Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº970

ENTRE ASPAS > TELETIPO

Site judaico atacado por hackers antisemitas

19/01/2010 na edição 573

O site do jornal britânico Jewish Chronicle, principal publicação judaica no Reino Unido, foi atacado por hackers de língua turca. A página principal do site foi substituída por uma bandeira palestina e frases antisemitas, afirmou o editor Stephen Pollard. Com palavras escritas em turco e inglês, o grupo auto-intitulado Mujaheeds Palestinos citou trechos do Corão e postou mensagens ofensivas aos judeus. Pollard disse acreditar que o ataque possa ter ligação com um incidente diplomático entre Israel e a Turquia na semana passada, mas afirmou que preferia ‘não especular’. O Chronicle foi fundado em 1841 e tem circulação semanal de trinta mil exemplares. Informações da AP [18/1/10].

 

Encontrado corpo de jornalista no México

Mais um jornalista assassinado em meio à guerra das drogas no México. O corpo de Jose Luis Romero, repórter da estação de rádio Linea Directa, em Sinaloa, foi encontrado no sábado (16/1) em uma estrada a poucos quilômetros de onde havia sido sequestrado. Romero foi rendido por homens armados quando saía de um restaurante em 30/12. Poucas horas depois, o chefe de polícia que investigava o sequestro foi assassinado. O jornalista, conhecido por suas reportagens sobre o narcotráfico no país, foi encontrado com duas balas na cabeça e uma no ombro, além das mãos quebradas. Segundo os investigadores, ele deve ter sido morto logo após o sequestro. Sinaloa abriga alguns dos mais poderosos cartéis de drogas do México. Romero é o 59º jornalista assassinado no país desde 2000, de acordo com a Comissão Nacional de Direitos Humanos mexicana.

 

Polanski ganha ação contra jornal francês

Uma corte francesa ordenou que o Le Parisien, jornal que publicou fotos da mulher e filho do cineasta Roman Polanski, pague a ele US$ 4,3 mil em danos. Polanski havia processado o diário por invasão de privacidade e pedido um valor bem maior: 40 mil euros. As fotos – que mostravam sua mulher, a atriz Emmanuelle Seigner, na janela, e seu filho, menor de idade, no quintal – foram divulgadas um dia depois da chegada do diretor em seu chalé em Gstaad, onde está em prisão domiciliar condenado por cometer um crime de abuso sexual nos anos 70. O Le Parisien alegou que as fotos tinham valor jornalístico, mas a corte determinou que isto não justificava a publicação sem a permissão dos envolvidos. Polanski processou mais quatro publicações francesas e a decisão das outras três deve sair esta semana. Informações da AP [15/1/10].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem