Sábado, 23 de Setembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº958

MONITOR DA IMPRENSA > Edição: Beatriz Singer (com Dennis Barbosa e Leticia Nunes)BBC PÓS-INQUÉRITO

Sátira anti-Blair perdeu a graça

10/02/2004 na edição 263

A BBC disse, no dia 3/2/04, que cortou parte de um programa de rádio satírico que chamava o primeiro-ministro Tony Blair de mentiroso, mas negou ter se redimido após perder uma batalha com o governo sobre a guerra no Iraque.

A emissora pública afirmou ter retirado quatro passagens de um episódio de Absolute Power, uma comédia política que satiriza Blair e seus assessores. Em uma das passagens, um relações públicas diz que não há nada que poderia ‘ensinar ao primeiro-ministro sobre fraudes, manipulações ou mentiras – exceto como fazê-lo corretamente’.

Alguns legisladores e analistas de mídia disseram temer que a BBC passasse a reprimir seus repórteres após o inquérito para evitar irritação do governo Blair. De acordo com Peter Griffiths [Reuters, 3/3/04], uma porta-voz da BBC declarou que o resultado do inquérito Hutton não intimidará a Radio 4 em suas sátiras’. O programa, segundo a porta-voz, foi gravado ao vivo em dezembro e algumas partes soariam, hoje, ‘um pouco estranhas, dado o resultado do inquérito’.

Na semana retrasada, o diretor da BBC Gavyn Davies, o diretor Greg Dyke e o repórter Andrew Gilligan pediram demissão após divulgação do relatório do inquérito, que absolvia o governo de qualquer envolvimento no suicídio do cientista David Kelly e culpava a BBC por erros factuais na apuração de uma reportagem sobre armas de destruição em massa no Iraque. Segundo a reportagem, feita por Gilligan, o governo britânico teria ‘exagerado’ propositalmente em um dossiê sobre as armas iraquianas, a fim de torná-lo mais ‘atraente’ e justificável no contexto da guerra.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem