Sábado, 19 de Agosto de 2017
ISSN 1519-7670 - Ano 19 - nº954

MONITOR DA IMPRENSA > FUSÕES & AQUISIÇÕES

Time Warner recusa oferta de US$80 bilhões de Rupert Murdoch

Por lgarcia em 18/07/2014 na edição 807

Tradução: Fernanda Lizardo, edição de Leticia Nunes. Com informações de Mark Sweney [“Rupert Murdoch’s $80bn Time Warner bid rebuffed”, The Guardian, 16/7/14]; de Soyoung Kim e Liana B. Baker [“Time Warner win would make Murdoch U.S. media king”, Reuters, 16/7/14]; e de Roger Yu e John Bacon [“Time Warner stock up 17% on news of Murdoch BID”, USA Today, 16/7/14]

Foi divulgado, na quarta-feira [16/7], que Rupert Murdoch, dono da News Corporation e da 21st Century Fox, fez uma oferta de US$ 80 bilhões para adquirir a Time Warner, um de seus concorrentes diretos. A Time Warner, no entanto, recusou a proposta.

Caso conseguisse concluir a negociação, Murdoch se tornaria o maior empresário do ramo de mídia do mundo – a Time Warner detém canais como TNT, TBS e HBO (que produz o seriado de sucesso Game of Thrones). A fusão também daria origem a um dos estúdios de cinema mais poderosos de Hollywood.

Oferta recusada

Em comunicado, a 21st Century Fox confirmou a proposta, mas disse que o conselho administrativo da Time Warner se recusou a prosseguir com qualquer negociação, encerrando as possibilidades de discussão.

A Time Warner, por sua vez, expôs sua defesa para justificar a rejeição da oferta de Murdoch, chegando inclusive a questionar a capacidade da Fox para gerir a expansão dos negócios. A empresa também relatou que as condições apresentadas por Murdoch tirariam o direito a voto dos acionistas minoritários, monopolizando assim o controle por parte do clã Murdoch. A Time Warner frisou ainda que seu plano estratégico de crescimento é infinitamente superior a qualquer proposta que a 21st Century Fox possa vir a oferecer.

Abafando escândalos

É provável que Murdoch tenha cogitado a fusão com a Time Warner no momento em que separou suas empresas, em 2013, segmentando o conteúdo jornalístico (com a News Corp.) e a parte de entretenimento (21st Century Fox).

À época, a estratégia serviu para desviar a atenção dos escândalos enfrentados por Murdoch, como o causado pelos grampos telefônicos no tabloide britânico News of the World. Em 2011, o jornal teve de ser fechado, e jornalistas e executivos foram indiciados, depois que foi revelada a prática de escutas telefônicas para investigar políticos e celebridades ao construir reportagens. O julgamento do caso dos grampos terminou recentemente.

Além disso, Murdoch parece obstinado em aumentar suas posses antes de passar o bastão aos seus herdeiros. No início de 2014, o executivo de 83 anos trouxe seu filho mais velho, Lachlan Murdoch, de volta do comando do grupo. Lachlan estava afastado dos negócios da família há quase uma década (ele morava na Austrália, onde possuía uma empresa de investimentos).

James, o outro filho de Rupert Murdoch, também foi nomeado diretor de operações do grupo de midia, com responsabilidades diretas sobre o desenvolvimento global do canal Fox.

Aumento da oferta

Fontes dizem que Rupert Murdoch não vai desistir das negociações com a Time Warner, havendo a probabilidade de aumentar a oferta em 40% a fim de concretizar a fusão.

Caso concluída, a aquisição marcaria o segundo maior negócio de fusão de mídia já realizado, perdendo apenas para aquisição da Time Warner pela AOL em 2000 – o qual, diga-se de passagem, é considerado um dos piores negócios da história.

Todos os comentários

x

Indique a um amigo

Este é um espaço para você indicar conteúdo do site aos seus amigos.

O Campos com * são obrigatórios.

Seus dados

Dados do amigo (1)

Dados do amigo (2)

Mensagem