o Ibope de manipular dos números de audiência para benefício da Globo.


Enquanto as emissoras de TV brigam por causa do bolo publicitário, a população espera por uma produção televisiva de qualidade. Algo impossível de ocorrer na maior parte de suas programações na realidade atual.

******

Estudante de Comunicação Social (Jornalismo), Maceió, AL

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem