Repórter da Rolling Stone perde acesso a tropas | Observatório da Imprensa - Você nunca mais vai ler jornal do mesmo jeito
Terça-feira, 14 de Agosto de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº999
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > PUNIÇÃO

Repórter da Rolling Stone perde acesso a tropas

06/08/2010 na edição 601

O jornalista Michael Hastings, autor do artigo da revista Rolling Stone que levou ao fim a carreira militar de três décadas do general americano Stanley McChrystal, que atuava como comandante dos EUA no Afeganistão, não conseguiu permissão para acompanhar de perto, no próximo mês, as tropas americanas no país, informou o porta-voz do Departamento de Defesa, coronel David Lapan.


O Pentágono conduz uma investigação sobre as circunstâncias por trás do conteúdo revelado no artigo da Rolling Stone, publicado em junho. Nele, McChrystal e seus subordinados aparecem fazendo comentários nada lisongeiros ao presidente Barack Obama, ao vice-presidente Joe Biden e a outros membros do alto escalão da Casa Branca. O presidente é citado como despreparado e intimidado; o assessor de Segurança Nacional Jim Jones é chamado de palhaço; e com Biden é feito um desrespeitoso trocadilho com a expressão ‘Bite me’, algo como ‘não enche o saco’.


Agora, o inspetor geral do Exército está entrevistando assessores atuais e passados de McChrystal. O inquérito tem como objetivo avaliar se os funcionários do Exército foram insubordinados e o quão longe vai a responsabilidade da cadeia de comando em relação às decisões envolvendo as entrevistas a Hastings.


Falta de confiança


Lapan reconheceu serem raras as recusas para jornalistas que querem acompanhar as tropas. ‘Trata-se de uma escolha feita entre unidades e repórteres, sendo um elemento chave a confiança de que um jornalista embedded vá cumprir as regras. O comando no Afeganistão determinou que não havia este requisito e negou o pedido’, explicou, sem identificar que unidade o jornalista queria acompanhar ou sobre o que escreveria. Atualmente, Hastings trabalha em uma pauta sobre helicópteros no Afeganistão, mas também assinou um contrato para escrever um livro sobre o caso McChrystal.


Em seu Twitter, o repórter revelou ter se recusado a colaborar com a investigação do Exército. Ele informou também que, inicialmente, havia recebido aprovação para acompanhar as tropas em setembro, recebendo, posteriormente, a negativa. No dia 23/7, McChrystal aposentou-se em uma cerimônia no Pentágono, com um alerta a seus colegas: ‘Eu sei de histórias de todos vocês, tenho fotos de muitos e conheço um repórter da Rolling Stone‘. Informações de Anne Gearan [AP, 4/8/10].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem