Sábado, 16 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > AL-JAZIRA

Repórteres ocidentais insatisfeitos no Catar

11/06/2008 na edição 489

Jornalistas ocidentais que apostaram na versão internacional da al-Jazira e se mudaram para Doha atrás de uma nova e estimulante carreira acabaram por ver o estímulo indo por água abaixo. ‘Há um conflito terrível entre a equipe editorial, em grande parte anglo-saxônica, e a equipe gerencial e administrativa do Catar’, diz um funcionário insatisfeito.


Entre as questões mal resolvidas dentro da emissora estão problemas financeiros, políticos e editoriais. Jornalistas ocidentais foram contratados por pacotes melhores que os locais, o que gerou controvérsia e ressentimento na redação. Uma tentativa de resolver o embate – eliminando ou reduzindo benefícios como o número de vôos para casa – foi mal administrada. Um repórter conta que alguns funcionários estrangeiros já chegaram a receber ordens de despejo. ‘A al-Jazira tinha parado de pagar o aluguel, ainda que isso fizesse parte do pacote’, diz ele.


Os jornalistas reclamam ainda da tomada de decisões pela direção da companhia, que classificam de ‘glacial’, e acusam membros da equipe do Catar de censura. ‘Nós fomos levados a acreditar que poderíamos praticar um jornalismo corajoso e livre, mas já foi deixado claro por certas pessoas da emissora que existem certos tópicos que não podemos cobrir, como por exemplo crimes de honra. Eles nos disseram que não refletiria bem para o mundo muçulmano’, afirma um repórter. ‘Estão todos exaustos e frustrados’, desabafa outro. ‘Aqueles que podem ir embora, vão’. Informações de James Robinson [The Observer, 8/6/08].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem