Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2018
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº975

MONITOR DA IMPRENSA > MÉXICO EM CHAMAS

Televisa é atacada pela terceira vez em 10 dias

Por Por Larriza Thurler (edição e tradução) em 31/8/20 em 31/08/2010 na edição 605

Em apenas 10 dias, três ataques à Televisa, no México. Na sexta (27/8), um carro-bomba explodiu na frente do escritório da emissora em Ciudad Victoria, no Estado de Tamaulipas. Anteriormente, foram atacados os escritórios em Matamoros, no dia 14/8, e em Monterrey, no dia 15/8. No ano passado, uma granada foi jogada no escritório em Monterrey. A Repórter Sem Fronteiras pediu [27/8/10] que autoridades locais e federais tomem uma ação em conjunta para proteger os escritórios regionais da emissora.

Não havia pessoas no momento da explosão em Ciudad Victoria e ninguém ficou ferido. Mas o prédio ficou danificado e o sinal interrompido. Este último ataque aconteceu pouco depois da descoberta de corpos de 72 imigrantes clandestinos – inclusive brasileiros – em um rancho perto de Ciudad Victoria, supostamente mortos por traficantes. O Estado de Tamaulipas tornou-se um dos lugares mais violentos de disputa de carteis de drogas por territórios. Outro carro-bomba teria explodido na sexta (27/8) em frente à polícia. ‘Eles querem espalhar terror na sociedade e estão usando símbolos para isso. A Televisa tem uma grande presença na região’, disse Alberto Islas, analista de segurança da empresa Risk Evaluation.

Mais de 28 mil pessoas já morreram por conta da guerra do tráfico desde que o presidente Felipe Calderón deu início à guerra contra narcotraficantes, em 2006. Desde então, 30 jornalistas foram assassinados. O país é um dos mais perigosos para repórteres, segundo o Comitê para Proteção dos Jornalistas. Com informações da Reuters [28/8/10].

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem