Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº1005
Menu

MONITOR DA IMPRENSA > TELETIPO

Repórter italiana é seqüestrada em Bagdá

08/02/2005 na edição 315

Cerca de oito homens armados seqüestraram a jornalista italiana Giuliana Sgrena no centro da capital do Iraque no dia 29/1/05, informa a AP [4/2/05]. A correspondente, que trabalha para o jornal Il Manifesto, teve seu carro fechado perto da Universidade de Bagdá. Ela fora ao local para entrevistar refugiados de Faluja, cidade em que rebeldes ofereciam dura resistência às tropas de ocupação americanas. Uma colega da jornalista, Barbara Schiavulli, recebeu chamada do celular de Giuliana no momento do seqüestro. Ela afirma que não ouviu ninguém falando, apenas tiros e passos na rua, molhada pela chuva. O tradutor da correspondente disse que os seqüestradores a esperavam em dois carros enquanto ela fazia entrevistas numa mesquita. A Itália já teve um jornalista morto no Iraque, em agosto. A repórter francesa Florence Aubenas, raptada no país no dia 5/1/05, continua desaparecida.



Al-Jazira defende autenticidade de imagens

Porta-voz da rede árabe al-Jazira afirma que as imagens da derrubada de um avião Hércules da Força Aérea britânica no Iraque, conseguidas de um grupo rebelde, são verdadeiras, apesar de ‘não haver 100% de certeza’. ‘Deixaremos que os peritos militares decidam se são genuínas ou não’, disse o representante da emissora, Jihad Ballout. A destruição da aeronave causou 10 mortes. Segundo o Guardian [1/2/05], o Ministério da Defesa britânico não tem a intenção de pedir cópia das cenas à al-Jazira, porque recebeu o vídeo ‘de uma variedade de outras fontes’.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem