Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1067
Menu

ENTRE ASPAS >

Repórter condenada a chibatadas na Arábia Saudita

27/10/2009 na edição 561

Um tribunal saudita condenou uma jornalista que trabalha para a emissora libanesa LBC por conta de um polêmico programa em que um homem saudita falava sobre suas experiências sexuais. O assunto é tabu no reino islâmico, que segue normas rígidas e proíbe que homens e mulheres sem parentesco tenham qualquer contato social.

A repórter identificada apenas como Rosana, de 22 anos, afirmou que foi condenada a 60 chibatadas porque a emissora não teria autorização para operar na Arábia Saudita. No início de outubro, o homem que participou do programa, Mazen Abdul-Awad, foi condenado a cinco anos de prisão e mil chibatadas. Divorciado e pai de quatro filhos, Abdul-Awad contou na TV sobre como atraía as mulheres e mostrou brinquedos sexuais. Durante o julgamento, seu advogado alegou que ele teria sido enganado pela emissora e não sabia que seu quarto estava sendo filmado.

Rosana acredita que sua condenação não teve relação direta com o programa sobre sexo. ‘O veredicto foi por eu ter cooperado com a LBC’. Ela disse que não sabia que a emissora – popular no país – não tinha licença de funcionamento, mas ressaltou que não irá apelar da decisão do tribunal. Informações da Reuters [25/10/09].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem